7 de junho de 2014

NÃO LIGUE, APROVEITE A SUA VIDA!


                - Tais Luso de Carvalho

Basta a gente se indignar com certas coisas para ouvir a célebre frase:
Não ligue, amiga, aproveite a sua vida!
Mas como assim, como será esse aproveitar a vida, esse bem viver? É muito relativo, tem gente que aproveita a vida viajando até se estafar; outros aproveitam se empanturrando de churrasco e cerveja até enfartarem; e outros, correm atrás de superação se atirando de paraquedas, escalando o Everest etc e tal. Mil coisas para se alegrar.
Mas juro que vou ficar no aguardo, um dia descobrirei o que é esse aproveitar. Talvez eu esteja fora do contexto, vivendo ainda no séc 19. Mas por falar  em viver bem, em aproveitar a vida, penso que a melhor maneira de aproveitar a vida é pensar antes de rodar a baiana ou de pular em campo minado.
Tenho aversão a brigas; sei que certas coisas até pedem um barraco de tanto que nos enlouquecem, mas não é o ideal, não deixará ninguém mais leve. Há muito que constato que paz é algo muito difícil uma vez que dependemos uns dos outros. Sempre. E principalmente na dor. Na fragilidade. 
Como espero que meu espírito vá para uma dimensão mais evoluída (se existir), depois do apagão, então o que me resta por aqui é escolher caminhos mais floridos. O saudável é entrar pra turma do Não Discuto. Não tenho dúvidas dos benefícios e da qualidade de vida que se ganha. Mas não é coisa fácil, é um exercício diário, porque tem o outro lado da moeda: o prevalecimento das pessoas e um certo destrambelhar que contagia.
Ter qualidade de vida não é só fazer exercícios, comer grãos e frutas. Já me entupi de grãos e nada aconteceu. Mas penso que qualidade de vida é ter a liberdade de escolher e tomar decisões, sem culpas. E decidir é sempre difícil. Pode-se levar anos numa indecisão ou decidir  em 10 minutos algo que não se quer. Depende da cabeça do freguês.
O que acontece  é que vivemos numa sociedade que cobra demais, mas cada um tem sua maneira de resolver as coisas, de ser feliz. Sofremos cobranças diariamente: a luta por status econômico, status cultural, e a poderosa indústria da beleza - para manter uma juventude eterna - mesmo que toda deformada - é terrível. 

É difícil acreditar que essa bagunça planetária seja apenas uma passagem, e que depois dessa tem outra. Uma vida plena.  Tomara que tenha, porque esse estágio aqui é barra pesada. 
É fácil ver  pessoas se retraírem, não por serem antissociais, mas por não terem mais fôlego para encarar inúmeras cobranças e julgamentos. Você é puxado para ser outra pessoa,  embora lute para ser você. 
Se cada um cuidasse de si, maior felicidade sobraria para dividir, e menor seria o fardo dos infelizes. Não estou me referindo a movimentos sociais, políticos ou reivindicatórios em defesa de direitos coletivos. Isso é outro departamento. Parto do individual: mais autonomia,  mais paz,  mais calma,  menos cobranças e mais simplicidade não estariam dentro desse conceito de aproveitar a vida ? 
Antes isso do que me atirar das alturas à procura de liberdade momentânea.
Atirar-se das alturas é loucura, mas que deve dar uma sensação de liberdade, de desafogamento, ah dá!! E pensando bem, deve ser isso que muitos querem sentir: um alívio de tudo, quem sabe  aproveitar alguns segundos de verdades.




22 comentários:

  1. Oi Taís,
    Gostei do teu texto! Em alguns trechos tive que rir. Porém, seria cômico se não fosse trágico... nem tanto, estou exagerando, claro.
    Pena que a gente aprende errando, mas aprende.
    Sucesso e um beijo grande,
    Jane

    ResponderExcluir
  2. Pra viver uma vida mais leve, não significa que tenhamos que virar santos.Quando tenho que bufar, xingar, explodir, ninguém me impede. Faço, depois assumo,rs...

    Ma quando estamos no auge do "crise", sempre aparece alguém, com um tapinha nas costas:
    - Fica fria! Não liga! Não te mata!rs..

    E de nada adiantam tais palavras. Temos que viver a crise, passar por ela e dar tchauzinho! Tudo DA NOSSA FORMA, sem manuais...
    Adorei te ler! bjs,chica

    ResponderExcluir
  3. Taís,
    a tal sociedade do espetáculo está aí ressaltando cada linha desta tua lente bem direcionada para os acontecimentos...é cobrança de tudo por tudo.Envelhecer virou doença.Tristeza é sentimento proibitivo e, tudo o mais que se traduza por incômodo passou a categoria de poeira pra baixo do tapete, só que ela não se sustenta muito tempo por lá e quando reaparece, sufoca.
    Leveza e simplicidade são atuais sonhos de consumo. Pelo menos, meus.
    Uma conversa destas é alimento d'alma.
    Bjkas,
    Calu

    ResponderExcluir
  4. ES UN PLACER LEERTE SIEMPRE.

    ResponderExcluir
  5. Olá, querida amiga!
    Sabe que tenho sempre um imenso prazer de passar por aqui e poder degustar das tuas palavras colocadas com maestria.

    Hoje as pessoas fazem um cavalo de batalha para tudo. Tudo tomou uma proporção assustadora e desmedida. Eu, Taís, apenas quero viver intensamente a minha VIDA, mas um intensamente de evolução, se me couberem as emoções também serão bem vindas, mas quero algo consciente e teu texto descreve muito bem isso.
    Um enorme abraço

    ResponderExcluir
  6. Uma excelente crônica Thais, sim o aproveitar a vida, depende muito do sentir de cada um, para mim eu aproveito a vida quando estou em paz comigo mesma, quando ao meu redor tentei fazer todo o possível para melhorar as coisas, quando abri meus braços e ganhei mais uma amizade, mesmo que esta seja passageira, não importa, quando assisto a luta limpa do dia a dia executada pelos meus filhos, é aproveitar a vida, depende muito dos valores de cada um, beijos Luconi

    ResponderExcluir
  7. E afinal, amiga Taís, o que é aproveitar a vida? Por mi, acho que é viver, sentir o momento.
    Mais nada...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  8. Querida Tais, sua crônica nos revela como estamos vivendo, em um mundo que tudo gira em torno do tempo, aquele que nos escapa pelos vãos dos dedos.Há tantas maneiras de aproveitarmos a vida, mas penso que cada pessoa aproveita de maneira que lhe cabe. Eu hoje, posso afirmar que tenho muita paz e com isso aproveito melhor a vida. Lindíssima crônica.tenha um lindo domingo. Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Cuando la vida te presente razones para llorar, demuéstrale que tienes mil y una razones para reír.
    Precioso Texto lleno de certezas y verdades.
    Deberíamos aplicar el título de la canción: "Don´t worry. Be Happy"
    Abraços e Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Querida amiga

    Preciosas palavras.
    Penso que fica difícil
    aproveitar a vida de forma individual,
    diante da necessidade
    de cada vez vivermos mais em sociedade.
    Talvez,
    investimentos em educação,
    propostas de um novo modelo de consumo,
    incentivos para o viver em respeito
    com o outro,
    nos trouxessem a paz
    que tanto desejamos
    e merecemos.

    São belas
    as palavras
    que nos acariciam
    o coração...

    Obrigado por semear o belo
    em um mundo tão carente
    de sentimentos bons.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Aluisio, esclarecendo...

      Falei na 'individualidade dos nossos atos' porque é a partir deles que podemos plantar a semente para o coletivo, para beneficiar um todo.
      Obrigada, amigo, abraços.

      Excluir
  11. Se conseguisse me livrar da ansiedade e saber viver o hoje,em paz, reconhecendo que não podemos mudar certas coisas, creio que poderia dizer que vivo bem. Cada um procura um jeito de se livrar das tensões, abraçando, muitas vezes, comportamentos perigosos. Mas se assim se sentem melhor, que o façam. Não há poder ou dinheiro que traga paz de espírito. Ele reside, de verdade, na simplicidade de um dia a dia conhecido, na harmonia familiar, na saúde e no equilíbrio. E isso é, em meu entender, aproveitar a vida, satisfatoriamente. Bjs.

    ResponderExcluir
  12. Hoje eu "aproveitei a vida”, dei a minha costumeira saidinha nos domingos à tarde, ritual que cumpro há anos. Levar um solzinho na cara, desopilar, olhar o sol lá fora, perder um domingo desses é um crime hediondo. Fui à casa de um parente, depois fui a um evento promovido por um amigo meu, onde havia uma batucada terrível de escola de samba, sai rapidinho pelo bem dos meus tímpanos e o zumbido permanente no ouvido esquerdo, segundo o medico adquirido, entre outras coisas, pela audição de musica alta, estresse... Tá no que deu os excessos! rs... Texto perfeito, Tais, adorei! Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Gostei muito de ter passado por aqui. Vou ficar.
    Beijo.
    Nita

    ResponderExcluir
  14. Taís: É bem verdade se ouvir essa frase. é um lindo texto para nos por a refletir.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
  15. Minha querida amiga Tais, belo questinamento, será que tou aproveitando minha vida ?- já me enchi de grão e não adiantou - rs, minha qualidade de vida é a paz, como colocas no texto, mas "O saudável é entrar pra turma do Não Discuto. Não tenho dúvidas dos benefícios e da qualidade de vida que se ganha. Mas não é coisa fácil, é um exercício diário, porque tem o outro lado da moeda: o prevalecimento das pessoas e um certo destrambelhar que contagia", o que fazer quando o inferno são os outros, diria Sartre, cá tou eu no meu cantinho e o intruso sai não sei de onde, e vem atazanar...daí eu insisto, quero paz dentro de mim, que reverbere e anule os maus humores que andam cada vez mais em maior número. Querida Tais, realmente nosso estágio está cada vez mais barra pesada (adorei a analogia rs). Mais um texto que me deleito em ler, interpretar, divagar, apreciar e aproveitar bem a vida, lendo obras como esta, obrigado querida Tais.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  16. Oi Tais,

    eu adoro as alturas mas ainda não cheguei no estágio de ser uma praticante! è que eu tive de decidir entre os ares e o meu marido (que quase enfartava toda vez que eu me atrevia a voar). Então fiquei com a segunda opção... rsrs
    Você fala em seu texto da nossa mais pura realidade. Esse estágio tá barra!!! E se viemos para uma evolução, eu caí no lugar errado ou fiquei cega de vez porque eu não consigo ver evolução alguma. Estamos em pleno século XXI e somos escravos de vários senhores (o mercado, a juventude, o dinheiro, o poder...), vivemos para responder a estes "senhores". E eu te pergunto querida Taís, até quando????

    Bjs, muito bom ler seus textos!

    Leila

    ResponderExcluir
  17. Oi Taís, eu já estou fazendo isso e tenho me dado bem.

    Abraços

    ResponderExcluir
  18. Olá Tais,

    É fácil dizer e ouvir a frase que intitula a sua crônica, mas somente quem passa por um momento crítico sabe a atenção a dar a esse "não ligue". Ligamos, sim, para tudo que nos aborrece, mas há maneiras e maneiras de lidar com o nosso descontentamento. Sou da paz e pela paz. Vantagem? Nem sempre. Engolir sapos não é nada saudável, todos sabemos, mas é uma opção. Sinto-me melhor não discutindo do que correr o risco de dizer algo de que possa me arrepender. Discordar é uma coisa, discutir é outra. Quanto ao 'aproveitar a vida' tem a ver com os gostos, critérios e aspirações de cada um. Cada um é feliz à sua maneira. Nem sempre podemos aproveitar a vida na forma que desejaríamos, pois o fator 'escolha' está sempre a nos assombrar.
    Concordo que o estágio por aqui está 'barra pesada', mas acredito que se fizermos nosso dever de casa direitinho poderemos desfrutar de uma dimensão melhor, onde se poderá conhecer o verdadeiro sentido do estado pleno de paz. Se não fosse esse o nosso destino não se justificaria passarmos por tantas dissabores nessa vida. Tem que haver um sentido maior para tudo.
    Assim, melhor mesmo, enquanto estivermos de passagem por aqui, " é escolher caminhos mais floridos", que tornem nossa jornada mais prazerosa.

    Ótimos dias.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  19. Como diz a música, "das brigas que ganhei, nem um troféu, como lembrança, pra casa eu levei; as brigas que perdi, essas sim, eu nunca esqueci." Muitas vezes, ganhar uma disputa no tapa e ser considerado vitorioso deixa um gosto amargo, de ter sido uma pessoa ruim. O mundo está cheio de ruins vitoriosos, de beldades de alma feia, de gente "feliz" vivendo como andróides a vida que querem que vivam...
    Seu texto é uma bela evocação de reflexões!
    Feliz fim de semana!

    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  20. Cada dia que passa, parece que fica mais difícil ser light. É muito estresse desde o trânsito até a convivência com certas pessoas. Mas precisamos nos esforçar e fazer tudo direitinho.
    beijooooo

    ResponderExcluir
  21. ' mais autonomia, mais paz, mais calma, menos cobranças e mais simplicidade não estariam dentro desse conceito de aproveitar a vida' ?
    Tais excelente - esta frase que copiei no dia de hoje me responde aos meus questionamentos.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Este blog 'não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos'. Meu e-mail está na guia superior, faça contato.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso