6 de julho de 2012

CURIODIDADES SOBRE OS JOGOS OLÍMPICOS


- Tais Luso de Carvalho


Ao sudoeste da Grécia localizava-se um santuário chamado Olímpia. Foi centro de competições esportivas dos gregos à partir de 776 a.C. A partir dessa data esse ano tornou-se o começo do calendário grego.

Na Grécia, o estádio era uma pista rodeada por taludes de terra, onde os espectadores se acomodavam – os degraus eram de pedra. O comprimento da pista, que se percorria uma só vez na corrida principal, deu lugar à medida grega de distância: o estádio - cerca de 192 metros. 

Os jogos Olímpicos realizavam-se de quatro em quatro anos. As competições duravam em média cinco dias, e às vezes chegavam às raias da violência, causando mortes entre os participantes. 

O mais violento dos espetáculos esportivos nas Olimpíadas da Antiguidade era o pancrácio:   uma luta entre dois atletas que beirava a morte; combinava o boxe e a luta livre. Tudo era permitido, exceto romper dedos, arrancar olhos e morder.

Se um atleta desobedecesse as regras estabelecidas era punido severamente. E os vencedores, principalmente durante o século V a.C., eram vistos pelo povo como verdadeiros heróis. Porém, nas  olimpíadas da Grécia antiga, os atletas recebiam um ramo de oliveiras pela vitória, não existia o conceito de medalhas.

Os atletas que fraudassem as regras sofriam a penalidade de financiar estátuas de bronze em homenagem  a Zeus e junto, no caminho para o Estádio Olímpico, era escrito o nome do fraudador e seu delito.

Corridas de cavalos, saltos, lutas, corridas a pé foram alguns dos esportes realizados durante doze séculos, até o ano de 394 quando foram extintos pelo então imperador Teodósio I, pois o cristianismo estava crescendo cada vez mais no Império Romano, e não aprovava o culto ao fogo sagrado e aos deuses pagãos que eram realizados.


O NU ATLÉTICO 

O interessante é lembrar que até o século I a.C., os atletas participavam destas provas, inteiramente nus, pois as túnicas não eram apropriadas para a ginástica. Conta a história que, certa vez, uma mãe queria assistir seu filho, mas como não podia  se disfarçou de treinador e conseguiu ver a competição.

Com a euforia da vitória do rapaz, o disfarce caiu e tudo foi descoberto. A partir de então, até os treinadores passaram a participar dos jogos, mas nus, também.
Em 1894 o Barão Pierre de Coubertin, não mediu esforços para implantar, novamente, os Jogos Olímpicos da Antiga Grécia, pois estava convencido da importância dos esportes. Porém não mais retomados com características religiosas. Assim, adotou a célebre frase esportiva:

' O importante não é vencer, mas sim competir'.     

De 6 a 15 de abril de 1896 seu sonho se realizava. Iniciavam-se, na Grécia, as novas Olimpíadas, compostas por 13 países e 311 atletas.


HISTÓRIA DA TOCHA

Como os gregos pararam com os jogos por cerca de 1000 anos e só voltaram em 1896 com os primeiros jogos modernos de Atenas - graças à Coubertin, como mencionei -,  o revezamento da tocha veio algum tempo depois.

A chama Olímpica é um dos símbolos das competições e evoca a mitologia grega quando Prometeu teria roubado o segredo do fogo de Zeus para entregar aos mortais, para que esses evoluíssem e se diferenciasse dos outros animais. Para celebrar a passagem do fogo aos homens, os gregos faziam corridas de revezamento. Os atletas passavam a tocha entre si até que o vencedor cruzasse a linha de chegada.

Nos jogos da antiguidade o fogo era considerado divino, e ficava aceso em muitos santuários de Olímpia. Acender a pira Olímpica depois do revezamento da tocha, tem sido um dos eventos mais emocionantes  até nossos dias. 


Um atleta recebe a tocha de uma jovem vestida com túnica branca, representando as antigas sacerdotisas. O trajeto, hoje, é feito por vários meios de transportes, cruzando montanhas e oceanos até seu destino. O último atleta acenderá a pira e deverá ser natural do país organizador. Ficará acesa até o último dia das competições.

O Modelo da tocha dos jogos de 2012 é de alumínio. Tem 80 cm, 8 mil furos e pesará 800 gramos.  A bandeira com seus aros entrelaçados sobre o branco significam a paz e a união dos continentes.

A abertura das Olimpíadas se dará no exato momento da chegada da tocha. Realmente é a maior maneira dos povos interagirem em torno de um objetivo comum: competir, representar seu país e sentir o orgulho de sua nacionalidade.

- Tochas -
clique nas fotos para aumentar


Para 2012 - Londres
Acrescentando: no Brasil - 2016




11 comentários:

  1. Poxa Tais, que legal essa postagem sobre os jogos olímpicos e suas curiosidades. Esse raminho de oliveira era de uma riqueza simbólica única né? Desde troféu à coroas dos governadores.
    Muito legal sua aula cultural.
    Beijokas doces e bom fim de semana.
    Por motivos de configuração meu blog precisou passar por uma mudança de link, pois estava mesclando com outro blog que tem um domínio igual.
    http://palavresias.blogspot.com.br/ por favor tire o link ao bel prazer e siga esse.

    ResponderExcluir
  2. Que interessante,Taís! Lindo fds!beijos,chica ( vou mostrar ao neno, um dos meus netinhos)

    ResponderExcluir
  3. Olá, sou neto da chica!!!
    Vi num DVD que os corredores corriam nus pois achavam que as roupas atrapalhavam!!!
    Muito legal essas curiosidades!!!
    Bjs do Neno

    ResponderExcluir
  4. Tais,
    Teu text está impecável, conclusivo e, como sempre, muito bem escrito.
    Como curiosidade, vou apenas acrescentar algo sobre a maratona. No ano de 1896, em homenagem ao herói grego, os organizadores dos primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna decidiram criar a prova, que, a princípio, possuía cerca de 40 km. A distância atual só foi fixada no ano de 1908, nas Olimpíada de Londres, para que a família real britânica pudesse acompanhar o início da prova do jardim do Palácio de Windsor.
    Abraços e bom domingo, JAIR.

    ResponderExcluir
  5. Oi Taís, adorei, espero um dia conhecer esse pedaço da Grécia! Ótimo post! Bjoooss

    ResponderExcluir
  6. Quanta riqueza, numa única postagem!
    Curiosidades que nos deixam até pasmos, pela grandeza de um povo pioneiro...

    Um abraço, Taís

    ResponderExcluir
  7. Tais, adorei conhecer a história das Olimpíadas, da Grécia aos nossos dias! Quanta curiosidade! Você bem sabe que gosto desse assunto... rsrsrs

    Mas confesso que fiquei chocada com a prática dos esportes completamente sem roupas, não conhecia esse "detalhe" histórico! rsrsrs

    Quanto a mãe que se disfarçou de treinador, não duvido que a referida senhora apareça em minha árvore genealógica a considerar o perfil da pessoa... eu faria o mesmo pra ver e torcer por meu filho! rsrsrs

    Muita cultura, muito conhecimento num post só! Adorei!

    Beijão.

    ResponderExcluir
  8. Ola Tais!!
    Amei ler a sua postagem...
    Muito do que tem aqui escrito eu sinceramente não sabia..
    Amei saber!!

    Um beijo.......feliz domingo!!

    ResponderExcluir
  9. Obrigado por tantas informações...

    Leandro Ruiz

    www.plus.google.com/u/0/115524738625459865358/about

    www.lleandroaugustto.blogspot.com

    http://www.eu-e-o-tempo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Taís, quão interessantes essas curiosidades, algumas para mim foram novidades. Agora quanto à frase:' O importante não é vencer, mas sim competir'. Sempre que a leio, fico com minhas dúvidas,rsrs.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Pois é....sempre a aprender....Haja
    quem tão pacientemente faça assim
    um trabalho completo, para os preguiçosos mas interessados...
    Beijo

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso