24 de maio de 2014

E POR FALAR NO GOOGLE...



        – Tais Luso de Carvalho

Não é loucura nem exagero, é constatação: confesso que hoje em dia é muito difícil viver sem o Google. Qualquer dúvida recorremos ao Google. Ele não reclama das horas extras, dos milhões de pedidos por dia, das insistências e da nossa impaciência na procura de algo. Você quer encontrar o infinito? Vá no Google. E como nos é familiar esse banner acima, não?

Sou da Geração da máquina de escrever, do disco vinil etc e tal. Sou da época que se tirava dúvidas com meio mundo, e mesmo assim ficávamos nos emaranhados da incerteza. Da dúvida. Hoje é difícil não termos respostas.

Vou ao médico? Sim, mas antes visito alguns sites médicos.  Antecipo as dúvidas. Vou chegando já não tão por fora. Mais esperta. Aliás, os médicos odeiam pesquisa de leigo pela internet. Eu sei disso. Mas cada vez pesquiso mais.

Não faz muito precisei fazer uma ressonância magnética. Tremi nas bases. Perguntei no próprio hospital como era a tal geringonça, pois muita gente se deu mal, tiveram uma tal de fobia lá dentro do tubo. E fui ficando acovardada. 
Faço ou não faço?

Quanto mais pessoas falavam, mais acovardada eu ficava. Tive insônia, enxaqueca e o escambau.

Mas por quê? O que houve de tão grave, pelo amor de Deus? 
Taís, eu me senti num forno de crematório, e um barulho dos infernos quando a máquina  fez o escaneamento.

Nossa Senhora… Piorei! Senti uma vertigem. Já estava desistindo de fazer o negócio, mas eu tinha de ser responsável com a minha coluna. Já havia feito bobagens demais com ela.

Cheguei em casa fui ao Google. Pesquisei, entrei em sites médicos e papo vem, papo vai, resolvi encarar a ressonância. Descobri uma clínica cujas máquinas são de última geração. E deu tudo certo. Apenas 15 minutos e estava fora, mais feliz do que cachorro em churrasco. 
Bem que o barulho existe, e não é pouco. Mas me concentrei. O resto não sei e nada vi: entrei de olhos fechados e saí com os olhos colados.

Outro dia, estava conversando com outra amiga e lhe contei que desde minha adolescência – portanto há muitos anos –, tenho algo que nunca descobri: tenho enjoos e um mal estar de cão quando entro num carro, navio ou avião. Basta o negócio se mover que peço pra morrer. Tenho de tomar  Dramin,  como preventivo. 

 – Preciso saber o que é isso, to ficando doida, ninguém descobre!! – falei.

BOTA NO GOOGLE!!!

Cheguei em casa e vim direto ao computador. Nunca havia me passado pela cabeça em pesquisar, no Google, esse meu piripaque. Durante anos perguntei a vários médicos e nada. Ninguém sabia... Bem, pedi ajuda ao Google. Pois não é que fiquei sabendo?!! Que loucura.

O problema chama-se Cinetose (enjoo em movimento), e centenas de pessoas passaram nos sites fazendo as mesmas perguntas, tirando dúvidas das mesmas coisas que eu sinto. Cada um mais desesperado do que o outro; até piloto de avião, tinha! Virgem Maria, minha mãezinha… 
Bem que  o problema do piloto só se manifestava, segundo ele, quando estava no banco do carona. Ou melhor, no banco do co-piloto! Respirei. 

Tudo resolvido? 
Sim, até aqui tudo resolvido, esclarecido! 




27 comentários:

  1. Interessante, espirituoso, legal o seu texto, Tais. É por aí, o Google sabe tudo rs.
    Beijos e bom domingo!

    ResponderExcluir
  2. Adorei,Tais e realmente o DR.Google nos ajuda e funciona.Aqui em casa o consulto sempre e os médicos não gostam muito,mas vale de verdade. Chegamos às consultas ou exames sabendo exatamente o que vamos encontrar! bjs, lindo dia!chica

    ResponderExcluir
  3. Bom dia de domingo minha amiga Taís, li com atenção até sorri em algumas partes, pois é verdade, fazemos exames e abrimos antes do médico, vamos ao Google e pronto, achamos que sabemos o resultado, tenho um médico muito bom, mas ele vive me dando bronca por isso, sim, li coisas que eu nem sequer tinha.
    Hoje em dia se aprende muito, amo fazer pesquisas, acredito que todo mundo que tem fome de saber sai a pesquisar e o "Tio" realmente é de grande ajuda, agradeço também!
    Abraços minha amiga, amei ler!

    ResponderExcluir
  4. Olá, Tais!
    Eu também tenho problemas de coluna, e graças ao google, nunca mais precisei levantar peso ao usar meu dicionário de "cinco" quilos.
    Abraço,...

    ResponderExcluir
  5. Olá, Tais, bom dia de domingo

    Interessante, a sua postagem. Tudo resolvido ? Nada. O ' guga ' não pára. A mim, ele é um socorrista, de nomes de ruas, nesta loucura, que chamamos de São Paulo.
    Bom tudo.
    E viva, o " guga "
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, José, tudo resolvido quanto à descoberta dos sintomas do enjoo! Mas as pesquisas são infinitas! Continuam. E nos nomes de ruas?? Só o Google, todo o dia, o dia todo para alguns.
      Grande abraço!

      Excluir
  6. Realmente podemos perguntar qualquer coisa ao Google, até quando não sabemos fazer a pergunta ele nos apresenta algumas respostas.
    Pensão por Morte

    ResponderExcluir
  7. Oi Taís,

    o Google virou mesmo o manual de "todas as coisas". É automático! Quando vemos, já clicamos e ali estão um monte de respostas... Tem resposta até demais!!! rsrs quem diria que um dia teríamos um super dicionário com todos os assuntos assim??
    Tempos modernos!!!! Fico aqui me perguntando o que será que vem pela frente???
    E isso pode dar um bom texto!!!
    Abs

    Leila

    ResponderExcluir
  8. Olá Tais.
    Considero o Google um livro que não possui folhas.
    Tudo o que nos trás conhecimento considero bem vindos.
    Abençoada semana.
    Paz e Luz.

    ResponderExcluir
  9. A Barsa ou qualquer outra enciclopédia são hoje totalmente dispensáveis. Consulte o Google! Já viram fotografia da sede e local dos computadores? Dá medo...
    Grande abraço, Taís.

    ResponderExcluir
  10. Oi Tais!
    Estive afastada mas estou de volta, e como sempre, aqui só tem ótimas postagens!!
    E quanto ao Dr Google ele é infinitamente ótimo...nós é que devemos ter sempre o discernimento de selecionarmos o joio do trigo!
    Um grande abraço e boa semana!
    Mariangela

    ResponderExcluir
  11. É mesmo , Tais!
    Agora quase toda a gente vai ao google procurar as respostas para as suas dúvidas! Para ver um lugar e saber mais dele, para descobrir um autor, ler um livro.... Enfim, uma ferramenta indispensável. E afinal o exame foi conclusivo e está tudo bem?! Espero que sim. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Emília, levarei para o médico esta semana.
      Muito bem não está, mas há de ficar! rss
      Um beijo, querida, obrigada.

      Excluir
  12. Oi Taís, nem fale... O google é o melhor de todos os tempos e já me ajudou em muita coisa!
    Mas me diga, li teu coment no meu blog Coluna da Lu, sobre os visitantes indesejáveis e vc disse pra eu mandar pro span, como faço isso? BJ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lu, me envia um e-mail.
      Explicarei!
      beijos

      Excluir
  13. Meus parabéns Tais, que descobristes o porque destes enjoos

    bhaysing

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E foram anos e anos, Bhaysing!
      Mas resolvido e esclarecido.
      Obrigada.
      Bjs.

      Excluir
  14. Não temos como negar ajuda deste Senhor Informação.
    Quase todos os dias sento no seu banquinho para conversar
    e saio sempre mais convencido de que sem ele as coisas
    seriam mais complexas. mas como tudo é preciso saber bem, para nao levar gatos em lugar de lebres.
    Uma linda semana Taís.
    Carinhoso abraço
    Beijo.

    ResponderExcluir
  15. Olá Tais,

    Dr. Google é mesmo 'fera'. Outro dia fui a uma consulta com um otorrino e já cheguei dando as coordenadas das causas prováveis do meu desconforto. Como o médico me olhava com aquele olhar de quem estava diante de uma provável 'colega' fui logo explicando que já havia consultado o google. Ele sorriu e disse: "Esse Dr. Google!"
    Realmente, não dá mais para viver sem esse poderoso google. Ele nos salva até na escrita, pois não aceita palavras incorretas-rsrs.
    Fiz uma ressonância magnética do ombro esquerdo há uns vinte dias atrás. Minha irmã ficou em pânico em meu lugar, já que ela não entra naquela máquina de jeito nenhum (só se for sedada). Não tive problemas algum, a não ser o incômodo do barulho, e, como você, entrei com os olhos cerrados e só abri quando ouvi o 'terminou' e senti a maca se movendo-rs.
    Nunca tinha ouvido falar de Cinetose. Tive desses enjoos quando bem mais nova e sempre usava dramin ou dramanine nas viagens. Não imaginava que tais sintomas tivesse um nome tão pomposo-rsrs.
    E o piloto, hein? Difícil de imaginar um piloto de avião portador de tal mal estar-rs.

    Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente, Vera, você completou: o Google também é um 'corretor gráfico', rs.
      A tal de Cinetose foi um alívio, há anos que procurava saber sobre isso e cada vez mais preocupada. Agora não mais! Pode vir... rs, é coisa que tem a ver com labirinto etc e tal, nosso sistema de equilíbrio. Mas quem está dirigindo um carro ou avião, não acontece, só no banco do carona, a gente tem consciência que está levando o carro. Interessante isso,nosso corpo envia o sinal e o cérebro reconhece. É mais ou menos isso. A explicação é grande. Que loucura.
      Um beijo.

      Excluir
  16. Ola Tais. Ja fiz exame de ressonancia magnetica e não foi facil. Apesar do tapa ouvidos (devido ao barulho) e do botão de panico na mão (se voce passar mal e so apertar que eles te tiram da maquina) eu sofri um ataque de claustrofobia, mas aguentei firme, suando frio ate o fim, para não ter que repetir o exame depois. O que me ajudou foi focalizar minha mente no dia mais feliz que ja tive e ficar revendo-o mentalmente com maxima intensidade. Coselho do tecnico examinador a quem eu agradeço pela dica. Treinamanto em meditação tambem ajuda muito.

    ResponderExcluir
  17. Tais, ele é mesmo fenomenal. Pesquiso, também, como você. Apareceu a dúvida? Vou logo atrás do meu "amigo" (rss). Já cansei de ouvir de médicos que não devo confiar em tudo que leio, quando ouço deles algo que contradiz as informações que já havia obtido (kkk).
    Quando tentei fazer uma ressonância e não consegui, não possuía detalhes sobre o exame. Naquela época, se tivesse visto as máquinas no google e feito uma pesquisa, creio que não teria tido a crise de claustrofobia. Fui levada, já deitada, para o exame e não percebi que havia uma abertura na parte de trás dela. Hoje, até as diferenças entre os equipamentos conheço, graças a esse bendito ajudante. Seu texto ficou ótimo e divertido. Bjs.

    ResponderExcluir
  18. Pois é, santa comodidade, Tais. Esto mais virtual do que nunca. É Google, é Email, é Face book.. Adoro esse mundo, sem sol, sem chuva, tudo sobre controle. Beijos!

    ResponderExcluir
  19. Grande Dr. Google: como viver sem ele agora? kkkkk É um mundo à parte dentro do computador. Adoro!
    Beijo!

    ResponderExcluir
  20. Esses enjoos e mal estares, Taís, eram frequentes quando eu era criança e até início da adolescência. Com o tempo passaram. Mas como sofro de labirintite, acontece algumas vezes. O Google é realmente um Dr. quebra galhos. Mas se cuida Tais. Se já sabe qual é o seu problema, resta agora buscar um especialista pra cuidar bem da sua saúde.
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sandra, sim, agora chegou a hora de ver quem resolverá! Até agora ninguém levou a sério, e a pergunta que restou foi: por quê?? Por que ninguém descobriu?

      Beijo, querida Sandra!

      Excluir
  21. Ahahahaha... e é verdade, quando eu dirijo não tenho tonturas. Mas acredita que no navio eu não passei muito mal? Apenas nos dois primeiros dias e foi leve. Nem tomei dramin.
    Agora, é bem verdade, os médicos gostam do google, mas não gostam que a gente pesquise. Em parte, eu acho até que eles podem ter alguma razão, porque assim como muitas pessoas tem pânico do tal exame do tubo, imagine ler sobre doenças no google. Eu digo isso, porque tenho na família pessoas que potencializam um sintoma, então, haja paciência pra um médico, que além de cuidar da real doença, ainda tem que cuidar das doenças imaginárias. O google é legal, para quem não 'pira na batatinha ahahaha.
    Mais beijinhos.

    ResponderExcluir

MEUS AMIGOS - SUA ATENÇÃO...

1 - Este blog 'não envia nem recebe comentários anônimos ou ofensivos'. Meu e-mail está na guia superior, faça contato.

2 - Entrarei na página de comentários quando alguma resposta se fizer necessária.

3 - Meus agradecimentos pelo seu comentário, sempre bem-vindo.


Meu abraço a todos.
Taís Luso