18 de novembro de 2015

SUPER ADRENALINA






             - Tais Luso

Como não tenho nenhuma intenção de arriscar minha vida  em situações de perigo buscando superações, pensei naqueles que lutam por suas vidas enfrentando hospitais, doenças, mutilações ou outras pessoas que se arriscam em sua atividade sem a mínima segurança - ainda hoje sofrem essa exploração. E são muitos.

        Pensei, também, em pessoas, inclusive da minha família, que suportaram um tratamento quimioterápico, para continuarem a viver. Se há o que respeito é a minha fragilidade, a minha pequenez diante da grandeza do que me foi dado - a vida. E estou longe de entender os mistérios dela, como também os mistérios de qualquer ser humano com suas infinitas variantes e complexidades. A conhecida foto acima - 1930 -,  sempre me foi muito inquietante... 
Difícil de entender como alguém consegue desafiar o perigo ou a morte - como se viver  em algumas metrópoles  não fosse um convite a uma adrenalina nada pequena. 

Todos são livres. Nunca disse a ninguém para viver como uma ameba. Podemos viver mil emoções, mas  colocar nossa vida em risco já é algo um pouco fora dos padrões. Mas muitos sentem atração pelo perigo. Se forem felizes assim, adiante! Respeito todas as tentativas de felicidade.

Essa montanha-russa do vídeo (abaixo) é a mais inclinada do mundo, o que existe de mais impactante para aqueles que procuram por fortes emoções num parque de diversões. Vejam a sincronização, a genialidade desses brinquedos de parques; é excitante para uns, e apavorante para outros. Comparando com minha época de parques, o que tínhamos era considerado um Ford de Bigodes.

Você se arriscaria a dar uma voltinha nessa montanha-russa? Vá, coragem!! 

Porém, se você tem Cinetose, ou alguma doença de risco, nem pense. Cinetose é uma disfunção conhecida como enjoo de movimento, é um quadro intenso de náuseas, com ou sem vômitos, que ocorre em algumas pessoas, seja dentro de um automóvel, trem ou barco a 50 quilômetros por hora. É uma sensação de morte. 
Mas antes, tome uma 'caixa' de Dramin. Assim você dorme ou desmaia e não vê nada.




 Apavorante!
Takabisha / Japão




21 comentários:

  1. Boa noite Tais.
    Só de assistir o vídeo, minha adrenalina aumentou rsrs não entraria em nenhum de jeito algum. Só mesmo tendo muita coragem, para isso sou uma eterna covarde rsrs. Um feliz noite para vocês. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia minha linda amiga Tais, tanto quanto você, nem em sonhos iria em um desses loucos brinquedos, só de ver, ai, ai, ai...
    Embora eu já tenha ido em brinquedos meio loucos, em Caldas Novas tem um parque lindo que nos encanta, o Hot Park e já fui três vezes lá, a última vez faz oito anos, me diverti com meus netos que hoje já estão adolescentes e nem sei se iria de novo, rsrs, pois é, para se curtir netos se faz loucuras e eu já fiz!
    Gostei de ler aqui como sempre, pois tens muita variedade de temas que eu adoro!
    Abraços linda amiga!

    ResponderExcluir
  3. Meu Deus!!! De jeito nenhum... sou pateta para essas aventuras... Chega as que não podemos evitar!!
    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Acróstico

    Algumas pessoas adoram o perigo
    Desafiam o medo para sentir a vida
    Realizar-se ao olhar próprio umbigo
    Encarando morte de cabeça erguida.

    Não é minha praia, eu garanto isso
    Atrever-se para afirmar-se corajoso
    Louco não sou, pois possuo toutiço.

    Ignoro se não arrircar é ser medroso
    Nem digo que pode parecer omisso
    Apenas continuar vivo é maravilhoso.

    ResponderExcluir
  5. Olá, Taís. Não gosto de parques de diversão, não ando em nenhum brinquedo daqueles, a não ser o carrossel. Também de-tes-to circos, não sei porque. Eles me entendiam. Não gosto de ver gente em situações perigosas espontaneamente. As pessoas se divertem vendo os outros arriscarem suas vidas, e não vejo lógica nisso. Assim como abomino pessoas que se divertem fazendo animais sofrerem, como nas touradas e brigas de galo e de cães.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  6. Oi Tais sou tua seguidora 139ª e gostei de te conhecer. Sou de santa Maria, gaúchas somos.
    Lindo teu blog e gostei do texto acima. Desafios , na vida temos muitos, apenas devemos saber escolher quais encarar.
    Boa quinta-feira , e venha me conhecer .
    Bjks

    ResponderExcluir
  7. Oi Tais, tudo bem amiga?
    Eu sempre gostei de parques de diversões...
    Mas estes...
    Acho que depos não pararia de pé! rsss.
    Penso que não precisavam exagerar tanto...
    Na vida já enfrentamos cada coisa!!
    Grande abraço, e tudo de bom Tais.
    Mariangela

    ResponderExcluir
  8. Cara amiga Tais, chocante é pouco, eu diria, APAVORANTE!
    Fiquei apavorado só em ver o vídeo. Juro que não olharia em loco.
    Um abração. Tenhas uma boa tarde.

    ResponderExcluir
  9. Sempre repito isso, Tais, com tanta gente nos hospitais lutando pela vida, nas filas dos transplantes, esses indivíduos se arriscam, se aventuram, a troco de nada, por pura vaidade, se superar dizem. Muito incoerente penso, completa estupidez! Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Apavorante......Não sou dessas aventuras, e não sou medroso não....
    Pior que isso.....só os estúpidos que se fazem explodir, para
    causar dor aos outros.....Enfim........nem quero pensar nisso,
    que fico com urticaria....
    Bom fim de semana-
    Beijo

    ResponderExcluir
  11. SON TANTAS LAS CONDICIONES DESIGUALES EN QUE VIVIMOS, QUE PARECE YA MUY DIVERTIDO.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  12. Que horror, verdadeiro suicídio essa montanha russa.
    Agora, aqueles trabalhadores sentados naquela altura, me provocam arrepios, choquezinhos, mas, não posso dizer onde.
    Taís, mil beijos!

    ResponderExcluir
  13. Es mi primera visita y he encontrado una entrada llena de interés. A mi sucede que yo no entiendo por qué se han de asumir riesgos innecesarios y, la verdad, solo la imagen de los obreros colgando en el aire, me produce una situación de vértigo. Lo de la montaña rusa, tampoco va conmigo.

    Es muy interesante su punto de vista y para mi ha sido un placer encontrarla. He llegado por pura casualidad, creyendo que el enlace me dirigía a otra persona. Sin embargo, encuentro tan agradable su manera de plantear los temas, que, si le parece oportuno, volveré para leerlos y comentarle. Gracias. Saludos cordiales. Franziska

    ResponderExcluir
  14. Olá, Tais!
    Sempre gostei e pratiquei por muitos anos, o voo livre, meu esporte radical, mas essa montanha russa é apavorante!
    Beijos e boa semana!

    ResponderExcluir
  15. Oi Tais, linda mulher
    Obrigada pelo carinho
    Beijos no coração
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  16. Tais, nem os brinquedo dos nossos antigos parques me atraiam (rss). Nada que me tirasse do chão era inspirador. Já encontrei pessoas apaixonadas por montanha-russa e nunca entendi como. Já arriscamos muito em nossas normais atividades e eu não entraria em uma delas por nada (kkk). O vídeo é assustador para mim. Bjs.

    ResponderExcluir
  17. Taís, nem pensar em andar numa coisa dessas!!! Nunca gostei desse género de divertimento, nem mesmo quando criança ou jovem.
    Gastei toda a minha adrenalina há doze anos quando tive de me submeter à quimioterapia, depois da quadrantectomia.
    Mas ainda estou por aqui... lendo seus lindos textos.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  18. Nooooooooooossa,Taís! Que montanha russa essa! Não passo nem perto!

    Obrigadão pelo carinho por lá e por aqui seguimos no tratamento e por isso, afastada! beijos, tudo de bom,chica e INTÉ!

    ResponderExcluir
  19. Tais, o vídeo mostra como há quem goste de emoções fortes. Cada um é como cada qual, mas aposto que os esses nem serão os mais corajosos frente ao verdadeiro perigo. Por exemplo, eu nunca fui adepto de divertimentos radicais, mas sempre enfrentei perigos com naturalidade. Ilustro com dois casos. Na guerra de África, por duas vezes, fui chamado ao comandante pelo meu comportamento descontraído de herói. De ambas me foi recomendado, para ter cuidado porque os heróis só servem ao cimo da terra. Além de casos de vária ordem, um dia enfrentei um assaltante de pistola em punho: diálogo, "eu não quero fazer mal, mas quero a carteira"! - palavras não eram ditas e eu tranquilo de mão no bolso a fingir de extremamente nervoso mato-te! - Com a pistola mais levantada: "Ah mata"? Mato, reiterei!...
    Depois fiquei a olhar para a sua fuga.
    Abraço

    ResponderExcluir
  20. Credo!!!!! Fiquei zonza só de olhar. Eu jamais me arriscaria numa montanha-russa. Aliás, esse negócio de adrenalina não é comigo não. Não desafio o perigo de forma alguma, a não ser se for o caso de algo inesperado, quando nem se conhece a própria reação diante de um perigo. Há pessoas que gostam de viver perigosamente. T^o fora-rsrs. Penso que quem não preserva a vida é, na verdade, um suicida involuntário.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  21. Num vô não sô!
    Não sou afeito a isto de adrenalina,conheci o perigo de perto profissionalmente, mas esta onde de adrenalina não me abraça. Uma vez 1981 tive a coragem de enfrentar uma montanha russa no parque Tivoli na Lagoa Rodrigo de Freitas e naquele tempo eram mais light ainda assim foi um terror.
    Mas esta imagem é demais e nesta série já vi outras que dão arrepios só de olhar e agora ainda criaram uma passarela piso de vidro temperado sobre um abismo. O que vou fazer lá? Tô fora.
    Meu abraço amiga e beijo de paz e luz.

    ResponderExcluir

QUERIDOS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso