23 de novembro de 2007

UMA RESPOSTA SOBRE 'CREMAÇÃO'

Taís luso 


Postei, neste blog, uma crônica ‘Cremação ou Sepultamento’, está bem mais abaixo. Escrevi após o falecimento de minha mãe. Meu pai foi sepultado conforme nossos antigos costumes, mas minha mãe optou pela cremação. Na outra crônica contei como vejo o sepultamento convencional e a cremação. Mas gostaria de responder ao comentário de uma leitora - deixado na crônica citada.

“Amiga Thaís, Hoje é um dia que estou muito saudosa. Há dois anos que o meu pai faleceu. E em novembro próximo fará um ano que a minha mãe também faleceu. E foram cremados. Hoje li seu depoimento sobre cremação e fiquei um pouco aliviada, pois estou muito confusa em relação a tudo isso. Principalmente pelo destino dado às cinzas deles. Como eles não haviam escolhido o destino delas, nós que somos 7 filhos apos ter deixado um tempo no columbário, decidimos colocá-las num parque florestal, pois eles gostavam muito de plantas. Mas sinto falta de um lugar como referencia de onde estão os restos mortais deles, apesar de ser espírita”.


Amiga Patrícia: passados um ano e quatro meses do falecimento de minha mãe, que foi cremada, já posso dizer alguma coisa a respeito. Minha mãe ficou um ano no columbário. Depois soltamos suas cinzas entre flores. Achamos, meu irmão e eu que deveríamos ter esse respeito: deixá-la um pouco no columbário para que descansasse em paz. Talvez por influência do sepultamento convencional tivemos esta atitude. Talvez, também, em busca dessa referência que falas. Coisas que, nós, educados numa cultura ocidental, levamos em conta. Mas hoje não acredito que faça alguma diferença. Cinzas são apenas cinzas.


Amiga: já que és espírita, sabes que nada mais existe do que o espírito. O que morreu foi a moldura, a ‘obra’ continua... Quero acreditar que isso seja verdadeiro.

Estou deixando, segundo as doutrinas espíritas, que o espírito de meus pais tomem seu rumo, que se libertem daqui, pois acredito que só assim serão felizes. E nós temos de continuar. Temos de encarar dessa maneira, já que não há como trazê-los de volta.


Não descarto, porém, em relatar que o sofrimento para nós, filhos, é muito maior na cerimônia de cremação: não há como comparar. Senti maior dificuldade do ‘desligamento’ nesse cerimonial. É difícil para segurar a emoção justamente por se tratar de um cerimonial que ‘bate de frente’ na nossa sensibilidade. E o cenário, por mais digno que possa ser nos mostra o tanto que somos frágeis e como tudo acaba... E encarar isso é muito difícil. É coisa de primeiro mundo, mas... se 'amolecermos' ficamos ali! Porém é uma questão de escolha: devemos optar pelo que acharmos melhor pra nós, que ficamos. Mas de qualquer maneira teremos de administrar a última lembrança, seja de uma forma ou de outra.

Um abraço, amiga.

Taís

* Resposta à crônica Cremação ou Sepultamento

3 comentários:

  1. Nao sou espirita, e sim ateu. Nao acredito na continuidade de algo que terminou. Mas, papai esta enterrado. Meu tio diz que quando morrer, quer ser enterrado com uma semente de carvalho no estomago, a fins de que dessa nasca uma arvore que nutra de seus restos mortais. A memoria, contudo, traz a vida quem se foi. Nisso eu nao so acredito. Isso eu sei.

    beijao

    RF

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde querida Tais..
    pois justamente no sabado no grupo que vou falamos sobre tal assunto..
    participo de um grupo que estudo o livro do conhecimento-
    é um livro maravilhoso, com uma linguagem muito profunda e que levou 12 anos para ser terminado.. enfim.. tem mensagens lindissimas..
    mas voltando justamente a este assunto..
    pois umas pessoas ficaram com dúvidas justamente se deveriam ser cremadas ou enterradas em terra..
    dai depois uma amiga se aproximou de mim e comecei a falar né srs
    eu falo meio pelos cotovelos rsrs mas acho que até que passo algo tri muitas vezes..
    falei a ela que tinha visto um video da eubiose onde um dos palestrantes disse que se a pessoa foi boa em vida.. não criou muitos inimigos, desavençaas, se não foi tão presa a vicios a cremação é um tanto maravilhosa pois o fogo ajuda a levar o espirito da pessoa rapidamente.. mas se a pessoa tiver digamos vicios e fez coisas um tanto erroneas.. a alma fica um tempo presa ao corpo e se for cremada esta sofre muito..
    alma é sublimada quando se morre.. as tendencias positivas vão no ponto de luz chamado bindu que se encontra no centro do peito na linha do seio.. e as tendencias negativas ficam aqui para voltarmos para resolver caso a gente aprontou demais né srrs
    tb pude ouvir algo que usam flores no caixão para que a alma se solte mais facil e a mesma fica impregnada pelos aromas.. pois este mesmo palestrante tinha clarividencia e um ajudante da emissora havia perdido a mãe e quando ele na semana seguinte entrou no trabalho ele disse.. sua mãe gostava de cravos.. ele disse sim.. era a flor preferida dela.. nós a enterramos com isso.. e como ele podia ver digamos o outro plano ele viu a mãe do rpaz próximo a ele e sentiu o cheiro de cravo.. achei bem interessante.. sobre esta amiga que te falei.. eu disse a ela.. eu escrevi o livro dos mortos rsrs falo de tudo que cerca a morte.. vermes.. podridão.. cinzas.. enfim.. muita gente sai correndo quando posto algo assim srrs o poeta augusto dos anjos só flava nisso.. explorar este lado é bom.. pois somos um mistério.. somos minério da terra.. eu ainda não me decidi.. mas sei que a minha balança tem de pender para o positivo.. o resto é só um tunel.. e ng atravessa de mãos dadas.. a gente vai sozinho... beijos e um excelente dia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Samuel, báh, casualmente peguei Augusto dos Anjos de manhã "Clássicos da Poesia Brasileira" e li dele "Budismo Moderno". Também tenho um certo 'quê' para postar umas poesias meio, no dito popular, macabras. Não acho que sejam macabras, é um assunto que não se pode fugir, que está todos os dias entre nós, é o que mais acontece nessa vida. Mário Quintana que o diga... Tudo que cerca esse assunto é curioso, mas poucos querem falar.
      Interessante esse seu comentário, um ponto de vista - ignorado por mim. Olha, pra falar a verdade, deixo para fazerem com meu corpo, a minha matéria, o menos sofrível para os filhos. Não tenho escolha: tenho pavor de insetos e assemelhados e horror de fogo! Portanto...Bonito foi o filme Ghost!!
      Beijo, amigo, linda semana.

      Excluir

MEUS AMIGOS:

1 - Este blog não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso