23 de fevereiro de 2010

O MENTIROSO COMPULSIVO


- Tais Luso de Carvalho


Não há coisa mais infame e desgastante do que lidar com os mentirosos compulsivos; eu tenho muita dificuldade: fico com cara de enterro, ou me mando, não tenho paciência; é um defeito que trago de fábrica. É lógico que sei que são pessoas doentes, mas quando a coisa é demais, quando estou convicta de que tal pessoa está deitando e rolando, não encontro outro jeito; me estrebucho para ser educada, mas se fico ouvindo por muito tempo, me estresso. Falo do compulsivo, daquela criatura que não pode parar de mentir nunca; que mente pelas mínimas coisas. E segue todo desmedido pelo caminho afora.  

Não consigo ser condescendente, deixando que a criatura se espraie muito. Minha reação é mostrar o absurdo, e isso não leva a nada. O mentiroso tem o dom de exercer, nos que não mentem, um desconforto grande, é mestre em caluniar e difamar. Isso é terrível.

A mentira nasce na infância, quando a criança mente para fugir das culpas, das repressões e para conseguir o que quer; na adolescência, para fugir do controle dos pais e conquistarem a liberdade sonhada; na idade adulta, o vício de mentir pode torna-se grave a ponto de desbordar para a calúnia, para a injúria, para difamação, levando o mentiroso a responder por tais delitos. O mentiroso é antes de tudo um ser com complexo de inferioridade e uma auto-estima baixa.

O mentiroso mente sobre tudo, é o raio da compulsão: um filme que nunca viu, diz ter visto; um livro que nunca leu, diz ter lido; uma viagem que nunca fez, diz ter feito. O mentiroso diz tudo o que quer, é um artista na arte de mentir: fala mal da mulher do amigo como se a conhecesse há anos; fala de seu chefe com a liberdade dos intrometidos; fala da secretária como se dela fosse íntimo, acabam com o emprego dos colegas, e tudo com muita sutileza. É a compulsão de falar do ‘inexistente’. É um fantasioso nocivo. Sendo no meio familiar, essa conduta causa grande desarmonia. O mentiroso tem uma enorme capacidade de persuasão, de transformar mentira em verdade.

Para o mentiroso não importa a dimensão da mentira, como não importam as conseqüências desses atos fantasiosos. Por isso, o melhor é se mandar antes que sobre pra você, pois, acreditem, o mentiroso tem a capacidade de destruir, de intrigar, de colocar gasolina na fogueira e esperar a explosão.

Finalizando, sabemos que de tanto se ouvir uma mentira, de tanto que é repetida, pode virar verdade. Isso é conhecido: foi proferido pelo Ministro da Propaganda Alemã Joseph Goebbels, no Terceiro Reich.

Não falo daquelas mentirinhas bobas, daquelas que dizemos: 'hei, diz aí que não estou, que fui ao shopping...'. falo daquele que mente por doença; pra ver o circo pegar fogo, pra ver você se danar na vida.

Não analiso, aqui, o comportamento do mentiroso sob o ponto de vista terapeutico; pois não sou terapeuta.  Falo, apenas, da dificuldade que se tem em lidar com uma pessoa doente, e o tanto que é difícil de descartar. E como leiga, a observação, a experiência, a vivência e alguns critérios são válidos. Se assim não fosse, de nada poderíamos falar: de futebol, apenas os técnicos; de política, apenas os políticos; de comportamentos, apenas técnicos da área. Seríamos tolidos em emitir nossas opiniões. Quando somos analisados, não só aprendemos a nos conhecer, como fica bem mais fácil de se perceber pessoas com alguns transtornos.  Principalmente este: a compulsão, doentia, por mentir. E não é muito complicado de se perceber...


33 comentários:

  1. É verdade,a mentira é pior dos defeitos a pessoa inclusive é dissimulada...

    ResponderExcluir
  2. Platão já nos alertava sobre a empatia dos sofistase o quanto esses podiam sair ilesos sem a inspeção da sua dialética - que mais parecia uma retórica. Não mudou nada, claro que não. Burro é quem acha que a filosofia pertence ao passado, e que o planeta se transforma inteiramente a cada volta em seu eixo.

    ResponderExcluir
  3. E existem tantos, Tais...

    Uma boa noite para si.

    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Verdade, Tais, verdade. Mas há de se lembrar que existe certa mentira da qual nenhum de nós consegue escapar. Há livros contemporâneos e filósofos antigos que trataram do assunto (encontrá-los e fazer uma bela resenha de obras sobre o tema é tarefa para o Pedro! hehe), mas, em linhas gerais, sabemos que é impossível viver sem mentir, pelo menos um pouco.

    Quanto aos compulsivos, objetos dessa sua boa crônica, diria que eles deveriam derivar sua criatividade para a literatura e fazer como nós, escrever! Dariam bons contistas, não acha? Ajudariam a fomentar esse mundo de cultura, e não ficariam por aí, a aporrinhar a paciência da gente.

    bjão
    Cesar

    ResponderExcluir
  5. Interessante abordagem do problema da mentira e da intriga que é ainda mais nociva.
    beijos

    ResponderExcluir
  6. oi querida.. o que eu mais detesto é a mentira. seu texto está perfeito, maravilhoso. eu tive o azar de conviver com uma pessoa mentirosa..uma colega de trabalho..ela fez da minha vida um inferno.. lindo dia para ti..beijão

    ResponderExcluir
  7. É isto, Taís!

    Meu avô dizia: Cuidado! A mentira tem pernas curtas, mas... elásticas.

    Melhor ficar longe das mentiras e dos mentirosos embora, às vezes, seja muito difícil detectá-los tais as artimanhas empregadas para vestir mentiras como verdades.

    Bjs e inté!

    ResponderExcluir
  8. Realmente é muito difícil. Temos um transtorno em psiquiatria que denominamos de "mitomania". Agora, é claro que tem aqueles que mentem para ganhar vantagens (relacionado ao desvío de caráter e não de ordém mental).

    Abraço

    Mariza

    ResponderExcluir
  9. Odeio mentira!!!

    Aliás postei um texto sobre isso no meu blog justamente porque isso me irrita muito.

    Parabéns pelo texto, fazia tempo que não passava por aqui...

    Abraço.

    ResponderExcluir
  10. A punicao de um mentiroso nao é de afinal ninguem acreditar nele, mas dele mesmo mesmo nao poder acreditar em mais ninguem.


    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Acho que é impossível convivermos longe desse tipo de gente,pois estao por todos lados, infelizmente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Boa tarde, Taís, passando neste novo espaço para mim, entrando em contato com tuas crônicas, com tua percepção do mundo. Espaço interessante, gostei desse escrito sobre o o mentiroso compulsivo, um fato tão desagradável mas infelizmente tão comum na sociedade, na própria família.
    Belos poemas pude ver aqui, voltarei mais vezes. Um abraço.

    ResponderExcluir
  13. Cara Taís!


    Praticamente todos momentos em que estive aqui foram foram oportunos e extremamente divertidos, nesta crônica não podia ser diferente...
    Peço agora licença para fazer jus a minha inconveniência e remeter-me ao comentário da companheira, ju rigoni, que me fizeste lembrar um camarada que sempre dizia com um sorriso maroto estampado na face "e lá vai a mentira!", apontando para uma moça baixinha qualquer de pernas curtas.
    Além disso, saúdo o Cruz! Quem não mentiu hoje? Não mentiu nem mesmo pra si? Ah, creio que não... Na minha opinião, é como se o ser humano fosse naturalmente mentiroso, uma espécie de mecanismo de defesa.

    (Dois personagens meus aguardam sua visita).

    Sem mais delongas.

    Hasta!

    ResponderExcluir
  14. Nossa sociedade desenvolve todo o tipo de desvios de conduta. Os mentirosos são realmente um aborrecimento justamente porque não se consegue acreditar no que dizem mesmo quando falam a verdade. Pior, na realidade sentimos que eles nos consideram bobos por estar ouvindo aquele monte de mentiras. Há também os fantasiosos, aqueles que não tem um centavo e vivem te dizendo planos mirabolantes para o futuro, grandes aquisições que faram , etc. Viver é a arte de conviver, mas que em certos casos é difícil, muito difícil.
    Um abraço

    ResponderExcluir
  15. Oi Tais,
    Tenho horror de pessoas que mentem compulsivamente. Querem a todo custo mostrar "superioridade"...são os donos da verdade...conhecedores de tudo e de todos.
    Na verdade são uns coitados, frustrados e sonhadores. Mas que me incomodam muito.

    Adorei que visitou meu blog.Volte sempre !
    Abraço.

    ResponderExcluir
  16. olá Taís, realmente a coisa que eu mais detesto é a mentira...e o pior de tdo é quando se acredita nela.
    Bjos.

    ResponderExcluir
  17. Olá:
    Adorei seu texto parabéns! Fui casada com um psicopata por muitos anos, e sei o que um mentiroso, profissional é capaz de fazer em nossas vidas.
    Beijos fique na luz e na paz.
    Fátima

    ResponderExcluir
  18. Oi Tais,

    Que ótimas suas crônicas! Abaixo à repressão das passarelas! Aliás, mais repressora até que o espartilho, por refletir um comportamento, um modo de vida a ser seguido que atingiu um grau de importância muito maior do que o que deveria ter. Existem mesmo mulheres, e o que mais assusta é que não são poucas, que passam a vida perseguindo um padrão de beleza que não condiz com a realidade. Ahh... e a mulher vazia! É ela que vive por esse padrão! haha... Você tem toda razão! Tudo cai um dia! A gravidade é cruel! E aí o que sobra?

    Concordo com você sobre mentirosos compulsivos; são casos de imaginação e criatividade mal canalizada. Mas também acho que a nossa sociedade nos induz a mentir. São as famosas desculpinhas que vão tomando corpo para alguns.

    Parabéns pelas crônicas. Seus textos são inspiração para quem tá começando nesse caminho das palavras.

    Só não recomendo meu blog, que ultimamente tá meio parado. Desanimei um pouco de escrever.
    Se passar lá leia A cadeira-cama.

    Um abraaço enorme moça!

    Deva

    ResponderExcluir
  19. Concordo com vc. A mentira quando contada pra nos fazer dar risadas até que é gostoso ouvir. Isto é, aquela mentira contada em forma de causo. Mas a mentira para prejudicar é lamentável.

    BJ

    ResponderExcluir
  20. Olá Tais!

    Vim retribuir a visita e agradecer o carinhoso comentário no meu blog!

    Publicar palavras tuas foi um prazer, pois me identifico muito com sua opinão e a forma como escreve.

    Também devo ter um defeito de fabrica...não suporto mentira e quero distância de gente mentirosa. Já fui vítima de mentiras que me marcaram com muito sofrimento... inclusive estou postando sobre a mentira no meu blog...espero o seu comentário.

    Adoro o seu blog...estou sempre "espiando"...rs

    Beijocas mil...
    Lia♥

    ResponderExcluir
  21. Oi Taís,

    Passei para lhe dizer de VERDADE que escrevi sobre gratidão e você é uma estrelinha que brilha nestas entrelinhas.
    www.cristinasiqueira.blogspot.com

    Com carinho,
    Cris

    PS-O mentiroso patológico é tão convicto que cria uma verdade e a administra à perfeição.Deus me livre!

    ResponderExcluir
  22. Muitas vezes a mentira não é um defeito e sim uma doença, a pessoa nem percebe que está mentindo e precisa de tratamento. De qualquer forma é muito difícil conviver com uma pessoa assim.
    Beijos

    ResponderExcluir
  23. Oi eu estou precisando de alguém para fazer um desenho que irá ilustrar um E-book que estou produzindo, e futuramente um livro.
    O nome do livro é:Vivendo com o inimigo - uma historia de dor e superação na violência doméstica
    Caso queira se inteirar mais do assunto antes de me responder leia essas duas meterias em meu blog.
    http://araretamaumamulher.blogspot.com/2010/02/por-favor-leia-ate-o-final-depois-voce.html
    http://araretamaumamulher.blogspot.com/2010/02/vamos-resolver-esse-problema-de-uma.html
    Encontrei amigos que estão formatando e corrigindo os erros de português, outra amiga está transformando em E-Book, mas ainda não encontrei ninguém para fazer os desenhos da capa.
    Aguardo uma resposta sua.
    Mas fique a vontade
    Beijos no coração.

    ResponderExcluir
  24. Olá Taís,

    muito interessante seu espaço e sua crónica sobre mentiroso compulsivo.
    Desses temos que nos afastar se não queremos que a nossa vida seja um inferno.
    Uma doença que é bem possível não ter cura.

    beijinhos

    ResponderExcluir
  25. Tais, querida.
    Conheço muitos... que mentem por tudo e por nada.
    E se for psicopata então, a coisa fica mais do que grave.
    São mestres da persuasão e teatralidade.
    Odeio mentiras.
    Excelente seu post.

    Muitos beijos

    ResponderExcluir
  26. Oi Tais,
    Gostei do seu texto...conheço algumas pessoas assim e nem é pq moro em Brasilia, heim? rsrsrs

    bjos poetisa!!!

    ResponderExcluir
  27. Olá Taís

    A mentira é um defeito com o qual não consigo conviver. A base de qualquer relação deve ser a confiança e num mentiroso não se pode confiar. Tudo fica em causa, até algumas verdades que eventualmente eles digam!
    Simplesmente não se pode viver em constante desconfiança...
    Grande post este!
    Um beijo bem grande:)

    ResponderExcluir
  28. Mas isto não seria um mentiroso, mas sim o psicopata (como Ivone da caminho das Índias, senão me engano)...

    Fique com Deus, menina Tais Luso.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  29. Não se pode bancar o santo. Ja disse várias mentiras. Mas com o tempo percebemos que a mentira é uma granada que você cria e passa pra frente. mas no final ela explodi em sua mão!!!!

    ótima crônica!!!!

    ResponderExcluir
  30. Tais,
    adorei o texto! Tenho um caso na família e é realmente complicado conviver com um mentiroso compulsivo. Parece que estamos pisando em areia movediça o tempo todo. Bjo

    ResponderExcluir
  31. Mércia Peixoto20:06

    É muito triste e complicado lidar com alguém assim, infelizmente eu convivo com um mentiroso compulssivo e o pior é não encontrar uma maneira de ajudá-lo, acho que no fundo até ele sofre com isso, porque eu acabo descobrindo todas as mentiras e aí é só sofrimento pra toda a família.

    ResponderExcluir
  32. Tais, não me canso de ler teus textos! Pena que demorei a entrar na blogosfera, tantos textos teus que eu adoraria ter comentado assim que foram postados...
    Este aqui, por exemplo, é coisa séria! Tanto quanto você, tenho horror a mentirosos - os compulsivos e os malandros também! Mas os compulsivos, esses inconsequentes, causam o maior estrago na vida daqueles que caem em suas ciladas... isso esteve muito perto de acontecer comigo, há anos atrás! A mulher armou o incêndio de todas as maneiras, impressionante. Quase destruiu amizade de anos! E depois, mesmo desmascarada, criou alternativas com novas mentiras. Só então compreendi a compulsão da pessoa e, para evitar a cara de enterro que você citou, tratei de limitar nosso contato. Pelo que sei, a criatura ainda vive no mesmo lugar, contando as mesmas mentiras para quem quiser acreditar... Bem que podia seguir o conselho do Cesar Cruz e escrever uma ficção para quem quiser ler, não é? rsrsrs

    Beijos

    ResponderExcluir
  33. Anônimo09:55

    disse tudo!!! o pior é que convivo com meu pai, que é mentiroso e fantasioso, ele atrai para si pessoas que o enganam descaradamente, já disse isso para ele acredito que isso seja uma espécie de loucura que não o deixa cair em si ou o estágio dele está pra lá de crônico ... não sei mais o que fazer é mesmo desconfortante.

    ResponderExcluir

QUERIDOS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso