5 de novembro de 2013

MULHERES MUITO MAGRAS - DESFILES




- Tais Luso de Carvalho

Há muito que estou por abordar esse assunto. Gostaria de entender algumas razões, pois se entender, talvez eu até possa mudar de opinião.
Gostaria de saber qual a razão de nossas garotas desfilarem tão sérias, com cara de fome e de depressão. E se elas desfilassem com mais graça, mais simpatia, mais carisma, e com o nosso conhecido tropicalismo? Será que a roupa que mostram encalharia? Penso que simpatia tem a ver com desenvoltura. Vejo em muitos desfiles um comportamento que não é próprio da mulher brasileira.
Outra: o que observo, até por ser um assunto que volta e meia se fala, é a magreza exagerada de nossas esqueléticas manequins. É um crime contra a saúde, não encontro nenhuma beleza nisso. Beleza é harmonia, é estar feliz. E são meninas com rosto lindo.
Mas o que se vê é um padrão imposto pelo mundo da moda, uma escola. Todos sabem o que é anorexia. A mídia cumpriu seu papel. Já falou o necessário. Por que não estabelecer regras para que essas magérrimas criaturas fiquem dentro de padrões mais normais? Que sintam a felicidade de comer! Que façam exercícios e dieta, mas coisa normal. Dentro da tabela.
São as mulheres mais baixas, com curvas e que se alimentam bem  que usam as roupas  que movimentam a moda de cada estação. Será que alguém lembra disso?
Imaginem, vocês, uma baixinha, meio fofinha, encasquetar de querer usar uma roupa apresentada por um mulherão de 1.85 m de altura e magérrima! Vocês já viram manequins com 1.65 m? Nem eu. Mas é a altura média das brasileiras. Mas parece que esses desfiles são para as que tem barriga de tanquinho, ossudas e altíssimas. Só pode dar em lambança quem pensa que a roupa vai lhe cair bem. 
Penso que as agências que formam essas meninas deveriam pensar um pouco: aquele andar esquisito, lembra uma avestruz, comprida e desajeitada. Alguém, dentro de sua normalidade, caminha assim? É apenas efeito para show? Mas é engraçado, para dizer o mínimo. Por que será que minha visão vai parar  no caminhar e no rosto  das manecas. Por quê? Porque chama muito mais a minha atenção do que a roupa.
Mas essa é apenas uma opinião: uma gota perdida no oceano. As meninas continuarão a não comer, o caminhar continuará igual, os desfiles continuarão acontecendo, e todos continuarão a faturar um monte. Sei que é difícil mudar um antigo costume. Porém eu também continuarei igual: continuarei a olhar para o corpo magro e carente de nutrientes, o rosto sério demais e aquele doce andar... 
E tudo com muito pesar, mas sempre com vontade de ver algo mudar.

-------




20 comentários:

  1. Concordo!Aquele olhar de quem comeu e não gostou e o andar de pernas cambaleando é tri, mas tri, TRI feio e mata com qualquer manequim. Pena! Deveriam deixar que fossem normais, concordo. Não pintadas como mortas,esqueléticas e parecendo completamente fora dos padrões das brasileiras que tem bunda, tem graça e rebolado normal,não aquele imposto! CREDO! beijos,chica( pior é que já vejo as mini manecas copiando aquilo!! beijos, chica

    ResponderExcluir
  2. Querida, tens razão.Olho as modelos magérrimas e sei que nada do que usam ficará bem em mim que tenho 1,56 de altura e não sou magérrima.Tenho minhas gordurinhas, nada em excesso, mas com certeza as roupas não são para meu tipo.Acho que nada mudará, já faz parte do padrão dos desfiles.
    Belo assunto para reflexão.Como sempre um tema atual.
    Brisas e flores para alegrar tua alma.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  3. Limerique
    Limerique

    Era uma vez a Olívia Palito
    Rosto sério com sorriso restrito
    Mas a moda a queria assim
    Então ela só comia capim
    Alta, saltitante como cabrito.

    ResponderExcluir
  4. Querida Tais, tão pertinentes tuas palavras "desfilam tão sérias, com cara de fome e de depressão" rs "É um crime contra a saúde, não encontro nenhuma beleza nisso. Beleza é harmonia, é estar feliz. E são meninas com rosto lindo"...sinceramente acredito na tua colocação de que é" padrão imposto pelo mundo da moda", mas em que mundo nós vivemos, qual a obrigatoriedade, não temos mais escolha própria ? acho que temos, o que não temos são números reais de roupas para nossos corpos que não é imposto pelo mundo da moda.
    É algo muito sério, e o assunto aqui é tratado como tal, mas não posso deixar de dizer da leveza com que conduzes esta crônica, ao mesmo tempo que não é impositiva, que não quer colocar uma opinião para ser unânime, é uma opinião livre e isso torna encantador o que escreves, pois nos faz refletir, rir, questionar...é um imenso prazer ler tuas cr\õnicas.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  5. Compartilho a sua opiniao sempre tao bem-sucedida. Acho que os designers querem ver as manequins nesta posicao enfermiza, de doentia... Sera que, realmente eles odeiam as mulheres?? a moda deve ser alegria, vida, saude, nao enfermedade e depressao. en fim, asssim seguira. O mercado manda.
    Tenha uma semana cheia de felicidade.

    ResponderExcluir
  6. Olá Tais,

    Concordo! O padrão exigido para as manequins é absurdo e acaba destruindo a saúde e os sonhos destas profissionais da passarela. Imagino a fome que elas não devem passar para se manter nos moldes exigidos.
    Mandou bem o governo regional de Madrid ao proibir as manequins demasiado magras de desfilar .A medida teve como objetivo combater a anorexia e a bulimia entre estas jovens. Os demais países deveriam mirar-se nesta medida a fim de proteger as jovens em geral, pois o modelo padrão transmite um ideal de beleza perigoso.
    Não vejo beleza nenhuma nestas manecas magérrimas que, ao desfilar, desviam realmente a atenção para elas próprias, quando o foco deveria ser a coleção das roupas.

    Interessante o foco da crônica.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Taís, que verdade, não? Não há nada de Brasil nisso. Diria que não há nada de humano. É um artificialismo total. As roupas, muitas vezes, são representativas, ninguém usa. Elas são uma média do que será tendência e todo aquele blá blá blá.
    As garotas magérrimas encontraram felicidade na falta de saúde. É uma obsessão. E por quê? Porque se não forem assim, não vão se encaixar. Um grama de gordurinha é um crime das passarelas. E muita criança cresce sonhando com isso, glamour, dinheiro, fama, beleza. Tudo muito efêmero! Mas são crianças. É influência. E elas se espelham nisso.

    Ótima crônicas, Taís.

    Beijo!

    ResponderExcluir
  8. Taís, to morrendo de rir aqui, eu nunca havia lido uma expressão tão apropriada para o andar das modelos, jeito de avestruz! kkkkkkkk
    Na minha cidade tem uma menina que já fez alguns trabalhos em desfiles na região, acredita que ela anda na rua do mesmo jeito que na passarela? Eu sabia que ela me lembrava algum animal ou ave, agora já sei, kkkkkkkkkk

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Tais, sempre pensei sobre isso ao ver desfiles. As pernas delas parece que vão até quebrar, pois só mostram ossos. Não encontro beleza. É certo que se trata de um show em passarela e que as roupas constituem apenas tendência, merecendo adaptação adequada pelas fábricas, antes de chegar ao consumidor. Mas o ideal seria nos identificarmos, o que é impossível, eis que as "estátuas modelos" não servem de inspiração. Infelizmente, a profissão atrai justamente as meninas em fase de desenvolvimento, prejudicando sua saúde em prol de uma ilusória realização. Bjs.

    ResponderExcluir

  10. Mais uma bela crónica.....Que dizer....??Já disseram tudo....
    não vale a pena repisar....De roupas nada sei, de 'manecas' como
    vocês dizem, sei bem demais o que me interessa.....
    Mas a cronica....adore...
    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Pois é Tais, li recentemente que esta ditadura do corpo destas pobres(ricas) meninas não perdoa quem foge às suas regras severas. Inclusive criam instrumentos para degradar ainda mais o corpo,como um certo anel para a cintura, que funciona como estrangulador de vertebras. Uma loucura o mundo das fashion. Que bom seria se houvesse uma revolução no mundo da moda, que tirassem da escravidão estas meninas. Seu grito não esta solto no ar.
    Bela e precisa abordagem, calar que não se deve,
    Um belo fim de semana Tais.
    Meu terno abraço de paz e luz.

    ResponderExcluir
  12. Tens razão Taís, o foco do desfile que deveria ser para a roupa acaba sendo roubado pela fisionomia triste das manequins além das pernas de "seriema ou avestruz." O pior de tudo é conseguir a realização de um sonho,comum à tantas meninas e depois vê-lo destruído por causa da própria saúde, que é constantemente ameaçada
    Excelente cronica

    b js.

    ResponderExcluir
  13. As suas indagações são as mesmas que as minhas e, acredito que de milhares de mulheres pelo mundo afora....Acho que já passou da hora dos estilistas reverem seus conceitos...

    Beijão e lindo final de semana!

    ResponderExcluir
  14. Se não fosse a Moda a maioria das pessoas não saberiam como se vestir, como comer, como se comportar, como existir. "Toda unanimidade é burra"- Nelson Rodrigues.

    http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Tais, esse é um assunto que 'não sai de moda' (perdoe-me o trocadilho), pois de tempos em tempos vem à tona, através de alguma modelo doente, os absurdos que se fazem em nome da magreza. A tal ditadura da moda, além de ser cruel, é ridícula do meu ponto de vista. É uma imposição como a do Papai Noel, com suas vestes para neve, em pleno verão brasileiro! Assim são as modelos ossudas em pleno país tropical, famoso pelas curvas de suas nativas... não dá para entender, pelo menos aos leigos não agrada nenhum pouco. Além da magreza exagerada, você bem mencionou o andar de avestruz e o olhar de fome e depressão... quem inventou que isso é belo e glamouroso?! Meu conceito é outro, mas deve ser coisa de gente pouco entendida no assunto...

    Excelente sua crônica, falou por muita gente, opinou em nome das mignons curvilíneas que representam de verdade este país! Beijão.

    ResponderExcluir
  16. Compartilho da mesma opinião. Deviam ligar mais pra saúde das modelos...






    ResponderExcluir
  17. Tais
    Pobres meninas!Estão a perder a alegria da juventude e a saúde em prol do que as modas ditam...e nem se apercebem...
    Bom dia de S. Martinho com boas castanhas.
    Abraço
    Nélia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Queridos amigos...

      CHICA
      ELOAH
      JAIRCLOPES
      JAIR MACHADO RODRIGUES
      CAROLINA
      VERA LUCIA
      LUIS FELLIPE ALVES
      NÉIA LAMBERT
      MARILENE
      ANDRADARTE
      TONINHO
      LOURDINHA VILELA
      MARCIAGREGA
      FÁBIO MURILO
      SUZY RHODEN
      NATANAEL
      NÉLIA BOTELHO

      Agradeço a participação sempre bem-vinda!
      Com carinho, Tais.

      Excluir
  18. Tais, seu texto levanta a questão tão comentada,mas não resolvida.São meninas lindas, mas esqueléticas.Já li artigos que dizem que elas passam fome literalmente, e os pais dessas manequins ...será que estão de acordo?
    Quanto as roupas ,quem as compra? Eu ,nem pensar rssssssssssss A moda sempre ditando as regras em favor da ganância de alguns. Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Boa tarde querida Tais..
    a moda sempre teve um alto valor.. vangloriam vestimentas e rostinhos bonitos...
    a sociedade está assim.. não olham mais a pessoa pelo que ela é,, mas pelo que tem e como se veste.. se formos ver no fundo é algo muito cafona.. modelitos, andar toda requintada.. pra que e pra quem..
    achei muito bacana a ideia de gordinhas desfilarem como vi tempos atrás.. e são muito belas.. pelo menos lá temos o que pegar né rsrs com respeito claro...
    pq as magrelas são como eu com meus 1 e 61 e 51 quilos..
    bate um vento me leva embora rsrs imagina elas abaixo dos 50 quilos né rsr
    beijos e um feliz sempre

    ResponderExcluir

QUERIDOS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso