16 de agosto de 2009

MARIO QUINTANA - O ESPELHO




      E como eu passasse por diante do espelho
      não vi meu quarto com as suas estantes
      nem este meu rosto
      onde escorre o tempo.
      Vi primeiro uns retratos na parede:
      janelas onde olham avós hirsutos
      e as vovozinhas de saia-balão
      como paraquedistas às avessas que subissem do
                                                                  fundo do tempo.

      O relógio marcava a hora
      mas não dizia o dia. O tempo,
      desconcertado,
      estava parado.

      Sim, estava parado
      em cima do telhado...
      como um catavento que perdeu as asas!

   
      Mario Quintana de Bolso – L&PM pg 46

3 comentários:

  1. Adorei!
    Estava há tempos querendo ler.
    Suas crônicas, como sempre, ótimas!
    Saudades irremediáveis, minha querida amiga.
    Beijo,
    Vanessa

    ResponderExcluir
  2. Taís,
    Faço parte de um programa de rádio, Antena 1 de Santa Maria em que mulheres debatem vários assuntos no programa "Jogo de Cintura" todos os dias às 19 hs. Se quiser ouvir, pode acessar pela web www.antena1sm.com.br`. Pegando o "gancho" escrito em sua crônica, com o título homônimo do programa, seria uma excelente pauta: a questão da família! Vamos falar sobre isso e vou citá-la, se não se incomoda no ar, para que leiam suas crônicas e poemas: são fantásticos! Estou no ar nas sextas, mas às vezes substituo alguém em outros dias. Um beijo grande!!!

    ResponderExcluir
  3. Maravilhoso...É isso aí. Beijos, dircinha e Lord JACK...

    ResponderExcluir

SUA ATENÇÃO...

1 - Agradeço os comentários dos queridos leitores e amigos, sempre Bem-vindos!

2- Comentários ANÔNIMOS não são postados. Assine.

Um abraço a todos!
Taís Luso