8 de dezembro de 2013

FUZIS E JASMINS



 por Pedro Luso de Carvalho / às Mães da Praça de Maio, Buenos Aires.

Há muito tempo, cobriu
a sofrida pátria
nuvem de chumbo,
quando a moça ainda regava
os seus jasmins.

A moça queria pães
para bocas famintas
– soldados e fuzis vigiavam
as  sendas –, os seus jasmins
haviam de esperar.

A moça enfrentou soldados
e fuzis. Na noite cúmplice,
jogaram seu corpo
na erma vala (na boca,
rosa vermelha de sangue).

Hoje quem passa por esse campo
deserto ouve as lamúrias
do vento
e sente o perfume
intenso dos jasmins.

_________________________________




 Blog Veredas








20 comentários:

  1. Pedro, há dias assistimos pelo Canal Curta, um programa com mulheres que deram seus depoimentos sobre o que sofreram, o tanto que foram torturadas no período da Ditadura. Tive certeza, pela tua emoção, que postarias algo sobre aquelas mulheres.
    Adorei os delicados jasmins contracenando com a brutalidade dos fuzis - nada tão desigual, tão covarde. Jamais o Brasil esquecerá daquela época das trevas, em que mergulhamos na barbárie.

    Beijinho, aqui do gabinete do lado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Taisinha:

      Agradeço a todos os amigos que venham a comentar a tua postagem do meu poema "Fuzis e Jasmins", com o qual presto minha homenagem às mulheres brasileiras que sofreram torturas (muitas das quais foram mortas) pela Ditadura Militar.

      Um grande abraço a todos.
      Pedro Luso.

      Excluir
  2. FLORES & GUERRA
    No início Homo sapiens cultivou flores
    Contudo essa infeliz criatura muito erra
    Assim como encheu o Planeta de olores
    Num átimo inventou a maldita guerra.

    Nunca mais em paz permaneceu então
    Deu azo tremendo ao espírito belicoso
    Trancou trancado bom senso no coração
    E a humanidade tomou rumo perigoso

    Flores esquecidas murcharam no solo
    Enquanto malditos fuzis ceifavam vidas
    Ao invés de bondade imperou o dolo

    A paz e comunhão finaram esquecidas
    Ciência da guerra para crianças de colo
    E até nas cartilhas batalhas eram lidas.

    ResponderExcluir
  3. Tempo negro da vitória da força sobre a sensibilidade, da estupidez sobre a inteligência, da insensatez sobre a coerência... "Onde se via chifres em cabeça de cavalos".

    http://apoesiaestamorrendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá Taís! Passando para te cumprimentar e apreciar este belo e um tanto metafórico poema do Pedro. Será que a guerreira é quem estou pensando? Excelente escolha amiga.

    Beijos, um bom domingo e uma ótima semana pra ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Furtado, pelo que sei, essa é uma homenagem a todas as mulheres que morreram e outras tantas que foram torturadas durante a Ditadura Militar. E a todas que apareceram no depoimento exibido no Canal Curta - ainda vivas. Também a que você está pensando, está incluída entre elas, que também foi torturada.

      Beijos e ótima semana.
      Obrigada pela sua presença e comentário.

      Excluir
  5. Que linda e profunda poesia do teu marido! Bela inspiração ! Uma linda semana e desde já, desejo FELIZ NATAL e que nos encontremos em 2014 sempre com alegria e saúde...(estou antecipando pois ao final dessa semana chega o filho e neto de longe e então só curtição ocm a família toda! beijos,chica

    ResponderExcluir
  6. Que lindo!

    Família de talentosos!!!

    grande abraço Tais, ótimas festas pra você

    Leila

    ResponderExcluir
  7. Anônimo13:10

    Querida Tais, belas escolhas, a começar pelo poema do dr Pedro, sensivel e cruel, a forma dele contar em verso a crueldade do ser humano; oportuno título, forte, belo, intrigante, como assim Fuzis e Jamins ? - gostei disso - e meu Iberê Camargo, dos artistas plásticos do mundo, este gaúcho tem latifúndio no meu coração, amo demais a obra dele, a este traço destraço que me comove tanto. Parabéns querida Tais, é sempre bom estar aqui, pois há sempre uma possibilidade...
    Querida amiga obrigado, adorei teu testemunho lá no bloguinho, fiquei tão comovido e feliz...
    ps. Meu carinho meu respeito minha admiração e meu abraço.

    blog do jair ou histórias de músicas e pessoas

    ResponderExcluir
  8. Tais, há tempos que não podem ser esquecidos, há fatos que ficaram tatuados nos corações de muitos. Seu marido construiu um lindo poema para mostrar sua indignação e, ao mesmo tempo, homenagear as mulheres que foram vítimas de tamanha barbárie.
    Tenho adiantado meus votos de Feliz Natal para não me esquecer de ninguém (rss). Desejo que viva um final ano abençoado, em clima de união, paz e amor. Grande beijo!

    ResponderExcluir
  9. Olá!Boa noite,Taís!
    e Pedro Luso... bela homenagem à mulher,vilipendiadas, torturadas e mortas na época da DM ...com poucos registros históricos pertinentes, de resgate de parte das lembranças e consequente construção de uma história pouco contada...
    agradeço pelo carinho, obrigado, bela semana, beijos e abraços!

    ResponderExcluir
  10. Venho lá do Pedro e vi outras belas reflexões que me fizeram seguidor e leitor por lá.
    Aqui irretocável forma poética de expor as tripas de um monstro que veio para destruir e causar dor e sofrimentos desconhecendo os limites cabíveis do ser humano. Onde a maldade espalhou veio a flor simples e corajosa perfumar.
    Parabéns ao Pedro e que a consciência seja o leme de nossas ações e pensamentos num mundo melhor,mais justo e humano.
    Grato pela partilha e oportunidade de conhecer mais uma ótima pagina.
    Um carinhoso abraço amiga Tais.
    Bjo na alma amiga.

    ResponderExcluir
  11. É, Parece que o alvo é o que estou pensando mesmo. Rsrs.

    Beijos para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  12. Belo poema Taís!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  13. Que poema bonito! "InTenso" e perfumado! Bjs.

    ResponderExcluir
  14. Olá Tais,

    Um poema lindo e de profunda sensibilidade do Pedro Luso.
    Observo que a família é prestigiada pelo talento.
    A tela de Iberê Camargo compõe maravilhosamente o poema.

    Na oportunidade, deixo-lhe meus votos para um Natal de amor e paz e um Novo Ano de grandes alegrias e sucesso.

    BOAS FESTAS!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. Boa noite, Tais!
    Parabéns ao marido , poeta de mão cheia. Verifico que a família é toda dotada de "engenho e arte"!!!
    Boas Festas e Feliz Natal junto dos que lhe são queridos.
    Abraços.
    M. Emília

    ResponderExcluir
  16. Tais,
    Uma bela homenagem do seu marido, a essas mulheres que sofreram querendo colher jasmins ao invés de colheres a brutalidade da guerra. Infelizmente que enfrenta a força bruta dos fuzis, por alimento e comiseração, não encontram guarida, mas a morte. Vale lembrar um tempo de ignorância,,,
    bjkas doces

    ResponderExcluir
  17. Parabéns ao Pedro, a sensibilidade presente acima de tudo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Olá! estou passando para desejar Feliz Natal! e um próspero Ano Novo! que seus sonhos sejam realizados em 2014 Bjs.http://www.ficarbem.com/

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso