1 de janeiro de 2015

ALICE NO BRASIL DAS MARAVILHAS




       - Tais Luso


Eu sou a Alice – versão 2015, surreal. Moro num país tropical, maravilhoso, próspero e onde todos tem trabalho, lazer, educação e saúde. Tudo gratuito, já que pagamos com prazer os altos impostos.

Sinto-me  Alice porque moro num lugar muito seguro, de dar inveja à qualquer país do mundo. Tudo anda bem conforme grita nossa Constituição Federal. Sou feliz e despreocupada e vivo numa sociedade harmoniosa. E como eu, vivem assim mais de 200 milhões de brasileiros.

Há povo mais feliz do que o nosso ao cantar Aquarela do Brasil? Oh, Deus, que lindo! E o Carnaval? Que luxo! Aquilo é o retrato do nosso cotidiano, uma fila interminável de reis e rainhas rodopiando de felicidade. 

Também fico emocionada com nosso Hino Nacional (verdade!). Sim, aprendi a amá-lo, pra mim é o mais lindo do mundo. Depois vem La Marseillaiseo belo hino francês.

Emociono-me com nossa bandeira, desde bebê aprendi que o branco simboliza a paz; o azul simboliza o céu e os rios brasileiros; o verde nos lembra as lindas matas e o amarelo simboliza nossa riqueza, tão cobiçada  – desde sua descoberta até hoje.

Lembro, também, que aqui temos total cuidado com os animais, todos prezam e tratam com carinho, não é? Não se vê animalzinho abandonado, principalmente nas férias, quando, gente com o coração de ouro, abandona os seus bichinhos nos parques e nas estradas. Esse é o Brasil das Maravilhas. Ou da irresponsabilidade?

Aqui, no País das Maravilhas temos total liberdade; brincamos de polícia e bandido, todos os dias, em todas as cidades – não há discriminação. Brincamos também, de esconde-esconde na nossa maior Empresa Estatal, orgulho Nacional. Cada mês uma brincadeirinha nova, somos um povo criativo e com dons naturais.

Aqui, no Brasil das Maravilhas, o pessoal de boa cabeça ganha muito bem – eles mesmos aumentam seus salários na calada da noite. E não tem papo. Mas é só trabalharmos uns 100 anos que ganharemos igual. Seremos uma sociedade mais solidária, mais fraterna... Ah, e mais igualitária

A pobre cidade de Melgaço, no Pará, está em  condições de dar seu verdadeiro depoimento, pois tem o pior índice de desenvolvimento humano do Brasil. Devem ser muito felizes, os irmãos lá de longe...

Aqui ainda não sabemos o que é corrupção e propina, essas coisas estranhas. Pagamos altos impostos mas temos tudo que precisamos, saúde e estudo gratuitos por toda a vida – do básico à faculdade, igual ao povo lá da Suécia.

Lembro que até o Papa, quando esteve aqui no Rio Grande do Sul, disse que era gaúcho! Lembro que a gauchada delirava. Não foi o Francisquinho, foi o João Paulo II. Vejam vocês, até um papa quis ser brasileiro! Maravilha. Fizeram até musiquinha pra ele, e foi embora encantado. Realmente somos um povo feliz da vida. E se um papa pode ser gaúcho, porque eu não posso ser a Alice do Brasil das Maravilhas?

Não sou uma pessimista extremada, mas nem uma otimista  boba. 
Contudo, torcerei para que nosso país saia dessa situação crítica e consiga respirar, pelo menos,  sem aparelho. O que já é uma esperança de vida.






38 comentários:

  1. Muito legal ver vessa Alice que satirizando, fala tudo! Pelo que tivemos oportunidade de ver, aqui tuuudo está tão bom,tão perfeito!! Tomara ensinem o caminho desse país!Daí poderemos itr pra lá! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Chica, não poderemos ir, amiga, é sonho!! Nascemos para usar perneira em ninho de cobra, pulando pra lá e pra cá, dando um jeito na vida.
      Beijo grande, espero que estejas bem!

      Excluir
  2. Quanta ironia...Deus meu.....Por vezes ficamos na dúvida, se será aí, ou no País da 'Alice'....
    Mas é uma boa maneira de começar o Ano..., carregada de ironia....e muito lúcida....
    Um Bom 2015, com saúde e muita paz..
    Um abraço do tamanho que lhe aprouver hihihi...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Andrade, a ironia é pra tornar mais leve, pois a coisa está difícil, apesar de você morar além-mar é aqui mesmo o Brasil Maravilha.
      Bjus, bom ano, com paz e saúde.

      Excluir
  3. Acróstico
    Ovirundum

    Ora vejam, meus caros senhores
    Um dia na margem do rio Ipiranga
    Veio o soberano com seus horrores
    Invocado por limpar o cu na manga.

    Reclamou da insistente má sorte
    Assim pela falta de papel higiênico:
    Mas essa intendência é do norte!
    Disse D. Pedro num gesto cênico.
    O pior é que parece ser esporte!

    Inda nestes tempos indagamos,
    Por que esse cidadão português
    Inverteu seus nobres proclamos
    Rejeitando tudo que aqui se fez?

    Ao menos que respeitem este Rei
    Nobre que pelo Brasil dá sua vida
    Gente que quer outra coisa não sei
    Aqui nesta terrae brasilis querida.

    Amanhã haverá dobre dos sinos
    Sinos dobrando pela bunda limpa
    Majestade com seus sujos caninos
    Antevendo uma cagada supimpa.

    Reis e plebeus têm seus direitos.
    Garantidos pela nova constituição
    Embora tenha lá alguns defeitos
    Nossas velhas leis são o que são.

    Saibam todos que leem este relato
    Podemos ser até mui estulta gente
    Longe de presenciar esse tal fato
    Ávidos para defecar simplesmente.

    Cuidemos da nossa bunda contudo
    Invadem-na se não formos cautos
    Deixam penetrar um objeto pontudo
    Atocham nosso reto como arautos.
    Sendo pois assim, jamais me iludo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Báh, quantas vezes já ouvi Ovirundum!
      Virgi Maria.... Mas olha, nossas velhas leis 'nem são' mais o que são! Já eram.
      Abraços dos pampas! Ótimo 2015, Jair.

      Excluir
  4. Hahahaha, adoro seu jeito satírico e ácido de escrever.
    Se bem que nem ficou tão surreal, o País das Maravilhas não era tão maravilhoso para Alice que teve que cortar a cabeça de um monstro para vencer e, vencendo, vazou do país. rs.
    Seria a Dilma a Rainha Vermelha Cabeçuda?
    Seria o povo o Chapeleiro Maluco, que vivia feliz? Creio que não, pois de maluco ele não tinha nada, era esperto e sabia como driblar as coisas ruins e injustas daquele país, ajudando a desencadear uma guerra para libertá-lo.
    Não me emociono com bandeira, nem hino, muito menos Carnaval que é festa para gringo ver e achar aí fora que toda brasileira é puta e não merece respeito (como se as profissionais não o merecessem).
    É... Definitivamente, eu nasci no país errado, mas por falta de um monstro chamado condição financeira precária, acho que nunca poderei me dar ao luxo que Alice teve de sair do buraco.
    Beijos minha amiga, para variar, uma excelente crônica, só para pensantes. ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rssss, olhe o título do texto: Brasil das Maravilhas!! Mexi na história: pense no Brasil como pintei, não seria algo surreal? Não seria visto só em sonho? Construí a Alice brasileira!! Também nasci no país errado, gostaria de um país mais sério, menos festeiro. Também não gosto de Carnaval e por várias razões. As mesmas suas!
      Beijo, querida amiga, aqui também tem sofá pra conversar! rss

      Excluir
  5. Olá Tais!
    Uma maravilha mesmo, e esse ano promete. Hoje fui ao supermercado, e vi que alguns produtos subiram de preço uma média de 35%...
    E, relembrando o termo "capitalismo selvagem", pouco usado atualmente, e que eu não conseguia entender direito o que significava. Mas hoje, quando vejo que muitas “agruras” sociais são capazes de gerar cobiçados e orgulhosos empregos, compreendo muito bem. Quando sabemos que é perfeitamente possível se gerar o mesmo número de empregos seguindo por caminhos inversos.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Boa tarde Tais...
    muito já ouvi sobre aqui ser um país abençoado..
    já ouvi tb que as pessoas que buscam espiritualidade se encontram neste solo e que os demais estão a vir para cá tb..
    é dificil lidar com essa situação..
    não sou de partido nem a nem b..
    sou daqueles que fazem algo.. mas isso a gente vê tão pouco não é..
    quando fui a chapada diamantina na Bahia.. só vi barracos de barro e em quase todas fotos do lula e do partido ou sociedade secreta né rsrs
    tá mais pra isso..
    enganar o povo pobre dando cesta básica, vale gas vale celular..
    é fácil né.. e nós temos que trabalhar para sustentar o povo lá de cima..
    pelo menos é assim.. firmas aqui do sul que foram lá só se quebraram.. eles não tem lá muita vontade pq tudo é de graça.. e o tal Lá o Lula.. é um rei pra eles.. o cara que ferrou a classe metalurgica que pertencia.. já trabalhei em metalurgica e sei o que foi depois que o mesmo pegou..
    querem um povo burro, e ela assume falando em educação..
    a prima do pai ai da capital que é professora disse que eles são obrigados a passar os alunos.. e o que eles vão dar durante o ano é tudo aliviado.. ou seja.. cada vez saber menos..
    dai temos que escutar eles falando em cultura.. é uma piada..
    fuçando nas coisas da prefeitura aqui da minha pequena cidade vi que ganharam nesse setor 400 mil reais..
    e não fazem nada..
    a feira do livro é uma piada sem tamanho..
    eu com mais de 30 obras poéticas nem sabem que eu existo.. mandei emails para ver se o governo ajudava com algo e nem resposta se ganha...
    antes de vermos este país brilhando vai ter de cair tudo..
    e os primeiros que caem não somos nós que já estamos rastejando.. é essa máfia com dinheiro..
    vamos com o tempo ver melhoras.. com o tempo né.. beijos e um lindo dia a vc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Samuel, pois é, o Lula falando de educação. Você viu na Band a reportagem sobre Melgaço? Quantas Melgaços há espalhadas por essa imensidão desse país? Aqui, no RS, também temos algumas, não tão no caos, mas temos. Samuel, dinheiro existe pra tudo se muitos não metessem a mão, falta é vontade pra fazer e honestidade com a coisa pública. Cada dia é um rombo em algum lugar, aí fica difícil. Entendi o que você disse, e é assim mesmo. E sobre publicação de livros, é barra muito pesada, eu sei. Quase se morre nesse processo. Cruzes. É como já falei, os best sellers, os autores conhecidos vão para as gôndolas, são os que vendem e dão grana para as editoras e livrarias. Os outros mortais vão para a prateleira qualquer. Esse assunto escutei não faz muito num programa, numa roda sobre literatura Aquelas gôndolas custam caro para as editoras. E daí...
      Quanto aos partidos que você fala, não tenho partido nenhum, já tive e foi a maior desilusão do mundo, nunca mais.
      Beijos, Samuel, lindo domingo amigo!

      Excluir
  7. Tais: Não conheço o teu Brasil mas achei engraçada a tua descrição Alice no Brasil das maravilhas. Bom ano de 2015 para ti e família.
    Beijos
    Santa Cruz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu bom amigo Santa Cruz, inverta tudo que falei no texto que você entenderá o meu Brasil. Contruí uma Alice (Tais versão 2015) num Brasil surreal, que não existe apesar de sonharmos com ele. Você entenderá, mais ou menos, o caos que está nossa saúde, segurança, educação.
      Lindo 2015 pra você e sua família.
      Beijos para Portugal.

      Excluir
  8. Pois é, Tais. Costumo perguntar por ai, "O que lhe dar orgulho no Brasil?" O cara fica pensando... Sito o primeiro motivo, para ajudar, que dizer, dava: "Futebol!, outro..." Quer dizer futebol dava orgulho, né? E o cara fica pensando... pensando...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Fábio, vou ficar lhe devendo essa resposta.
      Tenho de pensar... talvez ligando o botão da generosidade e com um enorme otimismo, eu descubra. Mas com certeza não serão as festas populares, grandiosas, luxuosas.
      Bjus!

      Excluir
  9. Ah! Taís... onde compro a passagem? Fico cantarolando: - "Eh, ôô, vida de gado
    Povo marcado, ê ... Povo feliz"! Há um grande "autismo social" em nosso meio político-administrativo! É uma engrenagem em que mais "damos que recebemos"... Que tenhamos coragem de prosseguir!
    Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Precisamos dessa coragem, Célia, talvez pensando em São Francisco, "é dando que se recebe", a gente se anime um pouquinho e acredite no santo - mesmo que estejamos todos enrolados. Enroladíssimos!
      Boa semana.
      bjus.

      Excluir
  10. Happy and blessed new year!
    I wish you all the best!
    Hugs,
    Joanna (http://syros2js.blogspot.com)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thank you, for you too all good.
      Follow your blog.
      Hugs!

      Excluir
  11. Olá Tais, sua crônica perfeita nos pinta com pinceis e tinta, detalhes de como estamos vivendo em nosso " País das Maravilhas", as Alices estão por todos os cantos, até pensei em me apresentar como uma delas também, mas achei demais,pois para um país tão repleto de tudo o que nos faz bem e nos dá dignidade, não mais um lugar para eu ser feliz aqui.Quem sabe Pasárgada?
    Que bom ser amiga de uma Alice que vive no "Pais das maravilhas"....Texto maravilhoso, repleto de eufemismos ou quem sabe que figura de linguagem existe para descrever tão belo e rico país. Mais uma vez desejo a você e família um feliz ano novo! Que 2015 seja abençoado. Convido-a para ler , em meu blog, uma homenagem que escrevi a um amigo , escritor. Obrigada! Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marli! Pasárgada?? rss, também já quis ir, já escrevi sobre ir embora pra Pasárgada. O índice do blog está meio abagunçado, estou arrumando.
      Sim, nosso país é maravilhoso, aqui somos amigas do rei!. rss Temos tudo que precisamos. Irei no seu blog, sim, como sempre gosto muito.
      Grande beijo, amiga, obrigada pelo carinho.

      Excluir

  12. A grandeza dos amigos são como as flores raras: sua magnitude fica para sempre.
    (Cristina Beloni)
    Obrigada por compartilhar comigo este 2º aniversário do blog Algodão Tão Doce !!!!
    Um doce abraço, Marie.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Marie, sempre retorno o carinho dos amigos.
      Um beijo, amiga.

      Excluir
  13. Quando comecei a ler...até cheguei a pensar que era mesmo o país das maravilhas!! é pena que assim não seja...

    Isabel Sá
    http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Isa, bem vinda ao blog!
      Abraços a você e ao seu lindo país, o qual tenho amigos queridos.

      Excluir
  14. Poiss eu também desejaria que o seu país se tornasse um pouco melhor em tudo
    aquilo que ainda é, muito negativo. Como em Portugal onde ainda há tanto que fazer
    para que a maioria do povo tenha algum dignidade.
    Temos que, cada uma nos seu país, fazer o que seja possível para inverter
    tais situações.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Irene, obrigada pelo carinho da visita e do comentário.
      Um 'melhor' 2015 para todos nós, aí de Portugal e do Brasil.
      Beijo!

      Excluir
  15. Olá Tais!
    Ironia à parte, você tocou num assunto atualíssimo, quado quem está e sempre viveu no país das maravilhas acabou de assumir a direção deste barco á deriva. Aliás Brasília é a Ilha da Fantasia e todos nós sabemos disso.
    Embora o gato de nove dedos da história esteja cambaleante como sempre, será consultado mais uma vez pela "Alice presidenta" sobre que caminho tomar, e mais uma vez, será informada: "Para quem não sabe para onde vai, qualquer caminho serve"!
    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então que seja um caminho um tiquinho melhor! 'Pulso forte' pra assumir essa direção, mais seriedade, escolhas certas e um compromisso com o coletivo, isso falta muito por aqui. Vontade para reconstruir.
      Beijos VitorNani!

      Excluir
  16. Olá minha querida amiga Tais, também acho nosso hino o mais belo de todos, seguido do da França...analogia perfeita, à medida que lia não sabia se ria ou me apavorava mais do que já estou com nossa situaçaõ enquanto nação (rimou, mas é triste). Que tu achas da única mulher eleita governadora colocar a família no secretariado? Falaste destes senhores, que investidos de poder dado pelo povo aumentam descaradamente seus salários que já são altíssimos comparados aos salário do trabalhador. Para qualquer lado que se olhe é uma triste realidade, a coisa pública está infestada de abutres, pessoas que esquecem qualquuer vestígio de moral, respeito, vergonha e metem a mão no dinheiro alheio, no que eles deveriam administrar, aliás, acredito que o mal do Brasil é a péssima administração que nosso país sempre teve, desde a descoberta...Que bom ler esta crônica, que bom te ler Tais, percebo que minha lucidez é real, que não estou delirando, a coisa tá feia mesmo, embora queiramos o melhor, queremos poesia, alegria com as pessoas que amamos, comida no prato, no nosso e do vizinho, e do mundo...mas estamos aqui vivendo esta ilusão que no vendem caro, muito caro e pagamos, pois acreditamos, queremos um mundo melhor, senão já seríamos anarquistas ou bandidos, mas mantemos nossa dignidade, e trocamos idéias, nos respeitamos e acima de tudo, acreditamos no bem. 2015 cheio de paz pra nós e saúde também.
    ps. Carinho respeitoe abraço.

    ResponderExcluir
  17. Olá, amigo Jair, espero que você esteja muito bem aí na nova cidade! Você fala da governadora e seus familiares, né? Pois é... o velho e conhecido nepotismo, mas não precisava exagerar tanto (ouvi, há pouco, no rádio, nada menos do que 19 parentes). Será que ouvi certo? Não pode ser, fiquei paralisada. E como acreditar, se 2015 está começando com essas bombas? Amigo, estamos lúcidos, sim, não estamos doentes. O que precisamos é nos acalmar, rss. Obrigada pela suas carinhosas visitas e comentários.
    Grande abraço, amigo! Um 2015 com paz pra todos nós!!

    ResponderExcluir
  18. Muito boa sua fantasia Taís, somos um povo de esperança e de crença diversa.
    E ainda temos uma memoria estranha.
    Mas como bem você termina ainda resta uma fatia desta esperança, que possa fazer reinar a decência pelo amor de Deus, para que possa Alice dizer que viveu e viu um novo tempo.
    Gostei muito amiga.
    Parabéns sempre pelo uso perfeito das palavras e sempre deixar um sonho explicito de um país melhor e mais justo.
    Quem sabe?
    Um abração.
    Bju e que 2015 seja para você e família uma prova de que viver vale a pena.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Toninho, pois é, tentamos de todas as maneiras que surja, ainda, um tiquinho de esperança, que ela não se vá de todo. É bom ter esperança, é preciso, pois a vida vale a pena, sim! Que bom ter sua visita aqui, ainda mais com essas palavras deixadas.
      Beijo aqui do sul, cujo clima é tipicamente bipolar, rs.

      Excluir
  19. Cara Tais. Voce sabe que aprecio seus textos primorosos, mas diante disto só tenho uma pergunta: Quantos litros de whiskey voce tomou antes de escrever isto? Talves eu tambem posssa ver nosso pais desse modo,né?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sig, olha... você 'não entendeu' o espírito de 'ironia' que construí essa crônica. Inventei uma Alice surreal para viver num país surreal, o Brasil das Maravilhas e dizer tudo que está errado. Como você não entendeu, faça assim: vire esse texto ao contrário que é exatamente o 'certo'. Com exceção do Hino Nacional que realmente acho lindo.
      Um abraço, Sig.

      Excluir
  20. Adoro o que você escreve, Tais. Sua mente é uma cascata de ideias.
    Beijo e muita paz!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, querida Shirley, fico contente de você ter gostado, conheço também o seu potencial de criação!
      Beijo grande!

      Excluir
  21. As Alices que passa(ra)m na minha vida.

    Beijos e... gostei de te ler !

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Este blog 'não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos'. Meu e-mail está na guia superior, faça contato.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso