7 de maio de 2016

MUDANÇAS NA CASA?




- Tais Luso

        Ontem cheguei em casa com umas revistas diferentes das que costumo comprar: cheguei com revistas de decoração! E ouvi um 'UÉ...' Não sei bem se foi de surpresa ou de pavor! Homem não entende de decoração, para trocarem uma cadeira de lugar é uma olimpíada! Aqui em casa o negócio fica meio nervoso, sou a única que gosta de trocas. De inovar.
Há dias comecei a olhar a decoração de nossa casa e fiquei pensando o tanto que mudei no decorrer dos anos. Mudei meu gosto, minha maneira de ver e sentir. É interessante como a casa acompanha nossa trajetória.
São transformações que acontecem e externamos também na casa. Eu noto de cara a personalidade de alguém quando entro em sua casa.
Tive uma amiga que me colocou numa fria. Faleceu há muitos anos, tinha um belo antiquário e com ela aprendi a amar as antiguidades. Fiquei apaixonada, realmente. Era daquelas pessoas que dizia: leva e paga como quiser. Pronto: a criatura fez um estrago enorme na minha vida. Me embuchei de peças antigas e agora está difícil de desapegar-me. Não tem como.
Dizer a alguém 'pague como quiser' é criar problemas para quem aceita. Eu aceitei, mas hoje não compraria nem a metade do que adquiri. O tempo se encarregou de formatar uma outra cabeça para minhas necessidades, gostaria agora de um estilo clean, mais leve, algo de fácil manutenção e não mais de metais, que requerem limpeza com regularidade ou porcelanas que não resistem às mãos da empregada.
Ofereci algumas coisas para meus filhos, mas não querem entupir suas casas, são mais práticos. Eu é que sou meio excêntrica: num canto de minha sala tenho um grande espremedor de uvas, dos EEUU, do ano de 1880. Ferro pesado que já passeou por todos os cantos da casa. Todos perguntam o que é aquilo!! Realmente é curioso. E belo.
Por outro lado, eu e Pedro temos o mesmo gosto, mas com uma ressalva: para ele um vaso pode ficar 30 anos no mesmo lugar que está ótimo; comigo o vaso precisa fazer rodízio, como se fosse a antiga bandeira da Igreja Divino Espírito Santo que visitava todas as casas dos paroquianos, semanalmente!
Lembro que minha mãe gostava desse mexe-mexe. Ela saía de minha casa e queria fazer o mesmo na dela. Ficava à minha espera, com a empregada de plantão. Meu pai ficava transtornado. Só não tocávamos em seu escritório. Respeitávamos. E minha mãe me cutucava:
- Minha filha, teu pai não gostou da nova decoração...Tá meio transtornado.
- Deixa, mãe, tá lindo, é questão de tempo! Relaxa.
Mas essas mudanças domésticas divertem, viram brincadeiras, mexem apenas na superfície, nos excessos, no nosso gosto.
O difícil é lidar e querer mudar pessoas com condutas e sentimentos torpes que o tempo agravou; difícil é a dúvida que se vive atualmente no Brasil porque as peças dessa casa, que abriga 200 milhões de moradores, não se encaixam em lugar nenhum, com coisa alguma.
Tudo zanza, causa náuseas, parece um navio em alto-mar enfrentando muitas tormentas.



34 comentários:

  1. Acróstico

    Mas com isso, o que faço,
    Uma coisa sem serventia
    Deixo-a pois, por ela passo
    Assim na tristeza e alegria
    Retrógrada em cada traço?

    ResponderExcluir
  2. Se compararmos as nossas casas que podem até merecer reforminhas e mudanças com a grande casa BRASIL, saímos no lucro...Realmente nela nada se encaixa, mentiras saem das gavetas, dos "armários e fichários" saem tudo e fazem das nossas santas bocas, sair vários impropérios, como os que estou aqui pensando enquanto escrevo,rs... Lindo e feliz dia das mães! bjs, chica

    ResponderExcluir
  3. MUY CRÍTICO TU POST!!!!
    ABRAZOS

    ResponderExcluir
  4. Esperamos que mudanças e reformas aconteçam coma urgência que o momento requer mas como tudo está fora do lugar acredito que será muito difícil acertar o compasso para que tenhamos uma decoração clean nesse nosso pais
    Querida Tais
    Mãe, palavra que soa suave ao coração, palavra que encanta e traz alegria. Mãe, significado de paz e amor.
    Mais que ninguém, você merece ser homenageada por sua dedicação e por seu amor
    Parabéns pelo teu dia!
    Meu abraço super especial como símbolo da minha homenagem à você

    ResponderExcluir
  5. Olá, Taís
    Como vou passar o final-de-semana em casa da minha filhota esta passagem é rápida como o voo duma andorinha …
    A Mulher que não é Mãe… é filha… portanto, tem ou teve Mãe.
    Por isso, seja na qualidade de filha, seja na condição de mãe… tem sempre motivo para festejar o DIA DAS MÃES.
    Desejo que o “seu” seja muito feliz junto de sua linda família.

    Beijinhos
    MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS

    ResponderExcluir
  6. Olá Tais!
    Eu também sou assim. Deve-se mudar de vez em quando.
    E você escolheu uma boa hora, pois mudaremos sim, em breve,
    a vida dos 200 milhões de brasileiros! Se para melhor, não sabemos, mas
    uma boa faxina a começar por Brasilia, já será um bom começo!
    Beijos e bom fim de semana!

    ResponderExcluir
  7. Mudar os cantos à casa faz bem à alma! Eu gosto de o fazer...já mudar pessoas...é mais complicado!
    Boa noite...e bj

    ResponderExcluir
  8. Olá, Tais, querida.
    És uma "contadora de histórias" nata, com veia vincada e assinatura reconhecida em cartório. Estas suas crónicas, regra geral, são de sorrir, já por antecipação, e eu, aqui deste lado do ecrã, tentando adivinhar o desenrolar da coisa: então o vaso tem que andar em rodízio, que nem a "antiga bandeira da Igreja Divino Espírito Santo"!!! Boa! - e olha que eu também gosto de dar uma mexida. Mas me limito a "um daqui pra'li" - também meu apê é pequeno, não dá pra muito mais que isso.
    As casas com essa relíquias são belíssimas, mas, como você tão bem o diz: requerem manutenção. Aliás, só para tirar pó, já é trabalheira!
    A moda minimalista é óptima. Quanto menos, melhor ;)

    bjn amg

    ResponderExcluir
  9. Los cambios van bien siempre aunque tan solo sea mover los muebles de lugar, un poco de ilusión hay que tener en nuestras paredes en las que uno pasa la mayoría del tiempo.
    Un abrazo.

    ResponderExcluir
  10. Mas com tempo....vai tudo ao sítio.....
    Eu gosto de mudar periodicamente...,até para estar ocupado
    e ir revendo peças que já nem lembrava que tinha feito.
    Só há uma coisa onde nem eu mudo.....é o a bancada de trabalho;
    está sempre arrumada, estando uma bagunça..Mas só assim sei
    na hora, onde tenho o que vou precisar...
    Quanto a condutas e sentimentos.....com tempo tudo vai ao sítio..
    Bom fim de semana
    Beijo

    ResponderExcluir
  11. oi Taís,
    Aqui em casa quem gosta de juntar no meus caso(tranqueiras) é meu marido. Tem um quarto no fundo e guarda tudo: quebra um computador: guarda. Pra quê?
    Sou completamente diferente, a hora que passar o caminhão de sucata jogarei tudo disse a ele e se me encher o saco vai você também.kkk
    Feliz dias das mães!
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  12. Costuma dizer-se por aqui, casa mudada, é casa ajudada...
    A mudança cria uma boa energia, realmente, parece que se fica com a ideia de um novo recomeço... e essa sensação, é bem gostosa!...
    Contudo confesso, que não a ponho muito em prática!... Pois as minhas casas também estão atoladas, com peças a que nos afeiçoamos... e que sentimos terem ganho o direito de se destacar neste ou noutro canto... aqui e além... e as poucas mudanças que fazemos... rápidamente nos demostram... que tudo ficaria bem melhor... do jeito que estava... mas de quando em vez... pelo menos a gente tenta... :-D
    Adorei seu texto, como sempre, Tais!
    Beijos! Bom domingo! E feliz Dia da Mãe, por aí! Por aqui, foi no passado dia 1...
    Ana

    ResponderExcluir
  13. Taís!
    Mudar esse antiquário Brasil com peças desvalorizadas... Nem para reciclagem servem, ok?
    Agora, as mudanças de sofás, de mesas, de outros objetos pode trazer transtornos, mas o resultado é muito agradável! Por aqui já doei muitas coisas... Preciso de tudo muito prático para viver melhor.
    Abraço e Feliz todos os dias de mãe para você!

    ResponderExcluir
  14. Olá, Taís!
    Acho bacana mudar as coisas de lugar de vez em quando. a gente enjoa de ver sempre tudo igual! Minha mãe também me ensinou a ter gosto pela mudança dentro de casa, pois ela era fanática por isso. Às vezes eu chegava da escola e meu quarto estava em outro lugar...
    Feliz Dia das Mães.

    ResponderExcluir
  15. Boa tarde Tais.
    Hoje vou ser um pouco breve devido só está descansando o almoço para sair com a minha filhota. Vou lhe confidenciar um segredo, geralmente leio as suas postagens para ela, mas essa vou guardar para mim rsrs, pois se ela ler, vai logo inventar de mudar alguma coisa aqui em casa, pois ela é assim não gosta de ver nada em um único lugar e pior ainda gosta de inovar muito, e eu nesse ponto que estou prefiro deixar tudo nos seus devidos lugares por muitos messes kkkk. Um lindo dias das mães querida amiga, um feliz domingo para você, o Pedro e toda família, Enorme abraço.

    ResponderExcluir
  16. Uma crônica deliciosa, nós mulheres gostamos desse renovar
    a casa e o os maridos são mesmos resistentes, acontece o mesmo
    comigo, o meu marido reconhece logo o meu olhar de mudar os móveis
    de lugar e já fica aguardando e depois sempre gosta...rss
    Agora a casa Brasil se encontra muito complicado.

    Feliz dia das mães, querida!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  17. Fazer alterações na decoração da casa. Quem não gosta? Mas é como você diz: "difícil é a dúvida que se vive atualmente no Brasil"... Que tudo se resolva bem.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  18. Revi-me nesse texto, Tais. Com o tempo, com a nossa idade avançando, começamos a quere tudo mais simples e os armários menos atolados. Muita coisa tenho mudado na minha casa desde que regressei do Brasil ha 26 anos; cheguei à conclusão que " enfeites" na cozinha ganhavam gordura e era dificil limpar; no Brasi tinha empregada diåria e quem via a gordura era ela; tapetes também dim7nuiram muito aqui em casa; só existem onde é estritamente necessário; estou a ficar velha e um dia tropeco e caio, por isso,...fora! Os filhos, claro que não querem nada e fazem eles muito bem, pois as casas são para nosso conforto e não" prisões" de trabalho. Aqui é muito dificil ter uma empregada a tempo inteiro e, se eu não tivesse aprendido a simplificar a miha vida não faria outra coisa a não ser limpar casa. A única nica diferença, amiga, é que eu desapago-me facilmente.; pego nas coisas e logo logo vão para a loja social, um lugar criado pela autarquia ( prefeitura ) para onde as pessoas podem levar roupas, almentos e todo o tipo de objectos e depois as pessoas carentes, sinalizadas pela assistente social vao lá e levam o que quisere, Claro que o meu marido não é nada assim e " arrepia-se " quando me vê levar certas coisa, e sabes o que respondo? " Um dia também eu acabo e vou para debaixo da terra, então por que não podem ir os objectos ? " Ela fica a olhar para mim e encolhe os ombros. As vezes são presentes que recebi, mas penso: " quem me ofereceu não se importa que tenha ido alegrar a casa de uma pessoa carente. E assim amiga me vou desfazendo daquelas " inutilidades " que fomos acumulando ao longo dos anos e que agora só incomodam, até porque, no meu caso, somos só dois em casa e tudo sobra; os filhos ( um filho e uma filha ) já sairam de casa e quando o meu filho e os dois netinuos vêm cá não há falta dada, pois preocupei-me com esse aspeto. Sempre fui muito pratica, mas cada vez estou mais, porque assim o exige o tempo que aind teremos ou não; há que o aproveitar em coisas que contribuam para uma melhor qualidade de vida e " as tralhas " só atrapalham. Interessantíssimo este texto, Tais. Um beijinho e ate sempre
    Emilia

    ResponderExcluir
  19. Boa noite minha querida amiga... como está tudo por ai Tais.. espero que muito bem.. um assunto bem abordado..
    eu gosto de antiguidades.. ainda guardo algumas coisas.. meu pai coleciona adesivos antigos.. são a paixão dele.. temos uma prateleira da minha vozinha muito antiga tb.. complicado quando minha mãe quer se livrar de algo srs as vezes some coisas que ela foi tocando pra frente.. de cara sempre que ela mexe nas minhas jaquetas srs
    mas uma mudança é sempre bem vindo por outro lado né.. te desejo um feliz sempre bjs Tais

    ResponderExcluir
  20. Já diz um ditado: "De permanente só a vida", é mesmo. Confesso que sou também meio conservadorzão, mas, é bom respirar novos ares, a renovação das mudanças. Beijos, Tais.

    ResponderExcluir
  21. Olá Taís, gostei das mudanças que nos mudam e voltamos aos que éramos.
    Sou como o Pedro alí tá bom, deixe como está. Mas suas cronica me fez lembrar minha irmã lá nas Minas. Ela vira a casa de perna para o ar. Lembro que meu pai pirava, quando ela mudava os milhares de quadro de santo que tinha nas paredes e um quandro de Getúlio Vargas(o pai dos trabalhadores dizia ele) que ela insistia em tirar da sala, kkk era briga ruim.Mas creio que as coisas de uma casa como suas colocações mostram um pouco da pessoa.Tenho uma queda por antiguidades e os retrôs.
    Mas quando se fala de facilidade de arrumação, a ideia clean vem a calhar e bem, desde o piso às decorações.
    Desejo que tenha tido um belo e feliz dia com muito carinho da família.
    Meu especial abraço pelo dia.
    Bjs de paz amiga.

    ResponderExcluir
  22. Olá Querida gêmea, houve época que íamos marido e eu em antiquários em busca de móveis antigos comprávamos, envernizávamos ou qualquer coisa do tipo, e lá estava na sala a bela aquisição, assim foi durante anos.
    Agora que moro numa casa grande, fiz reformas não nos moveis, mas na minha vida, doei, vendi, minimizei o entulho. E ando me entendendo com corretores querendo vender a casa, e ir para uma menor. Você está certíssima, o menos é mais. Boa sorte na sua redecoração. Quanto ao Brasil, isso já virou uma palhaçada de irresponsáveis, o problemas deles é quem dá mais o Brasil e os brasileiros que se danem.
    Espero que tenhas tido um ótimo dia das mães com muita alegria e amor.
    beijinhos, Léah

    ResponderExcluir
  23. É bom de vez em quando mudar o visual tanto nosso como das nossas casas.
    Um abraço e boa semana.

    ResponderExcluir
  24. Olá Taís,

    gosto de mudanças, mas nem sempre dá para realizar, porque demanda tempo. Mas inovar é preciso.
    Tenha uma linda semana.

    Bjs

    Tânia Camargo

    ResponderExcluir
  25. Taisinha,

    Esta tua crônica parece contar coisas atuais, mas na verdade narra alguns fatos da nossa casa de um passado mais distante. Felizmente hoje já houve um arrefecimento, diminuíram as mudanças e a compra de antiguidades. Mas o fato é que tudo o que foi colocado em nossa casa ainda pode dar uma ideia do teu bom gosto. E como sou inveterado conservador, acho que nada deve ser mudado.
    Gostei muito, Taisinha, desta tua crônica, que, como outras tantas, diz bem do teu talento. Parabéns.

    Beijinho daqui do escritório.

    ResponderExcluir
  26. Ainda bem que você não sente a palavra fremir ao dizer mudança, não sente vertigem, ainda bem que em tua casa "tudo é violável", pode mudar de lugar. E ainda bem que o não soluça com tais mudanças (risos). Um bela crônica. E a finda encaixou como a luva com o momento "hard" desse país.
    Abraços,

    ResponderExcluir
  27. Minha querida amiga Tais, lendo teu post fiquei vendo minha mãe de outros tempos, com saúde, a revirar a casa, cada vez que chegava do colégio tudo estava mudado, com o tempo acostumei e percebi que era gosto dela, uma forma de dizer que quem mandava ali era ela, e mania também. Acho que pais e mães são todos iguais, o meu sempre reclamava das mudanças, mas nada de perigo, era obedecer ou obedecer rs...à medida que lia teu post, ora sorria, ora lembrava...sou mais o dr Pedro, se um vaso está ali, que fique, que seja 30 anos rs. Quem dera que nossa vida pudesse ser mudada assim, como numa casa, de forma leve, divertida, afinal, propriedade nossa. E o leve post levou-me novamente a pensar, com um final surpreendente, afinal estamos com nossa casa-país toda bagunçada, e não fomos nós que começamos estas trocas, esta bagunça, parece uma casa que passou um furacão por dentro, não matou os moradores, mas causou um estrago imenso. Que peguemos este exemplo de boa mudança, para dar um jeito na casa, não precisa inventar, bastar limpar e respeitar e manter limpa nossa casa chamada Brasil. Mais um belo post, leve, suave, engraçado e muito sério. Sempre bom demais estar aqui querida Tais.
    ps. Carinho respeito e abraço.

    ResponderExcluir
  28. Taís, é delicioso ler o que você escreve, sempre com pitadas de realidade e de humor. Divirto-me bastante, amiga.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  29. Oi, Tais Luso, boa noite !
    Esse tema que abordas, mudanças internas
    na residência, para mim, é um martírio.
    Prefiro deixar tudo como está, por toda
    a vida.
    Parabéns pelo belo texto, e muto grato
    pela carinhosa visita ao meu blog.
    Um fraternal abraço.
    Sinval.


    ResponderExcluir
  30. Me gustan las antigüedades siempre y cuando tengan un valor sentimental.
    Conservo un reloj de pared que perteneció a mis abuelos paternos y tiene ya un siglo y una fuente de porcelana con tonos verdes que también tiene cerca de cien años.
    Pero el que verdaderamente tiene pasión por las cosas antiguas, es uno de mis hijos. No hace mucho le acabo de regalar una radio que tiene más de cincuenta años, está encantado, además suena perfectamente.
    Agradezco tus letras llenas de cariño.
    Yo también quiero enviarte los míos en un fuerte abrazo.
    kasioles

    ResponderExcluir
  31. Oi Tais,
    Obrigado pelo carinho
    O amor é lindo e temos que aproveitar.
    Beijos
    Lua Singular

    ResponderExcluir
  32. Oi Taís,
    Eu não gosto de cacos nem tranqueiras. Não presta joga no lixo;mas meu marido guarda tudo parece que nasceu no meio do lixão.kkk
    Beijos
    Minicontista2

    ResponderExcluir
  33. Amiga Tais, realmente o homem não entende de decoração, exceto se ele trabalhar no ramo. Concordo, organizar a casa brazilis não vai ser mole!
    Um abração. Tenhas uma boa noite.

    ResponderExcluir
  34. Não vou fingir que não li. Incluo-me na lista dos refratários à mudanças. Jamais permiti que trocassem minhas coisas de lugar, mas não me importo com as da casa. Estas são dos que nela moram.
    Levantou um problema que atinge todos nós. Dá briga, mas passa sem maiores consequências.
    Meu abraço.
    Jorge

    ResponderExcluir

PARA OS MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre bem-vindos, um grande abraço a todos! Voltem sempre.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

Taís Luso