12 de fevereiro de 2012

O PERFIL DA PESSOA CHATA!




- Tais Luso de Carvalho

O chato é aquele que tudo sabe, pensa que ninguém está ao alcance de nada, que todos são tolos e incompetentes diante de sua sabedoria, de sua genialidade e de seus anos de estrada na vida. A gente aguenta, mas não muito! Paciência tem limite. Conviver com um chato é castigo,  já é o começo do nosso calvário.

Não tem coisa mais desagradável do que uma pessoa que tem uma palavra 'chave' pra tudo; são chatas até pra levarem uma palavra de conforto. Conheci uma pessoa que se apossava dos velórios da família, parecia que o finado era dela e fazia as honras fúnebres. Ficou conhecida como a  papa-defunto. E não desconfiava... Isso é próprio dos inconvenientes. 

Certos tipos de chatos irritam tanto que não se tem mais o que fazer a não ser dar o fora. Estive pensando, cá com meus neurônios, quantos chatos peguei na vida que falavam me cuspindo, me cutucando, não deixando eu desviar meu olhar um segundo da sua importante narrativa  e perguntando, a todo o momento, se eu estava entendendo... O tal 'entendendo' é um cacoete típico dessas pessoas.

Quando penso nas vezes em que fui  educadinha e pacienciosa, fico com dó de mim. O chato pega o fio da meada e desenrola sozinho. Para falar da mãe começa na bisavó. Ele nunca é objetivo. Gosto de saber dos ancestrais da nossa civilização, dos povos primitivos, não do bisavô de alguém, salvo algumas exceções. No máximo aguento até o avô. Mais do que isso é História Antiga. Aí prefiro os livros.

O chato já começa querendo provar a sua sinceridade, falar da sua verdade, e principalmente provar a sua infinita honestidade. E aí pensa que o tempo é todo seu e de seu mundo encantado. Sim, porque o chato vive noutro planeta, você tá me entendendo?

Sair com um chato não é das maiores alegrias: ele conhece o melhor restaurante, a melhor praia, o melhor vinho, o melhor filme, o melhor shopping até o melhor saco de arroz; e põe em pauta o corte da melhor carne, o melhor café, a melhor banana... Quando faz um arroz, é o melhor arroz do mundo!

Dias atrás observei, num restaurante, um chato horroroso: estava com sua companheira: comia e falava de boca cheia... Mas ao celular. E fiquei observando, com meu faro de perdigueira, que a mulher estava altamente irritada. Caracas, que coisa desagradável! Eu, que nada tinha a ver com o infeliz,  fiquei irritada. Esse é o chato grosso. Quando me dei conta, estava envolvida com o problema da mulher... Credo.

Também existem os chatos para os quais você telefona só para saber como estão, pra dar um alozinho, e a alma esquisita fala 1 hora em doenças. Um dominó: uma doença puxa a outra. Você desliga em alta depressão, pensando em se internar e fazer vários exames. Sim, porque a criatura tem a capacidade de lhe mostrar que em sua idade você já deveria fazer aqueles exames... os piores!

E, para terminar a via-sacra, topamos, também, com aquele chatinho fofoqueiro, que resolve lhe contar algo extremamente engraçado dos outros. Vai desfiando e gargalhando... E torna-se difícil comandar um sorriso à altura do fato que, de engraçado não tem nada.

Então, a gente resolve, apenas, mostrar os dentes, numa esticada forçada, e se der, tentar sair de fininho pra salvar a pele. Porque o chato, também não nos esquece: numa dessas, viramos uma de suas histórias!





36 comentários:

  1. Também não gosto de chatos á minha volta. Os Brasileiros, tem o habito de estar sempre a perguntar se eu entendi.
    Os chatos repetem o mesmo assunto seguido.
    A minha esposa chama-me chato quando lhe dou o quinto beijo.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Má educação e falta de cordialidade não precisam de nacionalidade. Confesso que podem haver muitos brasileiros chatos, assim como você foi bem infeliz no seu comentário, independente da sua nacionalidade (suponho portuguesa). Sou brasileira e reconheço que o "entende,tá me entendendo?" etc são vícios de linguagem, assim como os portugueses têm os seus (fora o sotaque ininteligível para nós, visto que um português entende um brasileiro, mas o contrário... não mesmo!).

      Saudações brasileiras!

      Excluir
  2. Putz, e como temos chatos perto de nós. Eu fujo deles pois a minha paciência e tolerância andam perto do ZERO,rsrs (pra eles)...

    Linda cônica! beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Hahahahahah. Verdade, Tais. Todo chato é difícil de aguentar, mas o chato que também é vítima é de lascar. Haja conta no rosário de lamurias. rsrsrsrsr. E o pior de tudo é que eles não fizeram nadinha, ne.
    Tava com saudades. Beijo enorme =)

    ResponderExcluir
  4. Tais, fazia-se necessária em nosso meio uma cônica sobre o chato. Gostei muito!

    São vários os tipos de chato. Vc selecionou os que talvez sejam o piores: o chato-prolixo e o chato-sabe-tudo.

    O tipo que eu mais sou vítima é o chato-prolixo que, segundo o Millor Fernandes, é o cara que conta tudo tim-tim por tim-tim, depois ainda entra em detalhes (e a gente segurando a porta do elevador, claro).

    1 bjo
    Cesar

    ResponderExcluir
  5. Oi, Tais
    ótima análise. O pior é quando o chato não se reconhece e ainda critica outros.
    Abraço

    ResponderExcluir
  6. Taís,
    A sua descrição do chato bateu com a descrição do meu cunhado, acho que você não sabe, mas o conhece. Meu cunhado, para falar do presente inicia a narrativa na pré história e vem por caminhos alternativos e paralelos tais que acaba se perdendo e perguntando: afinal, o que eu estava falando? É o que se convencionou chamar de "chato de galocha". Abraços e parabéns pela bem escrita crônica, JAIR.

    ResponderExcluir
  7. Pior é fazer uma pergunta simples a um chato e esta resposta- que poderia ser respondida em 10 segundos- dura 40 minutos. Aff!

    ResponderExcluir
  8. Tais,
    vc mapeou os chatos de carteirinha, conhecidos e os não muito, porém, sempre identificáveis após a 1[ frase. Aja paciência!
    Quando consigo sair pela tangente, nem penso duas vezes.
    Xô grude!
    Adorei o papo.
    Bjos,
    Calu

    ResponderExcluir
  9. Acho que todos temos nossos dias de chato...rs, mas alguns tem todos os dias de chato.
    Uma crônica gostosa de ler e com um humor fino e nada chato.
    beijos

    ResponderExcluir
  10. ....Fiquei pequenino....Será que sou um desses aí..??O melhor é não dizer mais nada hoje...não haja por aí um
    rótulo que se aplique...

    Parabéns....mais uma maravilha....

    Beijo

    ResponderExcluir
  11. Taís, posso apostar que todos que lerem seu texto, ficarão já imaginando a figura de alguém, afinal quem não tem um chato para se lembrar? Confesso que já fui muito paciente com esse tipo de gente, hoje quero distância, dei um basta e vivo bem melhor assim!
    Uma delícia de ler seu texto, como sempre.
    Boa semana, beijos.

    ResponderExcluir
  12. OI TAIS!
    AGUENTAR UM CHATO É O FIM, MAS AS VEZES SOMOS OBRIGADOS A ISTO, O QUE É UMA CHATICE...
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Tais, não existe tema que vc escolha sem garantia de oferecer aos teus leitores momentos agradáveis, divertidos, reflexivos...mais uma vez um tema que talvez fosse complexo para tantos, vc discorreu com aleveza e propriedade que te são comuns.
    Adorei...e enquanto lia fui pensando em alguns chatos que cruzam o caminho da gente...isto transforma tua escrita numa deliciosa maneira de sentir o que quer compartilhar, a gente vê, ouve, sente...muito, muito bom!

    Um beijo e boa semana pra ti!

    ResponderExcluir
  14. Bela crônica como sempre. Agora esses macaquinhos são um luxo só.

    ResponderExcluir
  15. Olá Taís,
    os arquétipos de "chato" etão ótimos.
    Eu conheço alguns bem parecidos e outros inéditos que não vou te apresentar agora para não sobrecarregar o cometário.
    Pior do que um chato só um "olho gordo" que também é um chato só que mais nocivo...
    Um grande abraço Taís. Loyde, sua fã, manda beijos

    ResponderExcluir
  16. Taís.
    É sempre muito bom ler suas crônicas, tem uma leveza no humor fantástica, um tema complicado, mas você torna tudo muito fácil. Fiquei aqui refletindo se não sou também uma chata, e ao mesmo tempo lembrando dos chatos que lido todos os dias. Parabéns!

    ResponderExcluir
  17. Olá Taís, parecia que você estava descrevendo algumas pessoas que convivo no ambiente de trabalho! :D

    Muito boa a crônica.


    Obrigado pela visita e comentário no meu blog, volte sempre.


    Abraço.

    ResponderExcluir
  18. Dizem que chato é bom que não rola, mas amola pra caramba!
    Abraços!

    ResponderExcluir
  19. E haja chato! Gostei da descrição que fez de alguns amigos por aqui. Todos os têm...
    E um abraço! Rapidinho, para não ser chato!

    ResponderExcluir
  20. Melhor nem fazer nada... O dia-a-dia trata de ejetar um natural inseticida...

    ResponderExcluir
  21. Minha amiga adorei!!!
    É preciso ter uma paciência gigante para aturar e continuar a ser educada para com os chatos que por vezes surgem na nossa vida.
    Bom restinho de domingo e uma excelente semana.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderExcluir
  22. Tens razão, mas esta de se tornar história para o chato contar é péssimo.Vou fugir bem mais.
    Adorei o texto querida.
    Seja feliz.Muito amor e alegria, sempre.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  23. Que maravilha vir aqui, você me fez rir, menina lembrei de tantos fatos que na hora me deixavam p mas hoje dou risada, adorei a crônica, muito boa mesmo, que saudades estava daqui sabe o corre corre da vida às vezes faz com que percamos o melhor dela, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  24. Tais amada vocë me fez relembrar os chatos que conheço, e não são poucos.Minha sogra é um deles. Ela é dos que sabe tudo. Se você conta de uma dor de cabeça ela já sabe a causa, já indica o remédio e se deixar, ela já tras o remédio sem te dar a chance de contestar...um caso sério isso.Ela tambem é aquela pessoa que fala da vida de todos, mas se souber que falaram dela, ela chora, se descabela, se faz de vítima...um caso mais sério ainda, e por ai vai.( é quase um caso clínico, mas que é chato, ah isso é) rsrsrs.

    Muito bom te ler. Sempre!
    Beijo querida e boa terça!plet

    ResponderExcluir
  25. Oi Thais,

    e eles (os chatos) estão por aí, estão em toda parte!

    E o problema é que não vamos conseguir exterminá-los, o jeito é continuarmos, na medida do possível, nos desviando deles.

    grande abraço

    Leila Rodrigues

    aproveito para dizer que o Palavras está de volta depois de alguns percalços... te espero lá!

    ResponderExcluir
  26. ... e o chato que se convida pra vir a tua casa, sem perguntar se tu estás bem e se tens compromisso. Esse é chato!

    ResponderExcluir
  27. Oi Tais,

    No email que acabei de enviar, mencionei que retornaria para comentar no domingo... mas não resisti, e aqui estou, pois sua crônica está fantástica! Sua análise detalhada do 'chato' foi exata, não esqueceu de nenhum. Afinal, são tantos os perfis que se resumem nesse mesmo adjetivo: chatos, muito chatos!

    Gostaria de acrescentar minha contribuição: sabe o chato que se enfia na sua casa pensando que é íntimo, que é de casa, que tem livre e total acesso a todos os cômodos, que é bem-vindo em qualquer hora e momento? Pois é, vivo dando de cara com esses... e dá um trabalho fazê-los entender que não abro mão de minha privacidade!

    Mas que nada, pelo menos esses chatos nos rendem ótimas crônicas como esta que você compartilhou conosco! Um beijão, com saudades dos tempos em que eu 'batia o ponto' por aqui. Estou de volta, amiga! rsrsrsrs

    ResponderExcluir
  28. Como é chato estar do lado de uma chato(a), pior é conseguir se livrar de suas conversas !!!kkkk

    ResponderExcluir
  29. Oi querida!
    Chato mesmo é ler esta crônica e de cara, rs,rs assim estampada e escrita em letras garrafais saber que se tem alguém na familia muito próxima e que não existe solução.

    rs,rs fazer o que?

    Teu blog esta lindo, eu ando sem tempo para postar, por hora visitando os espaços interessantes dos amigos.

    Bjus

    ResponderExcluir
  30. Engraçado que eu não tinha conhecimento desse blog ,entrei por curiosidade pois fui chamada de chata e quis saber se realmente me enquadrava .Achei realmente muito interessante sua crônica. Fico aliviada por ver que sou uma chata lite em comparação ao chato descrito aqui,mas vou continuar me policiando. Obrigada.

    ResponderExcluir
  31. Entrei na pag por acaso, mas achei muito interessante. Nos ultimos tenho ouvido a frase vc é muito chata e isto esta me incomodando muito dai resolví pesquisar pra saber se me encaixo no perfil dos chatos porém fico aliviada pois o que tenho de chata é o que a maioria das pessoas tem , não como chato descrito na crônica que por sinal muito esclarecedora e gostosa de ler.gostei muito!

    ResponderExcluir
  32. Tem muito chato por aí. Me acho uma chata, mas não nesse sentido que você falou, mas no sentindo de querer que tudo seja do meu jeito.

    ResponderExcluir
  33. Sabe uma coisa? Os chatos são maioria na humanidade e por isso a chance de encontrar um por dia é muito grande. Seu texto descreve perfeitamente essa sub-espécie humana.Na miunha vida pessoal e profissional ja tive que lidar com muitos chatos (e chatas) e durante o periodo em que os aturo sinto muita coceira nas mãos. o que um amigo psicologo classificou como "vontade reprimida de dar uns tapas" -

    ResponderExcluir
  34. Quando ia embora, li o título na lateral e, lembrando de alguém muito chata que temos em comum, fiquei curiosa. Adorei! O pior é que o chato não se dá conta e então, continua sendo chato pela vida toda. Mas sinceramente, acho que todo mundo tem o seu lado chato, lado médico, lado conselheiro, lado insuportável, lado encantador etc. Somos muito complexos e conviver é a mais difícil das artes na minha opinião.
    Agora vou embora ligeirinho, sem olhar para os lados... kkk
    Beeeeijoooooo!

    ResponderExcluir
  35. Quando preciso lidar com um chato,ou uma chata, sinto coceira nas palmas das mãos... acho que é vontade reprimida de dar uns tapas na criatura.....

    ResponderExcluir

QUERIDOS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso