18 de fevereiro de 2016

FÉRIAS: MULHER E MALAS!!





            - Tais Luso de Carvalho


Nada como uma mala de mulher em véspera de viagem. É um suplício.
Mulher não tem noção do que é demais dentro de uma mala. Claro que há exceções. Mas eu não sou uma exceção. Por enquanto.
Lembro bem das nossas viagens de férias – desde quando nossos filhos eram crianças. Eram quatro malas que se desdobravam em doze. Mas falando mais da minha, ia carregada de roupas para as quatro estações, além de vários  CDs, incluindo Vivaldi para sairmos alegres e otimistas, após uma zorra total.
Levava uma havaiana, tênis, alpargatas e sapato mocassim de salto – para usar não sei onde. Calça jeans, legging, blusas, livros, maquiagem, escovas e perfume, além de uma elaborada farmácia: remédios para o estômago, para estresse e para dores do corpo inteiro. Malinha cheia de porcaria para garantir as férias da família e acudir alguém lá pela madrugada adentro.
Também jamais esqueci do estiloso costureiro, para ninguém ficar com as calças na mão. Tudo na minha mala. Mas... E os guarda-chuvas? Na Serra chove... 
Também tinha a mala do nosso cachorro, com os telefones do veterinário, comida, tigelas, travesseiro, coberta, capinha de chuva e brinquedos. Cachorro brinca. Portanto essa mala jamais poderia ser esquecida. Era a principal. Somos cachorreiros. 
Chegando na cabana reservada, as malas saiam do carro mais parecendo coelhas parindo. Eram malas e sacolas. Dois terços de todas as malas ficavam intactas, quase nada era usado, mas garantiriam qualquer dúvida.
Na metade das férias eu olhava aquele terror inútil  que gerava mais bagunça e crises. Os homens da casa puxavam as últimas roupas da mala e... vinha tudo! Eram organizadíssimos. Credo.
Mas, lembro do fim das férias, do dia em que Pedro começou a colocar as malas e malinhas de volta no carro... Bateu-lhe um desespero. Ficou meio desatinado das ideias. Pensou em passar as próximas férias em casa, igual ao Fernando Veríssimo – que adora ficar em Porto Alegre no verão: cidade vazia aos seus pés.
Quando estávamos na estrada, de volta, e com cara de estivadores, lembrei que esquecera a mala do nosso cachorro num canto da cabana, ao lado do sofá.
CRUZES!! Pé na estrada, deixa as malas!
Faceiros e ao som de My Way , estávamos loucos para descansar...
Em casa.



35 comentários:

  1. OI Taís
    Organizar mala para viajar é mesmo um suplício. Levamos coisas em excesso. Sem falar no estresse que é fazer tudo aquilo caber de volta na mala quando estamos voltando de uma viagem
    Adorei o conto. Bem real e cai como uma luva para todas nós rsrs
    Uma linda noite
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Noooooossa! Me vi direitinho porcaí! Adorei ecdeibrisada na sala de espera Moinhos Vento!����bjs chica

    ResponderExcluir

  3. Nossa Taís viajar em família é mesmo trabalhoso! Temos que pensar em tudo!
    A nossa responsabilidade de mãe e esposa, faz com que sejamos exageradas por medo da família sofrer carência, mas puro engano, sempre acaba voltando quase tudo. Tentei ser mais restrita comigo, tanto que nesta minha última viagem, me faltou roupas...rsss.
    Mas o difícil é a volta!
    Um grande e afetuoso abraço, amiga.
    E um ótimo final de semana!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  4. Lendo aqui me fez rir, eu adoro viajar, descanso pra valer, levo só o necessário que anoto um mês antes para só pegar no penúltimo dia,(sempre penso, se eu precisar de alguma coisa, com certeza encontrarei no mercado do lugar), assim relaxo e deixo tudo fluir, e olhe que sou vaidosa, não descuido de minha aparência e tudo sempre dá certo.
    Fui pegar minha nora e o meu casal de netos no aeroporto e as malas deles, para passarem quinze dias em minha casa, me assustaram, eram cinco e grandes, não sabia como ajeitar em meu carro, rsrs, quase disse a eles que precisariam esperar duas viagens de carro ou pegar um táxi, nisso foi que ri da sua postagem, eu não sou normal, vocês são,rsrs!
    Amei ler aqui minha linda, beijos e abraços bem apertados!

    ResponderExcluir
  5. Taís, sua narrativa me fez interagir mentalmente com tudo o que também já passei... Por essas e tantas outras que meu retiro de férias é em meu doce lar mesmo... Chega de buscar sofrimento...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Assim que uma viagem se anuncia
    Malas se enchendo são um calvário
    A maioria do conteúdo, esdruxularia
    Levas de trecos, lixo desnecessário
    Ah! mas minha mulher é só alegria.

    ResponderExcluir
  7. Taís,
    Por acaso, minha mulher e eu estamos de viagem marcada no dia 22/02 para a Austrália. Imagine você a odisseia "bagagística" a que estou submetido por causa dessa viagem de 66 dias. Eu pretendo arrumar minha mala na véspera e, se faltar algo, só saberei quando chegar ao destino, de modo que nada me preocupa. Já a minha cara metade está arrumando as duas malas dela desde um mês atrás, e já desarrumou umas tantas vezes. No meio da bagunça generalizada das arrumações e desarrumações fico eu contemplando e filosofando sobre essa faina que não compreendo.
    Gostei da tua postagem, parabéns.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jair, que beleza de viagem, mas imagino sua mulher, as malas!! Coitadinha, rss. E lá tem tudo que precisar. Mas mulher é assim, nunca viaja sozinha, levamos a casa. Homem é prático; mulher é complicadíssima. Desejo ótima viagem a vocês!!!
      Grande abraço, meu amigo!

      Excluir
  8. Querida gêmea: ri, ri, muito, lendo sua crônica...Acho que em questão de malas nós mulheres somos iguais.
    Mas esquecer a mala do dog foi muito hilário!
    Parabéns pelo bom humor, amei!
    Mil beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  9. Cronica perfeita, cara amiga Tais; aliás, todas ótimas (perfeitas) Lendo esta, vejo minha preparando sua malas ao sair para as férias, é uma loucura.
    Também penso como o Luis Fernando, Porto Alegre é ótima nas férias de verão.
    Um abraço. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  10. Tais, enquanto ia lendo, recordei o meu tempo da guerra em Angola, em que andei por muito sítio, muito com a casa às costas durante meses. Por vezes, vinha uma ordem e a bagagem tinha de estar sempre preparada. Vinte e sete meses, considerei férias, mas verdadeiramente, apenas pude preparar bem o regresso. Ficou foi a lição da simplicidade, de transportar o essencial e na arrumação, que vim a transmitir, exemplificando.
    Abraço

    ResponderExcluir
  11. Yo hace muchos años que he aprendido a viajar ligera y aun con esto me doy cuenta que hay cosas de las que hubiese podido prescindir, pero sé muy bien que no todos somos capaces de hacerlo, tan solo es una exigencia personal.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  12. Taisinha,

    Muitas das vezes que me lembro daquelas férias mais longas, com aquela montoeira de coisas que levávamos, vejo que aquilo tudo me deixoui traumatizado. Era demais para minhas forças.

    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  13. Ah, as malas das mulheres.
    Aqui nas viagens eu ficava admirando como conseguia colocar tantas tralhas numa mala era bem parecido com o relatado.Depois passei a orientar a levar menos coisas para ter espaço para as novas tralhas,kkkk deu certo.
    Posso imaginar a cara do Pedro olhando o porta malas inoperante,kkkkk
    Um bom lindo fim de semana para voces Taís.
    Meu terno abraço amiga
    Bju paz.

    ResponderExcluir
  14. Olá Tais, como me revejo nesta tua crônica.
    Gostei muito :)
    Beijinho e bom fim de semana

    ResponderExcluir
  15. Oi, Tais!...
    Me revi em seu texto... também eu sou um pouco assim... sei que levo sempre coisa de mais... para qualquer lado... mas sempre acabo por reincidir no erro... Acho que sou um caso perdido!...
    Beijos! Bom domingo!
    Adorei seu texto, por demais!
    Ana

    ResponderExcluir
  16. Ainda bem que vocês não esqueceram o cachorro...
    Mas, é assim mesmo, o melhor lugar para descansar nas férias,
    é em casa... É o que dizem, né?
    Muito bom, Taís!!!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  17. A gente relaxa o corpo e a alma lendo trecho assim, Tais.
    Esta de mala para cachorro, nunca ouvi falar...
    Abraço

    ResponderExcluir
  18. SIEMPRE TUS PLANTEAMIENTOS SON MUY INTERESANTES.
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  19. Olá, Bom dia,Tais... gosto do seu tom bem humorado em suas crõnicas... e não é que é verdade, o melhor lugar para descansar é em casa, que diga o meu sofá...que susto,pensei que tinha esquecido o cachorro...que lindo,a mala do cachorro e adoro My Way...
    quando de minha primeira viagem com a minha mulher, a ajudei na montagem da mala...e é assim mesmo: preciso levar isso por causa disso, aquilo por causa daquilo e a mala dela ficou cheia e a minha,orgulhoso, somente com o básico, cheia de espaço...mas, isso foi só na ida...porque, na volta, tudo que ela tinha esquecido de levar , ela acabou comprando e adivinhe:-Felis,ainda bem que sua mala veio vazia, posso colocar o que comprei, na sua?
    Obrigado pelo carinho,belo domingo,belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
  20. rsrsrs...
    Tudo muito parecido comigo-rs.
    Estou tentando mudar, mas tenho dúvidas a respeito.
    Levo até gozação por parte das minhas irmãs, mas quando elas precisam de algo está tudo lá para eventual socorro, inclusive o kit costura-rs.
    Imagino o desespero do Pedro, mas ele parece ser bem equilibrado. Nem pense em imaginar o procedimento do meu marido em tal circunstância (Virgem Maria!!).
    Parece piada, mas a verdade é que de muitas férias precisamos de descanso-rs.
    Que se dane a mala do cachorro nesta alturas, hein?? Pedro que o diga-rsrs.

    Adorei a leitura.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  21. Quando parto para férias também me esqueço sempre de qualquer coisa...

    ResponderExcluir
  22. Diria que é uma crónica óbvia.....Toda a gente se revê aí....e
    muito mais....Pela minha parte tenho várias....Falta sempre o principal e levo imenso contrapeso.Normalmente esqueço o pijama...o carregador do telemóvel e os medicamentos do dia, que se não tomar....morro...etc...etc...
    Foi um gosto..
    Beijo
    É verdade ,....vergonha?..Qual quê...haja o primeiro que não escreve-se uma crónica bem recheada....

    ResponderExcluir
  23. As malas de férias são um suplício... Só não tenho cachorro, de resto é tudo muito parecido...
    Boa semana, amiga Tais.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  24. Rindo muito aqui...Tenho uma irmã que só não leva a casa dela na mala porque não cabe. Eu levo somente o essencial...Não sou de muitas malas!

    Bjusssssssss

    ResponderExcluir
  25. Tais, arrumar mala estressa. Pensamos no tempo, nas eventuais necessidades, em possíveis transtornos... e tudo que colocamos parece ainda pouco. Quando viajo de carro, fico mais tranquila, pois cada coisa que vem à mente ainda pode ser colocada em um cantinho (kkkk). Pior é de avião. A Vera sempre paga excesso de bagagem e voltamos sem usar 1/3 do que levamos. Os homens são tão tranquilos em relação a essa tarefa. O estresse deles vem é de nós (kkkkkkkkkkk). Amei sua bem humorada crônica. Bjs.

    ResponderExcluir
  26. É sempre um problema o fazer as malas para férias e por mais voltas que demos falta sempre qualquer coisa.
    Um abraço e continuação de uma boa semana.

    ResponderExcluir
  27. Faz tempo que não ando por blogs! Encontrei o seu por acaso... Bem, não me encaixo no seu texto rsrs. É que sigo muito aqueles tutorias do que levar e do que não levar em uma viagem. Comprei uma mala pequena e só levo o essencial. Eu gostei bastante do seu texto porque muita gente se encaixa no seu relato! Foi um prazer passar por aqui. Bjs

    ResponderExcluir
  28. Querida amiga Tais, apesar do estresse que toda viagem meio longa nos trás, férias principalmente, ri muito da leveza de tua crônica ao falar de algo estressante para descansar...nada como estar em casa, amo estar em casa, mesmo só, quando não estou na casa de minha mãe. Mas tenho um método que deve ser exclusivamente masculino, pego uma mochila, e la vão cuecas, camisetas, um par de tênis, jeans e tou pronto para por o pé na estrada. Se bem que ultimamente tenho preferido ficar em casa, a cada dia fica mais complicado minha saída para a rua, viajar, e nesta época de férias tem o agravante, para mim, muita gente nas estradas, nas pousadas, hotéis, até no mato...acho que tou meio neurótico e com medo de estar entre muitas pessoas, acho que é fase, mas enfim, adorei mais uma crônica tua.
    ps. Carinho respeito e abraço.
    ps2. Me descobri cachorreiro rs

    ResponderExcluir
  29. Querida Tais, acho que toda a mulher é assim mesmo :)
    No entanto tem excepções, a minha filha está na Tailândia à quase três anos, é bióloga, e a amiga acredita que ela só traz uma mochila quando vem de férias e quando volta de novo para lá, fico pasma!

    Agora toca a descansar! :))
    Um beijinho

    ResponderExcluir
  30. Boa noite Tais.
    Ler a suas postagens é uma terapia rsrs, acabamos nós descontraindo. Amei o seu carinho com seu cachorro, somos assim também. Lila tem mala e duas necessaire e o brinquedo dela predileto vai onde vamos rsrs. Eu como diz a minha filha sou caso perdido rsrs, ela extremamente organizada, a mala de viagem dela é só com o básico, e a minha parece que estou de mudança kkk. Uma feliz noite para vocês. Beijos.

    ResponderExcluir
  31. Olá, Taís!
    Tão bom te ler.
    "...as malas saiam do carro mais parecendo coelhas parindo" - ah, Taís! só esta pequena amostra de sua crónica já vale o dia de uma mulher daqui deste lado do oceano =)
    De sorriso rasgado, sigo, sem lenço sem documento, te lendo...

    ResponderExcluir
  32. Taís, como eu passei agora aqui uns bons momentos lendo as tuas crónicas tão engraçadas! São relatos de vida muito interessantes e cheios de humor... coisa que aprecio em fartura!!!
    Adorei a história das malas deve ser comum a muitas mulheres! Eu fazia isso, mas aprendi ao longo dos anos e da muitas viagens. Agora penso: se faltar algo, compro... mas um terço da mala fica efetivamente intacta!!!
    Com a idade isso passa porque já não podemos com a mala! Cada um leva a sua, por isso há que colocar o mínimo.
    Eu costumo fazer a mala uns dias antes e na véspera despejo-a e coloco lá dentro metade das tralhas!
    Gosto muito de vir ao teu espaço, onde me divirto com o conteúdo e aprecio seriamente a forma.
    Um abraço aí pró lado, ao senhor do escritório!
    Beijinhos da
    Teresinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UPS!!!
      Onde escrevi "intacta" leia-se "intacto"... o sujeito é um terço e não a mala!!!

      Excluir
    2. rs, sem problemas, obrigada pelo carinho, querida!
      Beijo!

      Excluir

MEUS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso