6 de março de 2016

...DA MORAL / Osmar Utinguassú




- por Osmar Utinguassú

Do abuso das contenções inibidoras o homem se atirou na mais grosseira permissividade e hoje chora a necessidade duma lei moral. Ainda nos sustentamos, fragilmente, com o que restou do passado desmoronado... Mas ao que tudo indica, parece que também ruirá.

Basta ligarmos o televisor ou folharmos uma revista para constatarmos o triste quadro duma sociedade que capitulou ante a desordem moral e já não luta mais, porque passou a achar certo o erro e a considerar sua própria decadência como a mais afirmativa expressão de progresso.

Há alguns anos, quando papas, escritores e educadores alertavam para o que sucedia, poucos lhes deram ouvidos, convictos que estavam de que  aquelas vozes eram ultrapassadas e tais pessoas só viam maldade, em vez de perceberem os tempos novos em que a liberdade do homem seria exaltada, e os tabus derrubados. Assim como hoje... é...tal como hoje.

E agora, ante o espetáculo deprimente da violência e do sadismo sexual, seria de perguntar-se:
- Era isso que queríamos para nossos filhos? E será isso o melhor para eles?
Mesmo considerando a dificuldade de discernimento a que o afrouxamento moral leva as pessoas, não creio que muitas mães concordem com isso que aí está...

___________________________________
Esse fragmento, que retirei de seu livro Andanças de um Peregrino,  foi escrito em 1982. Imagino o que o sábio autor não pensaria hoje! Teve uma visão  antecipada... 
___________________________________

 Osmar Utinguassú, nasceu em Porto Alegre em 1921 e faleceu no ano de 2005. Médico cardiologista e escritor. Andanças de um Peregrino, Gotas de Eternidade e À Luz do Sacrário” estão entre centenas de artigos escritos durante muitos anos nos Jornais Correio do Povo, no antigo Jornal do Dia e em outros jornais do Estado do RS, como também em algumas revistas especializadas.




(In Utinguassú, Osmar. Andanças de um Peregrino. Porto Alegre: Centro de Produções e Edições, 1982, (fragmento do artigo intitulado Três Equívocos p. 39-40.)



28 comentários:

  1. Tenho certeza que ninguém ,de são consciência, concorde com o que estamos vendo aqui e acolá. Falt5a muito e não sei se teremos a reversão desse quadro! Gostei do texto e confesso a ignorância: não conhecia o autor! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. SIEMPRE MUY INTERESANTE LO QUE NOS COMPARTES. SON TEXTO MUY REFLEXIVOS.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente não há retrocesso e o quadro da violência aumenta numa velocidade preocupante. E claro aqueles que ainda preservam os valores que receberam de suas famílias choram por saber que seus descendentes vão herdar uma sociedade decadente e amoral. Um belo texto para nossa reflexão
    Uma linda e abençoada semana Taís
    Beijokas doces

    ResponderExcluir
  4. Acróstico

    Debalde gritam os puros no deserto
    A sociedade nessa lama se afunda
    Moral, coisa do passado estou certo
    O que resta, degradação que abunda
    Riem da moral céticos, a descoberto
    Alheios a tudo de segunda a segunda
    Ligeiro, aproveita o caos, o esperto.

    ResponderExcluir
  5. la libertad actual se convirtió en libertinaje, y las consecuencias serán desastrosas, me agradó tu entrega, con permiso te sigo,,saludos de México

    ResponderExcluir
  6. A minha esperança é que como dizia um filosofo do caos nasça a ordem.
    Um abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
  7. É uma pena o que acontece...
    Mas nunca podemos perder desistir de vermos as coisas melhorarem!
    Um beijão Taís, boa semana!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  8. Tais, gostei das palavras do escritor, que me eram desconhecidas. Realmente, os alertas sempre existiram, mas foram ignorados. Vencer tabus e rever valores é necessário, mas o salto que se deu extrapolou, em muito, o aceitável. Bjs.

    ResponderExcluir
  9. Tais

    Além de ter o prazer, de conhecer mais um prócere da literatura do País irmão, estou de acordo com o presente texto. No entanto como o Osmar Utinguassú sempre terá feito, cabe a nós marcarmos presença na luta para que esta sociedade volte a melhorar.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Perfeitamente, cara amiga Taís, os grandes males do mundo e do nosso país, principalmente, é consequência da crise moral. Atualmente confunde-se liberdade com permissividade, e pior que chegamos ao estágio de "Tudo é permitido"
    Um abração. Tenhas uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  11. A violência, seja qual for a maneira como ela se manifesta, é sempre uma derrota aos valores humanos.
    A violência destrói o que ela pretende defender: a dignidade da vida, a liberdade do ser humano.
    A violência é sempre terrível, mesmo quando a causa é justa.
    Tão logo a falsidade seja desmascarada, a violência nua terá que aparecer em toda sua hediondez - e a violência, derrotada, desaparecerá. Ler Daniel 2:44
    bj linda!.... Amei sua visita no meu espaço....

    ResponderExcluir
  12. Não pude deixar de fazer um paradigma com a atual situação que vivemos nesse nosso pais. Tou enojado. E transcrevo um comentário que eu fiz numa mídia social: "Tristeza desse país... Nunca estivemos tão ruins. Nossa estima tão baixa. Crise nos mais diversos setores. Agora essa infestação, esse leque de doenças sinistras provocados pelo Aedes Egipts. Nessas poças de agua acumulada dos becos, dos esgotos a céu aberto, galerias entupidas do lixo jogado, nojo! A mais de quinze anos não assisto televisão, nem telejornal, principalmente, não quero saber, saber de que? Filme de terror, uma novela da vida real, não adianta mudar de canal, se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. Fico triste. Que rumo estamos seguindo? pra onde? Não consigo rir de tudo que está ai, não consigo rir pra não chorar, choro é choro, riso é riso, choro mesmo, me revolto, é o mínimo que posso externar: "Quero chorar meu pranto amargo fruto do tempo, meus pés minhas mãos acorrentados pro invisíveis correntes. Quero meus sentimentos vivos expostos ao sol do meu dia como uma humilde reação de protesto". Orgulho de que? Seleção não vale mais não, quero nem lembrar. Mas o que? (???????) Sinto-me só, solitariamente acompanhado, a bordo desse barco furado, rumando pra lugar nenhum, a deriva, vivendo por viver." Abraços, Tais.

    ResponderExcluir
  13. Não ouvir as vozes é comum numa sociedade surda e as coisas se sucedem e somos surpreendidos com a velocidade que as vozes se tornam audíveis. Moral cada vez mais alijada de todos os processos e assistimos estupefatos a permissividade.
    Bonita partilha de um inteligente pensador.
    Um especial abraço Taís para este dia que para mim é todo dia.
    Uma semana de paz, luz e muito amor entre voces.
    Bjs de paz.

    ResponderExcluir
  14. Querida Taís
    Mulher... Um ser forte de aparência delicada
    Exuberante por obra do grandioso criador
    Amada por suas qualidades
    Querida por sua capacidade criativa
    Respeitada pela sua nobreza de caráter
    Parabéns por seres esta GRANDE MULHER
    Beijinhos no coração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que lindo... obrigada, querida amiga, inspiradíssima nesse 'Dia 8'! Aliás, como sempre.
      Beijo grande!

      Excluir
  15. Olá Tais! Talvez a causa seja uma coisa que já há muito tempo, aos poucos está se degenerando, e se chama EDUCAÇÃO.

    Beijos e um feliz Dia da Mulher.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  16. Lindo dia!!!!!!!!! Beijos

    ResponderExcluir
  17. Oi Taís apesar de chegar só agora, vim desejar que você tenha muitos dias felizes, e cheio de realizações.
    Beijão, querida amiga.
    Mariangela

    ResponderExcluir
  18. Minha querida Taís,
    nem sei que diga ou escreva, embora muito houvesse para dizer e se me agarro ás teclas, muito teria que escrever e não diria tudo. Pois não.
    Eu que sempre defendi a liberdade e sempre fui considerada, às vezes criticada pela "ideias e atitudes avançadas", hoje sou tida como "retrógrada" e acusam-me de não acompanhar os tempos, imagine! porque sei reconhecer fronteiras, não confundo liberdade com libertinagem e, minha capacidade de indulgência tem limites.
    E hoje, devido a excesso de informação (não me imaginaria a dizer isto) que não é devidamente processada pelos cérebros esverdeados (e não só, porque também os há avariados) não contribui para que se tenha controle sobre os jovens que temos sob nossa tutela. É tanta coisa, são tantas as razões...
    É como disse de início: nem sei que diga.

    deixo-lhe um bjn amg

    ResponderExcluir
  19. Olá Tais,

    Um texto atualíssimo.
    Vivemos em uma sociedade que, salvo exceções, anda confundindo 'liberdade com libertinagem', deixando de lado valores importantes e fundamentais, como a ética, a moral e os bons costumes. Tudo está se tornando banal demais. Observa-se que a crise de valores e o afrouxamento da moral e bons costumes se intensifica a nível global. Urge que se coloque um freio neste afrouxamento antes que muito mal seja disseminado e à custa de muito sofrimento.
    É certo que há pessoas que valorizam a moral e lutam para mostrar ao mundo que devemos resgatar valores que, paulatinamente, vão se tornando obsoletos. É claro que devemos acompanhar a evolução, superar alguns tabus e nos adequar a algumas mudanças necessárias ou toleráveis, mas há um limite que não pode ser extrapolado.

    Ótimo tema.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  20. O homem acomoda-se e facilmente desiste...
    e a juventude revolta-se...e o caos instala-se.
    A mulher precisa de mais visibilidade, pois vai ser
    ela a chegar a bom porto...
    Um abraço pelo dia
    Beijo

    ResponderExcluir
  21. Taisinha,

    Muito boa a tua iniciativa de escrever sobre Osmar Utinguassú, e de transcrever alguns trechos de alguns de seus livros, pois, embora seja muito conhecido por muitos, também há os que não o conhecem.
    Embora a sua inclinação fosse para temas filosóficos, escrevia com um único ânimo: ajudar as pessoas, que, por algum motivo, tinham que enfrentar o sofrimento. Foi um homem do Bem. E deixou saudade!

    Um beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  22. Bom dia Tais.
    Eu não conhecia esse escritor Osmar Utinguassú que pelo trechos que retirou do seu livro, deve ter sido um bom homem. A violência, a falta de princípios morais, e inúmeras outras formas que observamos nesse mundo, onde infelismente no meu ponto de vista só piora, é uma derrota aos valores humanos. Quando penso que nada mais pode me surpreender, me vejo chocada. A violência cresce a cada dia, cada vez mais, fico a me perguntar, onde vamos parar. Tivemos a prova nós últimos dias como as pessoas estão se comportando como animais ferozes, acho ate que ainda pior, porque ate os bichos amam as suas crias, respeito todos da sua especie. Enfim um belo texto para reflexão. Um lindo dia para vocês, atrasada amiga lhe deixo um abraço dos dias das mulheres e os meus parabéns por ser uma mulher admirável.

    ResponderExcluir
  23. Querida Amiga muito a agradecer por sua atenção e amizade no momento crítico que estive passando, Graças a Deus, a vida está voltando a normalidade desde quarta-feira. Obrigada por sua carinhosa amizade.

    Ótimo e atual texto, o respeito aos valores e a honestidade, caíram por terra, e hoje vemos uma sociedade libertina se debatendo tentando recuperar o que se perdeu há muito tempo.
    Parabéns pela ótima escolha.
    beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  24. Impressiona, a atualidade do texto trazido sabiamente por você, Taís! Muito Importante a forma de mostrar tema dessa natureza para se refletir e juntos tentar se recuperar valores que foram banalizados e causam tanto mal à sociedade.
    Louvo, seu trabalho!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  25. Obrigada amiga Tais por me dar a conhecer um escritor com uma visão tão lúcida sobre a moral.
    Não é fácil para quem tem valores e princípios morais assistir ao que se passa à nossa volta. Hoje tudo é espectáculo e tudo é permitido.
    O respeito e a moral é a base de qualquer família e sociedade, e quando não há essas bases, tudo fica à toa sem orientação.
    Apesar de ser optimista por natureza, estou muito apreensiva pelo futuro dos nossos filhos e netos.

    Um beijinho e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  26. Tais, não sei como você descobriu este autor profeta. Pelos títulos dos seus livros, o homem gostava de mistérios. Acertou na mosca...
    Abraço

    ResponderExcluir
  27. Realmente vivemos numa época, em que o imoral... já práticamente virou padrão de conduta... transversal a todas as classes... e aparece banalizado, nos meios de comunicação...
    Esse autor... realmente um visionário, para o seu tempo...
    Beijos, Tais!
    Ana

    ResponderExcluir

QUERIDOS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso