6 de julho de 2011

A DOR DOS GORDOS E OBESOS

L Herrero

- Tais Luso de Carvalho

Dias atrás assisti na televisão uma matéria sobre os obesos. É penoso de se ver o sofrimento destas pessoas que, contudo, não ignoram as consequências desta doença, da obesidade. A vergonha, a culpa, a descriminação que os gordos sofrem é uma dor enorme, dor na alma. Carregam e enfrentam, portando, dois problemas.

A discriminação já começa quando o chamamos de gordinhos e não de gordos. Há um certo constrangimento. Mas não existe gordinho, existe gordo e obesidade mórbida. A discriminação está no tom, na ironia.

Além da discriminação que sofrem e da autoestima que já foi pro brejo, os gordos enfrentam, ainda, as inúmeras doenças consequentes do sobrepeso. O que é o mais preocupante. Ninguém é gordo porque quer, é gordo por disfunções físicas ou de ordem psíquica.

As campanhas estão nas ruas. Dois gigantes se engalfinhando: um, tentando nos proteger e nos conscientizar; o outro, tentando nos vender o que não presta: gorduras saturadas, trans, toneladas de carboidratos, guloseimas sem fim e uma montanha de açucar.  E salve-se quem puder. 

Mas que discriminação  é essa, se a mesma mão que afaga é a mesma que cobra e que derruba? A mesma sociedade que despeja toneladas de alimentos calóricos e gordurosos é a mesma que lá na frente exige magreza nos desfiles de moda. Que dita a moda, que exige meninas anoréxicas desfilando com ossos à mostra. 
É brincadeira. 

Apesar de todo o apelo da medicina, que trabalha em prol de uma sociedade mais saudável, cresce o número de pessoas com obesidade mórbida. Comer muito já faz parte da nossa rotina e não adianta malharmos feito uns loucos se o veneno entra pela boca e não sai pelos poros. Fica andando pelas artérias e se instala em vários órgãos.

O sonho de todo o gordo é ser magro. Magro saudável, magro comendo. Todos nós temos alguém conhecido vivendo numa gangorra infernal do engorda-emagrece, algo que desanima, que faz com que os gordos duvidem das próprias forças, pois são muitas as ofertas, e as tentações.

Por outro lado é difícil ajudar um gordo: não sei por que, mas nós temos uma mania horrorosa de lhes oferecer a última bolacha, a última fatia da torta... Nada pode voltar à despensa com um gordo à mesa; não combina. 

E todos ajudam a fazer um gordo mais feliz nas refeições...
- Mais um pouquinho, mais um docinho, ah vá!! Não faça beicinho... você adora comer!

E lá vai o pobre gordo comer tudo, sorrindo e louco de faceiro, acreditando que a última bolacha é inofensiva.
É difícil. 

Mas, também tive a oportunidade de ver alguns vencedores. Vi o quanto valeu uma luta! Hoje, não são mais vistos como os diferentes; não são nem magros, nem gordos, se tornaram simplesmente uns felizes anônimos misturados à multidão, como sempre desejaram. 

Emagrecer para um gordo não é batalha, é guerra, é superação. Mas alguns vencem, apesar das marés. Só que para estes, a guerra continua...
A recaída é o grande inimigo.
  

38 comentários:

  1. É verdade, Taís
    A dor para "os gordinhos" é enorme
    E o que mais dói é o preconceito...
    A nossa sociedade é cruel
    Tenha uma boa tarde
    Beijinhos de
    Verena e Bichinhos

    ResponderExcluir
  2. .....só a faca os salvará....Se não
    couber....já não entra...
    Beijo

    ResponderExcluir
  3. Na verdade creio que o preconceito contra o gordo é maior do que mesmo do negro. Ninguém quer sentar na cadeira ao lado porque eles ocupam mais um pedaço que não é o do seu acento, não quer dividir o pão pois o gordo nunca se contenta em comer somente sua porção... A verdade é que ninguém gosta de ser gordo e nem sempre conseguem vencer a guerra contra a gordura. São uns fofos, mas muita da alegria é para esconder a tristeza que vem na alma. Pois dói la mesmo!
    Beijos Taís e paz sempre.

    ResponderExcluir
  4. Adorei esta crônica. Uma boa reflexão...
    Um beijo grande

    ResponderExcluir
  5. A nossa sociedade está se tornando tão sedentária e tão dominada pelos alimentos fartos e saborosos que a luta pela balança não é só dos gordinhos, embora é claro para eles seja muito mais urgente.

    ResponderExcluir
  6. A comida funciona como uma droga para quem possui algum disturbio psiquico (no caso, atribui-se à ansiedade). Acho que precisa ser tratado como se trata de um vício qualquer com as outras drogas. Agora, Tais, o que eu acho mesmo é que padecemos da falta de afetos coletivos, que afeta a todos com maior ou menor intensidade. Ah, se ese mundo distribuisse mais afetividade em vez de preconceitos e discriminações...

    Mais uma ótima crônica. Abraços. paz e bem.

    ResponderExcluir
  7. Tais Luso

    Sobre o assunto, posso deixar o meu depoimento pessoal? Aí vai: com óptimismo, diria raro. Depois de atingir mais 45 kilos, do peso normal (74 /75), a partir de 50 anos chamávam de velho. Poupando pormenores (chocantes), tomei apenas a resolução de me tornar abstémio. Talvez, pelo facto, as refeições passaram a ser mais reduzidas, aí não tive intervenção. Já passaram 11 anos e os amigs dizem-me, talvez comparando, um homem novo.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. É triste também observar que muitos procuram o "milagre" das pílulas, quantos produtos nas prateleiras ou nas mãos de vendedores que visando lucros exorbitantes, exploram a fragilidade e o desespero dos obesos.
    É uma vida de sofrimentos físicos e psicológicos!

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Taís, os dois filhos de uma amiga, - um tem 8 e o outro 10 anos - estão obesos. E todo o problema está no fato de que, em casa, todos comem errado. Acredito que o maior problema da obesidade esteja na educação alimentar, nos hábitos alimentares que se adquiriu em família. Se mãe e pai comem errado, ou dão total liberdade de escolha à criança, certamente estão criando um futuro obeso. O mercado oferece de tudo, e, sem dúvida, é difícil resistir à tentação. Mas quando se tem crianças em casa a melhor prevenção - o melhor remédio - é dar o exemplo.

    Eu sou e sempre fui magra. Com direito a todos aqueles apelidos com que os colegas de escola presenteiam os magrelos, - minhoca, olívia palito, etc... rsrs Saí à família materna, - todo mundo macérrimo. Como muito bem, e além do mais sou chocólatra. Não consigo passar mais de dois dias sem chocolate. E nada acontece... Quando engordo duzentos gramas comemoro. rsrs

    Obesidade ou magreza excessiva, - isso precisa ser encarado como um problema de saúde, e não de estética, embora atualmente tudo esteja atrelado aos padrões que a mídia nos empurra. Saúde é tudo.

    Adorei a crônica!

    Bjs, minha amiga. Ainda estou enroladíssima por aqui. Inté!

    ResponderExcluir
  10. Taisamiga

    Pronto, não pude ir-me. É a vida.

    E continuo gordo e muito. E continuo diabético. E continuo a saber que sou assim. E continuo feliz; pelo menos estou a caminho dos 70...

    Qjs

    ResponderExcluir
  11. E pensar que tudo passa pela Educação, em casa e na escola, para crianças e jovens. Dá pena, ver crianças obesas. Esta questão,
    é mesmo de Saúde Pública, sendo que, o meio à prevenção, é pela Educação, com maciças campanhas: municipais, estaduais e federais,
    pelas entidades governamenatais e não governamentais, por todos os meios de comunicação : uma BATALHA contra a OBESIDADE....não há outra forma de conscientização, para acabar com "A DOR DOS GORDOS E OBESOS"...

    Extraordinária matéria, TaÍs
    Um abraço

    ResponderExcluir
  12. Taís, eu conheço essa luta, pois ela é minha luta. Sou um quase gordo em permanente estado de vigilância.
    Comer é bom demais e o negócio é acertar na dose - comer de tudo sem exagero. De vez em quando rola um descuido e aí soa o alarme! Não tem jeito essa queda de braço vai durar para sempre. Saudações do atelier onde dona Loyde oferece as mais deliciosas e tentadoras iguarias...

    ResponderExcluir
  13. É Taís, não deve ser fácil.Parabéns pelo texto.Conseguistes transmitir em palavras o sentimento , o preconceito e os problemas em que passa uma pessoa gorda. Eu tenho sorte.Nunca fui gorda, minha genética está a meu favor, mas mesmo assim consigo me manter com alimentos saúdáveis e caminhadas.Nunca fui sedentária.
    Cuidar-se faz parte do meu cotidiano, além da vida de muito trabalho e dupla jornada.E assim vamos.Bjs Eloah

    ResponderExcluir
  14. Oi Taís,
    que surpresa, tu és de Porto Alegre, guria? Nasci aí também, atualmente moro em Viamão.
    Que texto bem-escrito!
    Costumo a dizer que existe a alma gorda e a alma magra, o resto é só corpo rsrsr
    Conforme pensamos e nossos hábitos, as coisas acontecem, e nem sempre como desejariamos que fosse!

    Taís, sou a Ana Cecília da crõnica "O Homem e o Cara" lá do blog da Má Ferreira. Te convido a conhecer o meu blog, se gostar me segue.
    parabéns!
    Grande abraço!

    Humoremconto
    http://anaceciliaromeu.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Poxa! É fato! Fico comovida com alguns casos Thaís.
    Beijos,
    Carla

    ResponderExcluir
  16. O Cacá, disse tudo!
    Agora o depoimento de alguém que perdeu vinte quilos e vive a base de hormônios, é que o mundo muda 100% em olhar para você numa outra dimensão.
    É triste constatar a falsidade das pessoas, a ignorância.
    Ótima crônica!

    Bjoos!

    ResponderExcluir
  17. É difícil mesmo a vida de gordo; mas é curioso, no entanto, que a TV está sempre mostrando esse male, nem sempre com intenções puramente jornalística(que se pode dizer dos Relaity shows?). Por outro lado, há um silêncio mortal no que diz respeito aos magros, como é o meu caso. Com IMC 19, fico observando as advertências a que se faz aos gordos e faço justamente o contrário. Não é a maneira mais inteligente de ganhar peso, mas é o que tenho feito durantee muitos anos...com parcos resultados.

    ResponderExcluir
  18. Taís, minha colega de trabalho com menos de 30anos tinha obesidade mórbida, ela fez a cirurgia de redução de estômago e a tranformação foi maravilhosa.. Hoje ela é uma mulher com bom astral, mais feliz, mais vaidosa e até trocou de marido rsrsss Nada como uma boa equipe médica para ajudar nesta transformação. Um beijo e bom findi.

    ResponderExcluir
  19. A batalha contra a balança é eterna e diária. Mas é uma questão de saúde.
    Beijos, querida e bom domingo!

    ResponderExcluir
  20. Oi Taís, tudo bem?
    Passei para te agradecer as visitar por lá e consideração comigo e meu trabalho!
    Beijos guria!!!! rsrsrs
    E ótimo domingo!

    Humoremconto
    http://anaceciliaromeu.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. esse preconceito é grande mesmo, desde as escolas... Muito boa tua crônica, como sempre!beijos,linda semana,chica

    ResponderExcluir
  22. Olá Tais, estou aqui em Ribeirão Preto de férias curtindo a cachorrada toda e muito desestressada,mas como me sobrou um tempinho,estou aqui te lendo.
    Que maravilha!
    Você é infalível naquilo que se propõe a argumentar, mas desta vez você se superou!
    Fantástico!
    É isso mesmo, como já dizia Freud,” todo mundo se afirma negando” [qualquer coisa assim],é isso mesmo,por um lado existe um preconceito brutal contra a gordura,não nego,que nem reparo nos outros,mas em mim,não quero.E em contrapartida,aquela coisa de dizer.Regime? Credo!
    Comidinha natural?
    Que horror!
    Mas todo mundo se preocupa com a tal obesidade que não é só problema de estética,mas muito mais de saúde.
    Coisa de pessoas infelizes!
    Mandou bem minha amiga!
    Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  23. Acho, mesmo, que existe um exagero sobre o conceito da obesidade em termos de saude ou nao. E o preconceito, na verdade, todo, pra mim, vem de pessoas doentes, com doencas muito mais graves do que a obesidade.

    Bjx

    Roy

    ResponderExcluir
  24. Oi Taís! Com 68 de existência e 84 de carcaça, me considero feliz com relação à gordura, pois, procuro comer com a boca, ao invés de comer com os olhos. Atualmente vivemos numa sociedade, onde cobrar é muito fácil, o difícil mesmo é ajudar.

    Bela e verdadeira a tua crônica amiga.

    Beijos e ótima semana pra ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  25. silvia masc14:55

    "Nada pode voltar à despensa com um gordo à mesa; não combina.
    E todos ajudam a fazer um gordo mais feliz nas refeições... - Mais um pouquinho, mais um docinho, ah vá!! Não faça beicinho... você adora comer!"

    Excelente

    beijinho

    ResponderExcluir
  26. Anônimo18:53

    Tais,
    Espero que tudo esteja bem com você. Que gostoso voltar aqui e ler seus textos sempre bem elaborados. Obrigada pelo comentário que deixou sobre meu artigo. Um abraço, tudo de bom, com amizade.
    Ivana Altafin.

    ResponderExcluir
  27. Taís, nesse mundo tudo o que sai fora dos padrões que foram estabelecidos não sei por quem é alvo de chacotas e brincadeiras desagradáveis que geralmente magoam...
    Cabe a cada qual estar preparado para superar estes preconceitos absurdos.
    Uma crônica muito bem elaborada, como todas as que escreve.
    Abraços, amiga.

    ResponderExcluir
  28. Anônimo19:03

    Tais, muita saudade de ler seu blog. Então voltei. E me deparei com essa crônica extremamente realista. Como sempre adorei. E como sempre conheço muita gente que se encontra nesses perfis. Os que ainda lutam com seus pesos. E alguns vencedores... Tudo que disse e a mais pura verdade! Bjs! Ed.

    ResponderExcluir
  29. Ola querida amiga
    Estou na final da ostra poesia, me desculpe por mais uma vez vir lhe pedir votinho para a minha poesia, Precisamos. Mas sem a sua ajuda eu não irei conseguir. Prometo que passando esta fase eu virei comentar apenas sobre o conteúdo de seu cantinho.
    Como votar você entra no link …http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com/
    No final paginas das poesias esta escrito
    VOTE CLICANDO NA PALAVRA COMENTÁRIOS Lindalva 1 comentários
    Por favor coloque coloque o nome da autora e da poesia, ( Precisamos ... Maria Alice Cerqueira e o nome do seu blog. para que Lindalva possa confirmar seu voto.
    Desde já lhe agradeço de coração.
    Tudo do melhor para você.
    Abraço amigo
    Maria Alice

    ResponderExcluir
  30. Interessante seu post Taís , este difere dos outros pois considero de saúde pública.

    Ultimamente ando brigando com o espelho, rs,rs não com a balança, mas o que me assutou foi que fui fazer exames e recbi resultados "berrantes", Dr. falou vc terá de tomar remédio contínuo para o colesterol porque no seu caso é hereditátio , eu falei tudo bem pode me dar a receita.

    Chegando em casa falei para meu marido tomarei o remédio, mas não será para sempre pois não aceito ter um problema que pode virar doença. Mudei hábitos, já tenho uma vida saudavel, mas corrida então desacelerei e investi mais duplicando os exercicios e cortando toda gordura saturada e carne vermelha em 27 dias repeti os exames e o meu organismo respondeu um luxo, rs,rs acho que nem tenho mais sangue vermelho, deve tá azul, rs,rs,rs.

    Mas diante de tudo isto tem os sabotadores de dieta passei por essa fase a 6 anos as pessoas falavam nossa como vc é linda, nossa suas roupas ficam perfeitas e come mais, olha fiz isso coma e eu cai na armadilha até que um dia a pessoa olhou e me disse nossa! como você engordou- desde este dia comecei a correr atrás do prejuízo , rs,rs,rs claro que não posso ter as medidas de uma mocinha mas posso estar linda do alto dos meus 37 anos .

    bjsssssss

    ResponderExcluir
  31. Anônimo20:01

    ola amei seu blog ;em especial sobre os gordinhos.tudo que vc diz é lindo e verdadeiro mas não temos nenhum apoio de forma alguma .
    sou acima do peso . e ja tentei de tudo para perder peso me recuso tomar remedio .e tudo que se trata de achuadr os obesos é muito caro. ate estes vigilante do peso é só mais uma forma de gerar dinheiro .e as comidas saudavel cabe no bolso se de quem é magro .tudo errado.ninguem ta nem ai que se dane os gordos;os doentes,os pobres

    ResponderExcluir
  32. Tais..Eu vivo correndo para manter a forma. .. SEI BEM O QUE E. A NUMERAcAO DAS ROUPAS DIMINUI.
    HOJE USO M., MAS JA USEI O G E EM ALGUNS CASOS ATE O GG.
    E CONSTRANGEDOR VC ENTRAR NUMA LOjA, GOSTAR DE UMA ROUPA E NAO TER A NUMERACAO.
    OU A VENDEDORA, COM TODA SUA SENSIBILIDADE
    TRAZER UMA PECA QUE ESTA NA CARA NAO VAI SERVIR OU COMBINAR.

    UM BJ..ADOREI SUA CRONICA, COMO SEMPRE!

    ResponderExcluir
  33. Tais, você teve muita sensibilidade para falar desse problemão que é a obesidade. A discriminação é visível, infelizmente. A própria pessoa, acredito, sente-se deslocada num mundo que pede o "magérrimo" como padrão, mas oferece o calórico como o mais interessante! Manter a auto-estima de que jeito? Encontrar onde a motivação para enfrentar a balança e vencê-la? Admiro muito quem consegue ter equilíbrio emocional suficiente para dar passos gradativos na direção de seu objetivo, sabendo que quilos não se perdem em uma semana, mas requerem antes de tudo uma reeducação alimentar; os resultados vêm somente a longo prazo. Parabéns aos vencedores que lutam por uma vida normal e saudável, não por questões estéticas, mas porque sabem que a saúde não tem preço e merece qualquer sacrifício alimentar!

    Beijos, amiga, maravilha de crônica!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SUZY, casualmente ontem assisti um programa no canal '33' (TV fechada) sobre os obesos nos Estados Unidos. Amiga... que loucura! Um homem com meia tonelada e uma mulher com 420 quilos! Coitados. E o depoimento deles? É de doer. Se a gente conseguisse ficar longe de tantas coisas que o mercado das guloseimas, gorduras, frituras, doces, refrigerantes etc., seríamos mais felizes. E muito saudáveis. Comer pouco significa longa vida!

      grande beijo, amiga!

      Excluir
  34. Muito boa tarde querida Tais.. e como sofrem, todos temos alguém na familia com esta tendencia.. uma prima minha desde pequena sempre foi gordinha, ou melhor era.. fmeteu na cabeça que tinha que perder peso e lá foi ela..
    academia, nutricionista, problema é que perdeu mais que era pra perder.. outro amigo que dava duas vezes meu tamanho.. uma verdadeira montanha rsrs chegou a entra aquela doença.. ficou puro osso.. a vizinha da esquina nem se fala.. é a quarta vez que passa pela nutricionista e volta a engordar..
    o problema esta em nós mesmos, pelo que já li a gordura é uma proteção.. e pessoa come e come e vai formando um escudo que nem ela entra.. é algo dificil e tem outro porem.. o perdão.. pois muita coisa vem da infancia, se a mãe não olha no olho, não transmite tal amor ele sofre isso com o longo dos anos.. situação dificil demais.. e muitos não aceitam ouvir.. acham que nutricionista é a salvação.. a salvação é se ouvir e entender os pqs...
    e nós magros sofremos a nossa aprte tb..
    eu tenho 1 e 61 52 kilos rsrs tem gente que só sabe reparar. já disseram que não tenho bunda rsrs putssss é o fim rsrs sou todo certinho srrs bunda quem tem que ter é mulher né.. mas não as melancias da vida rsrs
    beijos e tenha um lindo dia doce amiga

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsssss, tá engraçado esse teu comentário! É, a gordura é uma capa com várias facetas. A gordura é consequência de algo que está muito errado. E respeito. Torço para que um gordinho tome um rumo e tenha um final feliz, achando a razão de sua gordura. Quanto ao final desse teu comentário, vou parar, tá demais rssssss.
      Beijo, querido amigo.

      Excluir
  35. Anônimo16:27

    TEREZA CRISTINA - Olá Tais. Sempre fui magra, Muito bonita de corpo e de rosto e também bastante vaidosa. Comecei a engordar aos 33 anos e hoje tenho 45. Sempre gostei muito de malhar e apesar de continuar malhando direitinho todos os dias, nunca mais consegui emagrecer. Vivo no efeito sanfona e atualmente MUITO GORDA e INFELIZ. Não sei o que será de mim, pois não consigo me aceitar assim, sinto muita vergonha do meu corpo, percebo as pessoas fazendo comparações do meu antes e atual e me sinto muito fracassada. Ando pensando em fazer cirurgia bariatrica, mas também sinto vergonha de mim mesma em faze-la, pois ao meu ver a cirurgia significa o maior dos fracassos! Você ser capaz de mutilar parte do seu estômago porque nao controla o que come, é o mais alto nível do descontrole! Peço a Deus que me ajude praticamente todos os dias! As vezes me sinto mais forte, mas sempre vêm as recaídas que fazem sentir novamente no fundo do poço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tereza Cristina:
      Olha, amiga, você fez um comentário tão verdadeiro e ao mesmo tempo muito consciente. Você está sabendo de tudo e sabe também o que está sentido. E muita infelicidade pode desencadear uma depressão, facilmente. Não adianta malhar feito louca se a solução está em comer demais. A gente engorda porque come demais e muita porcaria, biscoitos, refrigerantes e doces são inimigos que não nos largam. Comemos um bombom, depois o segundo achando que nada vai mudar, não é? E come-se muito por ansiedade. Você sabe que é pela boca a história toda. E força de vontade é sacrifício, mas é com ela que a gente vence, que dobramos o leão. A gordura deforma um lindo rosto. Desejo que você chegue em frente do espelho e diga: hoje vai começar a minha vida, vou ter o corpo que quero, eu vou vencer! E parta para a luta, mate todas as comidas desnecessárias e veja o porquê você está comendo tanto. Isso ajuda muito.
      Espero um dia você aqui, feliz, vencedora! Problemas? Todos temos, pense assim.
      Beijo!

      Excluir

QUERIDOS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso