11 de maio de 2014

A PAZ QUE EU QUERO

               
         
                  
       

       Taís Luso de Carvalho

Quero estender-te as minhas mãos para comungarmos de um só pensamento, de uma só vontade e cultivarmos a paz que tanto sonhamos. Mas que seja uma paz que transforme, que modifique, que nos una.

Quero uma paz que mostre a mão do Criador na sua obra, dita como a mais perfeita - já que não penso mais em abraçar uma praça, rodear uma lagoa, ou orar num templo acreditando em soluções paliativas, momentâneas - até poderei, mas apenas como um ato de solidariedade.

Não desejo apenas fixar meus olhos num horizonte desconhecido, soltar tua mão e, depois, em minha solidão, constatar que, mais uma vez, participei de protestos tentando chamar a atenção para um fato isolado, ou implorando medidas contra uma violência cada vez mais incontrolada.

Quero, agora, plantar uma semente que dê inicio à germinação da paz... Acredito em sentimentos estruturados no amor, na bondade e na solidariedade.

Quero, desta vez, mudar: preciso buscar diferenças e verdades. Creio que os resultados de manifestos coletivos começam na individualidade de nossos atos; estão nas mutações dos nossos sentimentos.


Quero mudar o essencial; caminhar dentro de mim e levantar a bandeira na qual acredito. Uma bandeira que tenha o formato de um coração e que seja leve como uma pluma; leve, porque escolhi ir deixando pelo caminho os ódios, os rancores, as falsidades, as mentiras, as covardias...

Quero poder entender o porquê de certas coisas, e aceitá-las.
Quero ser leal e solidária com todos que comigo convivem.
Quero aceitar todas as raças e não ter nenhum preconceito com as minorias.
Quero aceitar todos os credos, pois acredito que todos os caminhos nos levam a Deus.


Não quero ter um coração petrificado, ignorando a miséria que me rodeia, mas, dentro das minhas limitações, dar de comer a quem tem fome e agasalhar a quem tem frio.


Quero ser dona de um coração piedoso e complacente.
Quero ser mãe e esposa sem pôr limites ao amor.
Quero ser forte nas doenças e passar esperança a quem precisa. Se tiver, ainda, algum resquício de ódio, quero trabalhar o meu amor.
Quero amar a todos os animais e ter como inspiração a sua lealdade e a sua dignidade.


Quero ignorar os que de mim não gostam e poder viver sorrindo porque me sinto em paz.

Dos tolos e dos mal-intencionados quero apenas distância, sem confrontos e sem a ilusão de que irão mudar... Mas, de nossos governantes, almejo o cumprimento de suas promessas, e que tenham a verdade como meta. Não espero milagres, mas um mínimo de decência, de honestidade e de boa vontade. Estou cansada de abraçar praças e lagoas e nada acontecer...


Quero andar por outros caminhos... Caminhos bem mais complexos, sem dúvida, mas que poderão dar o que busco.

Quero te propor, amigo, a vivermos em paz com nossa consciência e com nossos princípios, usando de nossa liberdade para optarmos por uma escolha justa e coerente com nossa realidade econômica e social.

Não precisamos do status do carro importado, do computador de última geração ou de roupas de grife para sermos felizes; quanto menos conflitos com nossa realidade, melhor. Paz é viver a verdade, é sentir o espírito confortável, é não ficar indiferente à fome e a dor dos indigentes, e pensarmos que isso é problema apenas dos governantes.

Quero mudanças, e que estas sirvam para preparar o terreno da paz, a qual somente será alcançada se estivermos dispostos a lutar por ela, revendo valores que possam ser tidos, erroneamente, como bons.

Quero sempre poder acreditar num coração que bate e que luta até o último sopro de vida; coração cheio de amor, de generosidade, de ternura, e que seja ele merecedor dessa tranquilidade da alma: a PAZ.



----------------------------------------
Trazendo para o blog...
Concurso Cipel/Correio do Povo
3º lugar (ano 2002) Tema: A Paz



14 comentários:

  1. A PAZ QUE EU QUERO É QUE A MAIORIA DAS PESSOAS, PRINCIPALMENTE NOSSOS GOVERNANTES, TENHAM A OPORTUNIDADE DE LER E PRATICAR O QUE VOCÊ ESCREVE...Quero ler verdades, histórias verdadeiras...SENTIR UM MUNDO MAIS SOLIDÁRIO SEM INTERESSES PARTIDÁRIOS...
    PARABÉNS!

    ResponderExcluir
  2. Excelente cronica na forma e no conteúdo. Mais que uma cronica, um tratado. Um manual para a prática da PAZ.
    Um abraço. Tenhas uma linda semana.

    ResponderExcluir
  3. Linda crônica feita em 2002 e tão atual. Ainda queremos e esperamos a PAZ! beijos,tudo de bom,linda semana! chica

    ResponderExcluir
  4. Humana, sincera e honesta. Esta é Taís Luso de Carvalho!
    Meu abraço.

    ResponderExcluir
  5. E os ciclos se repetem.....mas enquanto houver
    políticos, não ponho as mãos no fogo...
    Uma profissão de fé.....
    Beijo

    ResponderExcluir
  6. Minha querida amiga Tais, quando vi estava lendo a crônica como uma oração, pois foi a sensação que me passou o tempo todo, um manual prático para humanos buscarem a paz...minha querida amiga, sempre me inspiro e as palavras me saem leves e soltas nos comentários que aqui faço, que gosto tanto, mas diante de algo tão completo em si, um texto redondo, perfeito, és a senhora das palavras, de todas e aqui mais uma vez me rendo, já fazes parte das mulheres maravilhosas que escrevem e que eu vou sempre querer ler, porque nas tuas doces palavras, às vezes nem tão doces, mas as palavras que sempre deixaste em meu blog, que de uma forma ou outra, sempre me deixavam uma sensação de paz, obrigado amiga Tais.
    ps. Todo meu carinho meu respeito e meu abraço.

    ResponderExcluir
  7. “Estar com DEUS no coração é ter a certeza de estar em paz e de mãos dadas com a felicidade.” Bela crônica Taís! Parabéns pelo prêmio.

    Abraços e muita paz para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  8. Tem gente que tem prazer em tumultuar, fincar pé na discórdia e no contra.Tem gente que desconhece a misericórdia, o afeto sem cobrança e amor desinteressado. Para estes tudo tem um preço a ser cobrado. Os outros que cultuam a paz, a serenidade e o acordo pagam o preço pois eles tem a violência.

    ResponderExcluir
  9. Tais, parabéns pelo prêmio sobre a crônica, paz é tudo o que começa dentro de cada um de nós, cada qual fazendo a sua parte, quem sabe um dia veremos a paz pretendida pela maioria!
    Abraços e tenhas uma linda noite!

    ResponderExcluir
  10. Que lindo Taís!

    muito merecido o prêmio!! O interessante é que é atemporal! Serviu para ontem, serve hoje e se lermos amanhã ainda refletirá a realidade...
    Que a paz não só esteja, mas aconteça com todos nós!

    Bjs

    Leila

    ResponderExcluir
  11. Belíssimo texto, em sábias colocações e palavras harmoniosas. Um ideal bem claro e com os caminhos bem definidos. Pareceu-me uma prece, daquelas atemporais. Parabéns! Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Por falar em cultivar a paz, lembrei de uma frase de fundo budista. "Em vez de amaldiçoar a escuridão, acenda uma vela"

    ResponderExcluir
  13. Atualíssima! Paz para todos nós, pois sem ela fica bem difícil.
    Beijinhos, lindona!

    ResponderExcluir
  14. Anônimo10:33

    que lindo seu blog! trabalhei alguns assuntos com mibha turma.beijos adorei conhecer.

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Este blog 'não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos'. Meu e-mail está na guia superior, faça contato.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso