28 de setembro de 2012

DRUMMOND / Poema da Necessidade



(Carlos Drummond de Andrade)

É preciso casar João
é preciso suportar Antônio
é preciso odiar Melquíades
é preciso substituir nós todos.

É preciso salvar o país
é preciso crer em Deus
é preciso pagar as dívidas
é preciso comprar um rádio
é preciso esquecer a fulana.

É preciso estudar volapuque
é preciso estar sempre bêbado
é preciso ler Baudelaire
é preciso colher as flores
de que rezam velhos autores.

É preciso viver com os homens
é preciso não assassiná-los
é preciso ter mãos pálidas
e anunciar o fim do mundo.

------//------
ed. Companhia das Letras / 2012 – pag 11.


23 comentários:

  1. Oii Taís, é preciso pagar as dividas, rsrs não sei por que essa parte soa tão ruim né mas faz parte rsrsr parabéns! Bjooosss

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela escolha!Gostei, bem atual...beijos,chica

    ResponderExcluir
  3. Querida adorei tela do Grito como ilustração deste Poema das Necessidades de Drummond.
    São estas e outras tantas mais, porque nunca deixamos de querer e de precisar.
    Gosto de passar por aqui porque sempre tens algo especial publicado.
    Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  4. Olá, amiga ELOAH, realmente nossas tantas e infindáveis necessidades muitas vezes nos levam a um caos. Se pararmos pra pensar, dá para entrar em desespero! Mas o homem é isso, produto do meio e escravo de suas próprias ambições.
    Achei que a obra de Munch ilustra bem essa loucura dos habitantes do planetinha...

    Beijão
    Tais

    ResponderExcluir
  5. Limerique

    É preciso Taíses alumbradas
    Que com poesias inspiradas
    Nos acordem
    Ponham ordem
    Em nossas vidinhas alienadas.

    ResponderExcluir
  6. Muito bem escolhidos, Poema e tela,
    perfeitos um para o outro." ´
    Abraço Tais.



    ResponderExcluir
  7. Limerique

    Na verdade Tais usou o poeta
    Para conduzir-nos via indireta
    Desviando dos perigos
    Livrando de castigos
    Como num labirinto de Creta.


    ResponderExcluir
  8. Oi, JAIR, obrigada por sua presença sempre com comentários relevantes ou através, também, dos limeriques.(limerick).

    Grande abraço.
    Tais

    ResponderExcluir
  9. Oi Taís!
    Incrível como este poema é pertinente.rsss
    Apreciei a escolha! Adoro Drummond!
    Beijinhos e um lindo fds!

    ResponderExcluir
  10. VALÉRIA, LOURDINHA E CHICA, bota atual nisso, amigas...Gosto de poemas assim, que nos tocam, que dizem muito pra todos. E Drummond nos passa a realidade cada vez invadindo mais nosso espaço. Mais presente do que nunca.

    Beijos pra vocês! Obrigada pela presença.
    Tais

    ResponderExcluir
  11. Olá Tais, querida amiga, Drummond já sabia que o Poeta precisa dizer muita coisa, inclusive de que precisa pagar suas contas. Bela escolha!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  12. Amiga querida, demais tuas escolhas de poemas, amei demais esse do Drummond, eu não conhecia, obrigada por compartilhar, e seja sempre bem vinda, o meu cantinho de decoração, acende a luz mais forte para você, entrar e sentar, bjos, flor, fique bem!

    ResponderExcluir
  13. Sabemos o que é preciso...mas saberemos o que queremos?
    Drummond, sempre atual e preciso...

    Abraços

    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  14. Vilma, Eva e Bíndi, obrigada, realmente me esmero nas escolhas... Posto poemas que me tocam, relatos verdadeiros do nosso cotidiano e que deixam alguma mensagem.
    Beijos, bom tê-las aqui.

    ResponderExcluir
  15. Oi Tais,

    um lindo poema do Drumond. Parabéns pela escolha!

    É preciso buscar seus pares, seus afins e formar com eles uma grande roda... ainda que virtual. Assim é a nossa blogsfera, um lugar onde os afins se encontram.

    Bjs Tais e ótima semana!

    Leila

    ResponderExcluir
  16. Oi, querida Taís!
    Confesso, confessadíssimo, que não lembrava desse poema de Drumond!
    O que é uma pena, mas que, graças a você, ei-lo de volta ao meu entorno!
    Às vezes essa história do é preciso isso ou é preciso aquilo, é irritante! Mas, como fazer diferente?
    Ainda é preciso tanto, tanto, tanto em nossa evolução, que haja! Haja tempo e coração com boa vontade!
    Bjssssssssssssssssssss, quérida!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, querida Brechique! Sim, esse poema é lindo, e apesar de tantas coisas irritantes o que é 'necessário', mesmo, é fazermos o possível para levar uma vida com paz. E se der, com reduzidas necessidades.
      Gosto de poemas que falem do real, do concreto, sem sonhos. Poemas que me mostrem a vida como ela é. E Drummond é isso.

      Beijo carinhoso.

      Excluir
  17. Olá Taís,
    Bom voltar aqui e encontrar em sua postagem este relevante poema de Drummond. Saudades suas Taís, Meu carinho para você.

    ResponderExcluir
  18. Oi, DALINHA... Saudades de você, menina!!!
    Um beijão!

    ResponderExcluir
  19. Tais!

    Como é bom ler Drummond! Escolha perfeita para esta época de "necessidades" que vivemos... É preciso isso, é preciso aquilo... focamos tanto naquilo que falta, naquilo que ainda não temos! De tanto "precisarmos", acabamos nos convencendo de que coisas supérfluas são urgências, a ponto de entrarmos em depressão se não as temos! Esse é o nosso mundo e, como dizia Renato Russo, o que é real nunca é o bastante...

    Gostei muito, vir aqui é um prazer sempre! Beijos - antecipando as felicitações por uma data especial que está chegando... rsrsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SUZY, querida! É isso, uma vez Drummond...sempre Drummond! E pensando bem, quase tudo é supérfluo, não?
      Mas olha como te conheço... eu sabia que você vinha nesse dia. Obrigada pelas felicitações, rssss. Espera que já entro na 'linha'.
      Grande beijo, amiga!

      Excluir
  20. É como se ele estivesse a escreve agora,sentado numa cadeira na varanda de sua casa.
    Casa esta reconstiutida que fica perto da casa da minha mãe,chic né?
    Bela escolha para uma partilha de reflexão.
    Meu terno abraço Tais.

    ResponderExcluir
  21. São tantas as necessidades impostas! Na verdade, precisamos de muito pouco para encontrar paz e bem estar. Bjs.

    ResponderExcluir

QUERIDOS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso